Notas publicadas em 14/08/2018 - terça-feira

Da Hora!

TRAGÉDIA EM GÊNOVA

(Publicado em 14/08/2018)



Queda de ponte deixa mortos em Gênova, na Itália





Acompanhe as notícias nos links abaixo:

PORTAL G1

PORTAL CNN

Deixe aqui seu comentário

ENTRE ASPAS (www.eniopadilha.com.br)

"Todos os homens se enganam, mas só os grandes homens reconhecem que se enganaram."

BERNARD LE BOVIER DE FONTENELLE

(1657-1757)
Escritor francês, citado no livro Obras de Fontenelle,
de Georges Bernard Depping, página 212

ARQUITETURA

6º PRÊMIO PARA ESTUDANTES DE ARQUITETURA E URBANISMO DE SANTA CATARINA

(Publicado em 14/08/2018)





Comentários

ENGENHARIA

PROFISSIONAIS CATARINENSES RECEBERÃO AS HONRARIAS DO
MÉRITO NACIONAL

(Publicado em 14/08/2018)



O Eng. Civil e Seg. Trab. Gelásio Gomes, presidente da CredCrea - Cooperativa de Crédito dos Profissionais do CREA-SC, e o Eng. Civil Olavo Fontana Arantes, serão homenageados com a Medalha do Mérito e Inscrição no Livro do Mérito Nacional, respectivamente. O evento acontece durante a abertura da 75ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), no dia 21/08/2018, em Maceió (AL).

Os nomes dos homenageados foram aprovados na sessão plenária nº 1458. Serão 12 profissionais com a Medalha do Mérito Nacional, 12 profissionais com Inscrição no Livro do Mérito, e ainda, três entidades com Menção Honrosa.



Para obter mais informações visite crea-sc

Comentários

ENGENHARIA

SOEA 2018 - MACEIÓ



13/08/2018 - 17h00





PROGRAMAÇÃO DA SOEA 2018



A programação da SOEA já está publicada no site do Crea-AL

Os destaques de cada dia são:

Terça-feira, dia 21/08/2018
• Abertura
• Homenagem ao Mérito
• Abertura da ExpoSOEA

Quarta-feira, dia 22/08/2018
• ENGENHARIA E ÉTICA NA RECONSTRUÇÃO DO BRASIL
   (palestra com Clóvis de Barros Filho)

• ENGENHARIA DE CLIENTES – COMO VENDER SEU SERVIÇO E PRODUTO
   NO MERCADO DE ENGENHARIA
   (mini-curso - o professor ainda não está identificado na programação)

Quinta-feira, dia 23/08/2018
• A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
   (palestra com Gil Giardelli)

• OS DESAFIOS PARA OS NOVOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DE CURSOS
   DE ENGENHARIA DIANTE DO NOVO PERFIL DE JOVENS ESTUDANTES
   (palestra com Luis Edmundo Prado de Campos)

Sexta-feira, dia 24/08/2018
• SABATINA PRESIDENCIAL
   (todos os candidatos foram convidados.
   Ainda não está informado sobre quem já confirmou a participação)




Clique AQUI ou sobre a imagem acima para ter acesso à programação completa.




ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br

Clique AQUI para ver outras publicações deste site
sobre a SOEA 2018

ADMINISTRAÇÃO - GERAL

EMPREGO OU EMPRESA: O QUE QUER PARA O SEU FUTURO?

Tomar uma decisão de carreira é algo extremamente complexo e se torna ainda mais complicado quando temos que fazer isso muito jovens, quando as dúvidas ainda superam as certezas. Muito por isso bastante gente resolve mudar de profissão pouco tempo depois de se formar. Ou mesmo ainda na graduação escolhe trocar de curso.

E quando a dúvida é seguir carreira como funcionário de uma empresa ou abrir seu próprio negócio? É aí que as coisas ficam ainda mais enroladas. A cultura brasileira é massivamente focada na busca por um bom emprego. De preferência, no setor público. Empreender, geralmente, é a última opção, quando "não deu certo" o plano A.

A necessidade de correr riscos que a decisão de abrir um negócio impõe é outro obstáculo. Nem todo mundo que quer a liberdade de construir o próprio futuro tem a disposição de se arriscar.

Como decidir, então, entre um emprego e sua própria empresa? Algumas questões pode ajudar nessa decisão:



Continue a leitura no administradores.com.br



Leia também ARQUITETO 1.0 Um Manual para o Profissional Recém-Formado e o Manual do Engenheiro Recém-Formado




Comentários?

ADMINISTRAÇÃO - GERAL

INOVAÇÃO DISRUPTIVA É O NOSSO TREM BALA

(Publicado em 13/08/2018)



Uma das principais pragas do empreendedorismo e da gestão de negócios no Brasil (não sei se é assim no mundo inteiro) é a indústria dos modismos. Toda hora tem uma palavra nova encantando alguns iniciados e assombrando outros tantos que passam imediatamente a se sentir perdidos, atrasados e fora de moda.
A palavra da hora é DISRUPTIVO.





Comunicação disruptiva, marketing disruptivo, inovação disruptiva, educação disruptiva, design disruptivo, tecnologia disruptiva… tudo parece ter perdido completamente o valor se não for DISRUPTIVO.

Palestrantes, professores, consultores, autores e outros pretensos formadores de opinião (deveriam ser agentes do conhecimento) adotaram o termo e com isto tornaram seus trabalhos mais valorizados e atuais. E, como o termo é novo (novidade) contam com a vantagem de que pouca gente é capaz de avaliar os efeitos da aplicação prática do que está sendo ensinado e, mais importante: a diferença efetiva entre o que está sendo falado agora e coisas que já foram ditas e escritas há décadas.

Ao dicionário: Disruptivo refere-se a algo que causa disrupção, ou seja, separação e interrupção. Uma coisa é disruptiva se ela interrompe o ciclo normal de funcionamento de um processo. No mundo dos negócios, Disruptivo é um novo formato tecnológico que, se opondo aos modelos existentes, propõe uma nova estrutura de negócios que seja sustentável e que tenha escala.

É bonito? Sim. É interessante? Claro. Você precisa disso agora? Não sei. Você está preparado para isso? Provavelmente não.

Para a maioria dos escritórios de Engenharia e de Arquitetura no Brasil a inovação disruptiva corresponde ao Trem Bala brasileiro. Pra quem não lembra, a ideia do Trem Bala começou a ganhar corpo no final do segundo mandato do ex-presidente Lula, embora tenha ganhado força durante o primeiro mandato de Dilma Roussef, no embalo dos projetos da Copa do Mundo.

Parecia uma ideia interessante, mas ninguém se deu conta de uma coisa: em todos os países onde o Trem Bala é uma realidade ele é o ponto alto de uma indústria consolidada. É a cereja no topo do bolo de uma rede ferroviária muito grande e muito bem resolvida com dezenas de linhas e destinos, de tal maneira que essa inovação se encaixou sem solavancos na realidade existente.

O Brasil, como costuma fazer, quis dar um salto. Passando direto de uma mobilidade refém de caminhoneiros para o Trem Bala, sem escalas. Deu no que deu. Ou melhor, deu no que não deu!

Quando, em 2016, a Vale inaugurou o seu novo Trem de Passageiros da Estrada de Ferro Vitória Minas eu saudei o fato, no meu site com a afirmação de que O BRASIL NÃO PRECISA DE TREM BALA. PRECISA DE TREM, PONTO.

Agora eu digo o mesmo pra você que dirige um escritório de Arquitetura ou de Engenharia. Você precisa de um trem bala disruptivo? ou precisa de um trem bom, de uma boa malha ferroviária e de um sistema que funcione?

Em 2011 eu publiquei no nosso site o artigo BACK TO BASICS no qual eu já chamo atenção para um fato, em relação aos escritórios de Engenharia e de Arquitetura: ”Temos 120 anos de conhecimentos de gestão para recuperar. Nossos escritórios (a maioria deles) ainda é tocado com as mesmas técnicas de gestão utilizadas pelas empresas em 1890!
Estamos na Idade da Pedra da Administração. Precisamos fazer alguma coisa, claro!

Mas, atenção. Não devemos começar pelo fim, cedendo à tentação dos modismos da gestão.”


Portanto, antes de sair investindo em tecnologias de gestão disruptiva, avalie se você pelo menos já tem alguma coisa consistente para ser interrompida ou separada. Seu escritório não precisa de um trem bala se ainda não possui sequer uma rede ferroviária



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




DIVULGAÇÃO




---Artigo2018

Deixe aqui seu comentário


Desenvolvido por Área Local