Engenheiro, Professor e Autor de livros
sobre Gestão de Carreira e Administração de Escritórios
na Arquitetura e Engenharia
MONDRIAN - RELEITURA
(Fonte: experimentalphotoarts.blogspot)

Notas publicadas em 01/08/2014 - sexta-feira

Entre Aspas

"Nunca se queixe, nunca explique, nunca se desculpe.
Aja ou saia. Faça ou vá embora"

BENJAMIN DISRAELI

(1804-1881)
Escritor e político britânico

Artigos de Ênio Padilha

CARTA A UM CALOURO (DE ARQUITETURA OU DE ENGENHARIA)

(Publicado em 27/07/2011)



Parabéns! Você acabou de ingressar numa carreira muito bonita, cheia de recursos e alternativas. Sim, sua carreira começa agora, no primeiro dia da faculdade e não no dia da formatura, como muita gente pensa.

Quando analisamos a carreira de um profissional, quaisquer que sejam os critérios ou parâmetros sempre chegamos à conclusão de que o que é feito (ou deixado de fazer) durante o curso, ecoa por toda a carreira. É impossível desvincular as conquistas e as derrotas, o sucesso e o fracasso de um profissional das suas decisões, atitudes e comportamento DURANTE a faculdade.
Portanto, preste atenção no que você faz ou deixa de fazer agora. A conta NÃO será apresentada daqui a cinco ou dez anos. A conta será cobrada daqui a trinta anos, quando você já estiver formado a 25. É aquele momento da carreira em que o profissional começa desfrutar dos investimentos pessoais de tempo e energia realizados até ali.

Aqui esbarramos em dois problemas típicos da juventude: você deve ter 17, 18 ou 19 anos e, se você for uma pessoa normal, (1) Você não deve ter muita paciência com textos longos e já deve ter corrido o olho até lá embaixo e não gostou nada do comprimento dessa conversa; (2) Você nunca pensou em você mesmo com 50 anos de idade e, portanto, não considera necessário se preocupar com uma conta que só será cobrada daqui a 30 anos.

Bom, com relação ao tamanho do texto, admito que o poder de síntese é importante... mas, acredite, existem assuntos que realmente exigem mais de 140 caracteres para serem tratados com o devido respeito. A sua carreira profissional é uma delas; Mas você pode abandonar a leitura aqui, se quiser...

Bom... já que você começou a ler este parágrafo, significa que vai levar essa conversa até o fim. Agradeço a atenção.

Então. Quanto ao segundo item a questão é mais complexa. Os jovens têm mesmo grande dificuldade de lidar com o futuro. Mas lembre-se de que, quando criança você dificilmente pensava além do próximo fim de semana. Na adolescência o futuro era a próxima festa com os amigos; Agora, apesar da dificuldade de visualizar os seus 50 anos, você já consegue fazer planos para o final do semestre e até mesmo para depois da formatura. Ou seja: expandir os horizontes do seu planejamento pessoal é uma questão de amadurecimento. E você está amadurecendo.
Quanto mais maduro você estiver, maior será o seu horizonte de tempo no planejamento pessoal. Exercite-se! Lembre-se que muitos jovens desperdiçam a juventude exatamente por não ter noção de que ela NÃO É ETERNA.

A juventude é um recurso valioso, que você recebe sob a forma de saúde, força, resistência física, reflexos, plenitude dos sentidos e muita energia. Este recurso (a juventude) deve ser aproveitado pela pessoa para explorar o mundo, crescer, se divertir e desenvolver seus talentos.
Algumas pessoas fazem a opção de consumir a sua juventude apenas em festas, jogos e outras atividades que envolvam APENAS distração e diversão; Você, que acaba de entrar em uma faculdade de Arquitetura ou de Engenharia provavelmente não faz parte deste grupo pois, sabemos que o acesso a esse curso, via de regra, não é fácil e não está ao alcance de quem optou por (apenas) se divertir durante a adolescência.

Portanto, boa parte do caminho você mesmo já trilhou. Agora, se me permite, vou dar de graça alguns conselhos que eu considero importantes.

O primeiro conselho que eu dou a um estudante de Engenharia ou de Arquitetura é Estudar Muito. Como diz o colega Sebastião Lauro Nau, numa entrevista concedida para minha pesquisa (um trecho está publicado AQUI) "Por mais que digam que as suas notas não têm importância e o que importa é você se formar e ter o diploma, isso não é bem verdade. Você tem que ser um bom aluno. Tem que adquirir o conhecimento, porque é esse conhecimento adquirido na universidade que vai lhe dar condições de continuar a aprender. Vai lhe dar disposição para aprender. Deve ser um bom aluno, ou seja: tirar notas boas, sim. Não pensar que isso não é importante. As empresas valorizam quem tem um bom histórico escolar."

Acredite este é o momento na sua vida em que você terá a oportunidade e o acesso a informação e conhecimento num nível superior de profundidade e num volume como você não terá em outras oportunidades. Aproveite. Aprenda muito. Não se perca em divagações tolas do tipo "Que utilidade isto terá para o exercício da minha profissão?" Não cabe a você essa discussão e você, infelizmente, não está preparado para ter respostas satisfatórias. Então apenas estude. E estude muito! Não se limite a estudar apenas o suficiente. Estude muito. Os medíocres estudam o suficiente. Quem quer ser grande estuda muito.

O segundo conselho que eu dou contraria o senso comum: com certeza alguém já deve ter aconselhado você a trabalhar durante a faculdade, para adquirir o conhecimento prático (experiência). Eu digo, NÃO FAÇA ISTO! Faculdade não é lugar para se obter experiência e prática profissional. Isso você vai conseguir (facilmente) depois de formado. Experiência se obtém muito rapidamente quando se tem o domínio da teoria.

Durante a faculdade, preocupe-se (dê prioridade) ao conhecimento teórico. Aprenda a organizar idéias, equacionar problemas... Aprenda a pensar. Isso é o que importa! O mercado está cheio de fazedores. Gente que põe a mão na massa. Mas os valorizados são justamente aqueles que conseguem pensar melhor sobre o que estão fazendo.

Acostume-se com o seguinte: nem tudo o que se aprende na faculdade tem aplicação prática (e imediata). Isto NÃO DEVE ser encarado como um problema. Arquitetos e Engenheiros são profissionais cujo objeto de estudo é o futuro. São profissionais cujo produto (soluções de arquitetura e de engenharia) tem uma imensa componente intelectual (e, portanto, teórica). A base teórica de um engenheiro ou arquiteto precisa ser ampla e sólida. O período de faculdade é o período ideal para o desenvolvimento dessas habilidades. As habilidades práticas, tão endeusadas por tanta gente, constituem justamente a parte fácil. Não se preocupe com isso agora. Quando chegar a hora de "botar a mão na massa" você verá que a melhor prática ainda é aquela sustentada por uma boa teoria.

Vou repetir aqui pra não deixar dúvidas: experiência e prática são importantes para o exercício profissional. Mas os estágios curriculares e algumas atividades extra-curriculares são suficientes para que você saia da faculdade pronto para enfrentar o mercado. A verdadeira experiência e o domínio da prática profissional deve ser uma conquista pós-formatura.

Terceiro conselho: Comece a construir a sua rede de relacionamentos. Mas, preste atenção: rede de relacionamento não é rede de pescar. Não é teia de aranha. Não é rede de contatos pra se dar bem ou para ter pra quem pedir coisas, quando precisar. Nada disso!
Uma rede de relacionamentos é um conjunto de conexões consistentes que o indivíduo estabelece com pessoas com as quais ele interage, de forma ativa e generosa. Sim, eu disse GENEROSA! Você precisa se doar, ser útil, contribuir para o crescimento dos indivíduos que fazem parte da sua rede de relacionamentos.

Portanto, construir uma rede relacionamentos significa ser alguém para os outros. Significa registrar-se de forma positiva na mente dessas pessoas. Significa ser alguém em quem essas pessoas pensarão (de primeira) quando estiverem em busca de alguém que seja capaz de assumir uma responsabilidade, resolver um problema ou tocar um projeto qualquer.

Este período de faculdade (e também os primeiros anos depois de formado) é o tempo certo para construir uma sólida rede de relacionamentos, porque é o período em que você terá contato com o maior número de pessoas em toda a sua vida: seus colegas de sala de aula, seus colegas de outras turmas da faculdade, estudantes de outros cursos, professores, funcionários da escola, visitantes, parentes, empregados e patrões nas empresas onde você fizer estágios, participantes dos fóruns, seminários ou congressos dos quais você participe e mesmo a turma das festas e das atividades esportivas... é muita gente!

Capitalizar esses contatos é uma questão de estratégia e inteligência. O objetivo é simples: ser interessante (ou seja: fazer com que as pessoas se interessem por você e pelos seus objetivos). A estratégia sugerida é ser útil. Ninguém se torna interessante se não serve pra nada!.

Seja útil. Seja disponível. Ajude as pessoas. Divida conhecimentos. Seja generoso. Não espere recompensas imediatas. O retorno do investimento na Rede de Relacionamento não é pontual. Não se trata de um "toma-lá-dá-cá". Investir numa Rede de Relacionamento é construir um universo que conspirará a seu favor, no futuro!

Tenho mais conselhos, mas vou parar aqui (por enquanto). Nem sei ainda como esses primeiros serão recebidos...

Além do mais, sei que já estou abusando do quesito "tamanho do texto"



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



(os textos publicados aqui no site não passam por uma revisão gramatical ou ortográfica. Se você encontrar qualquer erro de português no texto, por favor, anote nos comentários. Avisos de erros nunca são considerados como crítica e sim como uma gentileza.)




Para copiar e reproduzir este artigo, conheça nossas REGRAS PARA PUBLICAÇÕES




---carreira ---marcapessoal




Leia também:
DISCURSO AOS ENGENHEIROS RECÉM-FORMADOS

SEGUNDA CARTA A UM ENGENHEIRO RECÉM-FORMADO (Capitalizar Virtudes e Defeitos)





VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL DA ENGENHARIA E ARQUITETURA - Artigos e ensaios sobre a Valorização Profissional de Engenheiros e Arquitetos.
Ênio Padilha
2 ed. 2014
108 páginas
Apresentação de Maristela Macedo Poleza (Arquiteta)
Prefácio de Sebastião Lauro Nau (Engenheiro)

R$ 30,00 (+ o custo de envio pelo Correio)

Para adquirir, clique sobre a figura da capa do livro




Deixe AQUI seu comentário:

Anotações

PRÉDIO FAZ ENTRADAS DIFERENTES PARA RICOS E POBRES

Um prédio na rua Riverside Boulevard, no bairro Upper West Side, em Nova York, está causando polêmica antes de ser inaugurado. O motivo é a sua forma de acesso, que será dividida em duas entradas.

A primeira entrada é destinada aos proprietários de 219 apartamentos, de metro quadrado avaliado em 22 mil doláres, com vista para o rio Hudson. A segunda é para as famílias cuja renda anual é de aproximadamente 50 mil doláres e que alugarão os 55 apartamentos do segundo ao sexto andar, com vista para a rua.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site administradores.com.br


Comentários?

Arquitetura

ESTUDO DIZ QUE ARQUITETURA PODE ESTIMULAR OBESIDADE

Publicado no Journal of Physical Activity and Health em 2013, um estudo desenvolvido pela University of Tennessee comparou a frequência e o uso de elevadores em três edifícios da cidade de Knoxville, nos Estados Unidos.

Os pesquisadores afirmam que a arquitetura convencional e, por sua vez, a disposição dos espaços, influi no hábito dos usuários, desestimulando o uso de escadas.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site arcoweb.com.br

Comentários?

Urbanismo

A IMPORTÂNCIA DO TRANSPORTE PÚBLICO PARA OS
ESPAÇOS URBANOS

Uma das características dos espaços públicos bem projetados é que as pessoas querem visitá-los e gostam de permanecer neles. Para que isto ocorra há vários fatores envolvidos, como a influência exercida pela arquitetura, os edifícios históricos e os monumentos, as atividades que existem no lugar, a facilidade de acessá-lo, entre outros.

Em relação a este último ponto, não apenas os deslocamentos são importantes, mas também os acessos através das conexões oferecidas pelo transporte público. Portanto, tem-se um equilíbrio entre desenho urbano e transporte planejado que influencia o caráter e causa um impacto social nos espaços públicos.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily.com.br

Comentários?

Engenharia

AUTOVISTORIA: NORMA PARA REFORMAS E INSPEÇÃO PREDIAL

Por Antero Jorge Parahyba*

Há cerca de um ano, uma regulamentação de autovistoria entrou em vigor objetivando reduzir os riscos nas edificações da Cidade do Rio de Janeiro.

Mais recentemente, uma norma com procedimentos para reformas, também entrou em vigor, trazendo, igualmente, a expectativa de redução de riscos nas edificações de todo o País.

Uma nova norma, de inspeções prediais, tem sua elaboração em andamento e, quando concluída e em vigor, vai se somar aos dispositivos anteriores para o bem das nossas edificações.

Nessa "onda", poderão ganhar a sociedade, os engenheiros e os arquitetos.

Os dois últimos poderão ganhar como cidadãos e, também, como profissionais mais valorizados.

Todos poderão ganhar se a prática dessas ferramentas evoluir e se consolidar.

E isso, provavelmente, dependerá mais de nós, profissionais de engenharia e de arquitetura, do que dos demais membros da sociedade e dos poderes públicos.

Nós, profissionais, deveremos estar mais atentos aos comportamentos nocivos àquelas ferramentas que, muitas das vezes, ocorrem de forma tão sistemática, que permitem se imaginar a contrariedade de outros interesses.

Afinal, há um bom momento nosso, que não deverá ser desperdiçado.

As autovistorias são das edificações e não de partes das edificações. A norma de reformas não cria mais responsabilidades para os síndicos, mas explicita o direito deles às informações, enquanto representantes das massas condôminas. E, por fim, uma inspeção predial não poderá se limitar às questões da manutenção, mas abranger as condições de toda a edificação.

Disseminando o correto, faremos ventar a favor.



Comentários?