Piet Mondrian/Pintura nº4/Composição 3 (1913)
(Fonte: Gemeentemuseum Den Haag, Holanda)

Domingo, 29/05/2016 – Veja todos os posts publicados nesta semana.

Entre Aspas

"O jovem profissional deve se vestir com elegância, falar inglês muito bem e estudar criticamente as matérias da Engenharia."

MANOEL HENRIQUE CAMPOS BOTELHO

Engenheiro paulista, autor da coleção "Concreto Armado, eu te amo", no tópico "Conselho ao jovem profissional" da entrevista que concedeu ao jornalista Bruno Loturco (Revista Técne)

Entre Aspas

"Para que o indivíduo possa empregar com eficácia seus conhecimentos na elaboração de planos, deve estar em condições de prever as ações do Estado que podem afetar esses planos."

FRIEDRICH AUGUST VON HAYEK

(1899-1992)
Economista austríaco. Premio Nobel de Economia (1974) "por seu trabalho pioneiro na teoria da moeda e flutuações econômicas e pela análise penetrante da interdependência dos fenômenos econômicos, sociais e institucionais"

Entre Aspas

"A diferença entre grandes personagens e todos os outros é que os primeiros criam suas vidas, enquanto os demais são produtos
delas, esperando com passividade para ver em que direção
a vida os levará em seguida."

MICHAEL GERBER

Norte-americano, Consultor de empresas e autor de importantes livros sobre gestão, no livro O Mito do Empreendedor, página 77

Entre Aspas

"Entre duas palavras, escolha sempre a mais simples."

PAUL VALÉRY

(1871-1945)
Filósofo, escritor e poeta francês da escola simbolista,
no livro Commerce, página 34

Entre Aspas

"Numa sociedade com base no conhecimento, por definição
é necessário que você seja estudante a vida toda."

TOM PETERS

Escritor no livro Gestão de Libertação: desorganização necessária para os anos noventa, página 757

Administrar Mais

ADMINISTRAR MAIS - ANO 02 - NÚMERO 01
Produto em um Escritório de Arquitetura e Engenharia

Vídeo Aula com o Engenheiro e Professor Ênio Padilha sobre temas de Administração. Neste episódio falando sobre o Produto de um Escritório de Arquitetura ou de Engenharia.





Administrar Mais - A02N01 - PRODUTO EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA E ENGENHARIA



Veja outros vídeos da série ADMINISTRAR MAIS.

Deixe AQUI seu comentário:

ALIRUBIT

ENCONTRE O SEU EXEMPLAR NA LOJA DA OITONOVETRES

(clique sobre a imagem e entre na loja)

Artigos de Ênio Padilha

POSSIBILIDADES NA CARREIRA PARA ARQUITETOS



Desde 2009 tenho apresentado um curso de 16 horas sobre GESTÃO DE CARREIRA E MARCA PESSOAL (para Arquitetos e Engenheiros), que também é uma aula em curso de pós graduação (que já foi ministrada para mais de 60 turmas).

Um dos tópicos abordados nesta aula discorre sobre as alternativas de exercício profissional que se apresentam aos arquitetos, assim que eles terminam a faculdade. Sempre percebo uma certa surpresa (principalmente dos mais jovens). Eles não imaginam que tem tanto mundo e tantas oportunidades pela frente.

Eu divido a coisa em duas abordagens: (1) o “modelo de negócio” e a especialidade ou área de atuação.

O MODELO DE NEGÓCIO
Por “modelo de negócio” vamos entender a maneira como o profissional se aplicará no exercício profissional, não importando, aqui, em que especialidade ele estará atuando.
O profissional, uma vez formado, poderá…

(1) FAZER UM CONCURSO PARA O SERVIÇO PÚBLICO, nas muitas vagas que existem para arquitetos e urbanistas nas prefeituras, nos governos estaduais e nas instituições do governo federal.
Para isso ele deverá
• ter uma boa formação universitária;
• ter uma boa cultura geral;
• estudar muito para obter uma boa nota no concurso;
• ter as características necessárias para o exercício profissional no serviço público;

Outras possibilidades são

(2) TRABALHAR EM ALGUMA EMPRESA PRIVADA, escritórios de Arquitetura ou de Engenharia, Construtoras ou qualquer outra empresa comercial ou industrial que empregue arquitetos ou urbanistas.
Para isso ele deverá
• ter uma boa formação universitária;
• ter uma boa cultura geral;
• ter uma boa rede de relacionamentos
• ter um bom marketing pessoal (gestão da imagem pública);
• ter um bom domínio dos conhecimentos técnicos;
• ter conhecimentos e habilidades pessoais diferenciadas

(3) ABRIR, SOZINHO, UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA
Para isso ele deverá
• ter uma boa formação universitária;
• ter uma boa cultura geral;
• ter uma boa rede de relacionamentos
• ter um bom marketing pessoal (gestão da imagem pública);
• ter um bom domínio dos conhecimentos técnicos;
• ter conhecimentos e habilidades pessoais diferenciadas;
• ter conhecimentos de administração e de gestão
• ter algumas características de empreendedor
• ter diferenciais competitivos profissionais

(4) ABRIR UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA EM SOCIEDADE COM COLEGAS
Para isso ele deverá
• ter uma boa formação universitária;
• ter uma boa cultura geral;
• ter uma boa rede de relacionamentos
• ter um bom marketing pessoal (gestão da imagem pública);
• ter um bom domínio dos conhecimentos técnicos;
• ter conhecimentos e habilidades pessoais diferenciadas;
• ter conhecimentos de administração e de gestão
• ter algumas características de empreendedor
• ter diferenciais competitivos profissionais
• ter habilidades para se relacionar com pessoas

(5) ABRIR UMA EMPRESA DE CONSTRUÇÕES
Para isso ele deverá
• ter uma boa cultura geral;
• ter uma boa rede de relacionamentos
• ter um bom domínio dos conhecimentos técnicos;
• ter conhecimentos de administração e de gestão
• ter algumas características de empreendedor
• ter diferenciais competitivos para a área de construção civil
• ter habilidades para se relacionar com pessoas

(6) ABRIR UMA FÁBRICA (de móveis, lustres ou qualquer outra coisa)
Para isso ele deverá
• ter uma boa cultura geral;
• ter uma boa rede de relacionamentos
• ter um bom domínio dos conhecimentos técnicos;
• ter conhecimentos de administração e de gestão
• ter algumas características de empreendedor
• ter diferenciais competitivos para a área de construção civil
• ter habilidades para se relacionar com pessoas

(7) ABRIR UM ESCRITÓRIO DE ASSESSORIA OU CONSULTORIA TÉCNICA
Para isso ele deverá
• ter uma boa formação universitária;
• ter cursos de especialização, mestrado e doutorado;
• ter uma boa cultura geral;
• ter uma boa rede de relacionamentos
• ter um bom marketing pessoal (gestão da imagem pública);
• ter um bom domínio dos conhecimentos técnicos;
• ter conhecimentos e habilidades pessoais diferenciadas;
• ter conhecimentos de administração e de gestão
• ter algumas características de empreendedor
• ter diferenciais competitivos profissionais
• ter habilidades para se relacionar com pessoas


ESPECIALIDADE OU ÁREA DE ATUAÇÃO
Com relação à especialidade ou área de atuação as possibilidade são muitas e variadas. O profissional, uma vez formado, poderá atuar numa das seguintes áreas…

URBANISMO
• Elaboração de Planos Diretores
• Projetos de revitalização
• Estudos de Impacto Urbanístico
• Estudos de Impacto Ambiental
• Projetos de Loteamentos
• Projetos de Paisagismo
• Avaliação e Perícias

CONSTRUÇÃO CIVIL
• Projetos residenciais
• Projetos de Edifícios Residenciais
• Projetos de Edifícios Comerciais
• Projetos de Reforma que incluem
exteriores.
• Avaliação e Perícias
• Administração de obra

ARQUITETURA EFÊMERA
• Vitrines
• Decoração de Shoppings Centers
• Palcos para Shows musicais
• Cenários para Teatro
• Parques de Diversão (itinerantes)

INTERIORES
• Projetos de Lojas
• Projetos de interiores Res.
• Projetos de interiores Com.
• Projetos mobiliários
• Projeto de iluminação
• Aeronaves, Navios, Motor Home
• Administração de obra

ILUMINAÇÃO
• Iluminação comercial
• Iluminação Cênica
• Iluminação de Arquitetura
• Iluminação residencial
• Iluminação Industrial
• Iluminação de Igrejas
• Iluminação de Museus
• Iluminação de Plantas
• Iluminação Pública
• Iluminação Esportiva

ÁREAS ESPECÍFICAS
• Projetos para a Área da Saúde (Hospitais, Clínicas, Consultórios, Ambulatórios, Farmácias, Postos de Saúde...)
• Projetos para a Área de Educação e Cultura (Escolas, Teatros, Centros Culturais, Museus...)
• Restauração
• Magistério
• Pesquisa e Desenvolvimento
• Empreendedorismo
• Segurança no Trabalho
• Avaliação e Perícias


Portanto, se você é um jovem arquiteto recém-formado, em busca de algum destino para a sua formação, ponha "fé em Deus e pé na tábua..." O que não falta é possibilidades.

E é claro que existem ainda outras alternativas que não foram listadas acima. Se você já trabalhou ou trabalha em algo diferente de tudo o que foi descrito ou se conhece alguém que faz alguma coisa que não está na lista deste artigo, por favor, escreva nos comentários, abaixo. no futuro essas informações serão incorporadas ao artigo original.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




Para copiar e reproduzir este artigo, conheça nossas REGRAS PARA PUBLICAÇÕES




---Artigo2015 ---Carreira ---MarcaPessoal



Deixe AQUI seu comentário:

Artigos de Ênio Padilha

REDES DE RELACIONAMENTO PARA ARQUITETOS E ENGENHEIROS



Há algumas semanas publiquei um artigo com o título CARTA A UM CALOURO (DE ARQUITETURA OU DE ENGENHARIA) no qual apresentei alguns "conselhos" para os colegas que estão iniciando suas carreiras (Sim, a carreira profissional começa no primeiro dia da faculdade e não no dia da formatura, como muita gente pensa).
Um dos conselhos (o terceiro) é "Comece a construir a sua rede de relacionamentos.

Muita gente pode não ter entendido.
Apesar de ninguém negar que Rede de Relacionamento é interessante e útil, pouca gente se lembraria de incluí-la como uma das coisas mais importantes para a carreira de um profissional. Normalmente pensariam na capacidade técnica como a coisa que mais importa (muita gente, aliás, considera que a capacidade técnica é a única coisa que importa).
Além disso, quase nenhum professor, mentor ou orientador considera importante recomendar a um estudante de primeiro ano de faculdade que se preocupe com a construção de sua rede de relacionamento.

Daí lembrei da minha pesquisa para o Mestrado (2007) na qual analisei os recursos importantes (valiosos) para Pequenas Empresas de Engenharia.
Recursos, aqui, são definidos como "tudo o que a empresa possui, controla ou tem à sua disposição. Pode ser constituído de conhecimentos, habilidades, capacidades, instalações, equipamentos e outros ativos tangíveis ou intangíveis."

Já os recursos considerados valiosos (e, portanto, capazes de constituir diferencial competitivo) são aqueles que atendem a três condições importantes
1) A sua empresa tem e as empresas concorrentes não têm;
2) As empresas concorrentes não podem adquirir ou desenvolver esse recurso sem investimentos importantes (vultosos) de tempo e dinheiro;
3) Os clientes identificam esse recurso como uma coisa pela qual vale a pena pagar mais caro.

Pode parecer simples, para um leitor desavisado, possuir recursos valiosos (e, portanto, diferenciais competitivos) mas vá dizer isso para os alunos das minhas aulas de pós-graduação (Marketing e Relacionamento com o Cliente) que precisam lidar com esse conceito e identificar seus próprios Recursos Valiosos... É muito complicado! Mais de 70% dos participantes acabam se rendendo ao FATO de que não possuem recursos valiosos e, portanto, não possuem diferenciais competitivos.
Daí a importância da Rede de Relacionamento, pois pode ser construída sem investimento financeiro.

Na minha pesquisa (os detalhes podem ser vistos AQUI) quase trinta tipos de recursos foram relacionados e analisados. Adivinhe qual recurso emergiu como o mais importante (aquele que está mais fortemente relacionado com o sucesso ou fracasso de uma pequena empresa de Engenharia)?

Isso mesmo: Rede de Relacionamento

Rede de relacionamentos parece, à primeira vista, ser um recurso determinante para escritórios de engenharia. Trata-se de um recurso valioso, na medida em que permite obter vantagem competitiva. Não é, necessáriamente raro, mas é imperfeitamente imitável, pelos três motivos possíveis (possui path dependence, tem ambiguidade causal e é socialmente complexo) e é não negociável.

Mas, preste atenção (repito aqui): rede de relacionamento não é rede de pescar. Não é teia de aranha. Não é rede de contatos pra se dar bem ou para ter pra quem pedir coisas, quando precisar. Nada disso!
Uma rede de relacionamentos é um conjunto de conexões consistentes que o indivíduo estabelece com pessoas com as quais ele interage, de forma ativa e generosa. Sim, eu disse GENEROSA! Você precisa se doar, ser útil, contribuir para o crescimento dos indivíduos que fazem parte da sua rede de relacionamentos.

Trocando em miudos: ter uma boa rede de relacionamentos significa possuir um grande patrimônio. Mas é um tipo de patrimônio que não pode ser comprado nem herdado. A rede de relacionamento de um indivíduo é um patrimônio individual (ainda que ele possa colocá-la à disposição dos interesses de filhos, irmãos ou mesmo de sócios da sua empresa). Ela segue o indivíduo. Se ele for o proprietário de uma empresa – de Engenharia ou de Arquitetura, por exemplo – essa rede pode ser considerada como uma rede da própria empresa.

Redes de Relacionamentos realmente importantes são baseadas na confiança. São construídos pela combinação de qualidades individuais, atitudes generosas e tempo. Muito tempo. Pois o tempo é o elemento catalisador da confiança. E a combinação de fidelidade e confiança é essencial à construção e sustentação das redes.

Além disso, a capacidade de lidar com a liderança também é importante. Significa saber liderar e saber ser liderado. Ter pulso firme quando a situação exige decisão e comando e ter humildade e boa vontade quando a situação requer subserviência.Isso, definitivamente, não é uma coisa simples. Mas é absolutamente indispensável para quem quer construir esse valiosíssimo patrimônio.

E por que uma Rede de Relacionamentos é tão importante para empresas de Engenharia/Arquitetura?
Simples: Serviços de Engenharia não são comprados ou consumidos por muitas pessoas, muitas vezes na vida. Portanto, não são de Consumo de Massa. Isso tira do “arsenal de possibilidades” um conjunto muito grande de ferramentas e recursos de gestão tradicional que são, via de regra voltados para produtos de consumo de massa. Um número muito reduzido de pessoas ou empresas são potenciais clientes de engenheiros. Nesse mercado não se pode contar com a experiência do cliente. Por melhor que seja um profissional ou uma empresa, por mais satisfeitos que fiquem os seus clientes, é sempre pouco provável que existam compras ou consumos sucessivos. Além disso, o fato de o produto não ser “de consumo de massa” torna inútil todos os principais recursos de comunicação com o mercado (mídia aberta, recursos de promoção de vendas, etc.), disponíveis para os empresários que trabalham com mercadorias por exemplo. Assim, resta às redes de relacionamento essa posição de recurso capaz de viabilizar estratégias tanto de gestão quanto de comunicação.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Artigo2011 ---Gestão de Carreira



Ilustração: http://blog.empregos.com.br/tags/networking/

Leia o artigo completo e deixe seu comentário.

Autor Convidado

COMO CONQUISTAR A CONFIANÇA DE UM CLIENTE
EM UM PRIMEIRO ENCONTRO?
(Dorys Daher)


DORYS DAHER
dorysdaher@hotmail.com






Na realidade nunca podemos ter certeza do sucesso do nosso primeiro encontro com um possível cliente. Se ele foi indicado por alguém que já conhece nosso trabalho, é fato que ele terá vindo com outra receptividade, mesmo assim não temos a certeza do sucesso desse encontro - entendendo-se como sucesso, nesse caso, o prosseguimento de uma negociação visando a contratação de nossos serviços.

Se por um lado a experiência nos ensina a lidar com a diversidade das pessoas, nos surpreenderemos com fatos em que nenhum raciocínio lógico pode explicá-los. São fatos emocionais. E se são emocionais não temos como compreendê-los. Percebemos que às vezes falamos “A” e o outro entende “B” ou vice-versa! Existem ditados populares que dizem que: “o Santo não cruzou” ou que “a química não deu certo” Não podemos deixar de considerar esses aspectos, talvez sobrenaturais e que não me sinto apta a desvendá-los, porém, sei da existência deles. O imponderável... no máximo podemos registrar a sua influência. Muitas vezes seguimos todos os itens de “como manda o figurino” e o resultado é péssimo!E o contrário também é verdadeiro!

Certa vez me dirigi a um possível cliente com um formal “Sr.” na frente do nome dele:“Como está, Sr. Willy”? E ele me respondeu com voz firme que eu havia o ofendido e que não gostou do meu tratamento formal a ele. Achou que foi feita uma brincadeira irônica com a idade dele!
Nem precisa dizer que nosso encontro acabou ali mesmo! Não houve nem primeiro, nem segundo encontro - houve apenas um início de encontro! Estranho, não? Pois é; coisas assim, por vezes, acontecem... paciência ... devemos prosseguir sem sentimento de derrota e sem questionar muito! Quando questionamos muito, talvez não encontremos respostas e a falta de resposta pode nos frustrar.

É evidente que quando vou ao encontro de um novo cliente, imagino como ele será e certamente ele pensa a mesma coisa de mim...Pensando nisso procuro seguir os mandamentos básicos com cuidado. Imaginar coisas não resolve muito, mas pode nos ajudar a fazer um breve exercício com base na PNL (programação neurolinguística).

Ensaiar determinadas situações, nos ajuda a diminuir a ansiedade. Por mais que tenhamos experiência, sempre temos alguma dúvida sobre o nosso comportamento, afinal de contas somos humanos e não podemos esquecer que por mais que nos apresentemos fortes, podemos fraquejar. Somos ora mais confiantes e ora menos confiantes. Estamos sujeitos a algumas variações no nosso dia-a-dia que fazem com que venhamos a agir de forma distinta da que gostaríamos. Querer se mostrar seguro é mais negativo do que mostrar-se realmente inseguro.

Acredito que não exista uma fórmula para o sucesso desse primeiro encontro. Como se portar nesse primeiro encontro? Sou adepta da espontaneidade, da honestidade nas palavras e da boa apresentação! São apenas três pontos, mas que reúnem tudo! Seja para recebê-lo em nosso escritório ou para ir ao encontro dele em outro local.

No primeiro encontro a gente pisa devagar num terreno que pode ser minado ou não, mas, aos poucos, vamos ganhando confiança e podemos nos soltar de forma segura sem perder a responsabilidade de um encontro profissional.

O relacionamento entre cliente e o profissional é uma questão muito delicada e também surpreendente. Às vezes temos absoluta certeza de que fomos perfeitos na nossa entrevista e nunca mais ouvimos falar daquele cliente. Nunca mais! Foi como se a entrevista não tivesse existido! O contrário também é verdadeiro. Saímos da entrevista certos de que o cliente não nos dará um retorno, pensando:“onde foi que errei, será que falei demais, será que falei de menos?” e já convencidos do insucesso, formulamos alguma frase de “auto ajuda”. Mas qual não é a surpresa ao recebermos um telefonema desse mesmo cliente dizendo que adorou o encontro e que quer receber uma proposta imediatamente para iniciar o trabalho. Entrevistas iniciais apresentam resultados imprevisíveis.

Hoje tenho adotado novos hábitos na primeira entrevista. Sei da minha obrigação de ir ao encontro do cliente e ver sua necessidade in loco. Porém, atualmente tenho procurado fazer o primeiro encontro em meu escritório, de forma que algumas questões importantes como credibilidade e empatia possam ser melhor avaliadas. Dessa forma, o cliente pode fazer uma “radiografia” da minha pessoa, do meu escritório, dos meus trabalhos e, da mesma forma, essa observação é feita por mim em relação a ele. Caso primeiro encontro tenha sido bem sucedido, aí então haverá uma reunião no ambiente a ser alvo do nosso trabalho.

Por vezes o cliente não está realmente interessado na contratação de um arquiteto. Quer apenas marcar um encontro para ver como é que é um “ arquiteto”. Como é que é essa “figura” do arquiteto, será que ele não poderá me dar umas dicas e eu, quem sabe, posso aproveitar a vinda dele aqui? Ou seja, é uma consultoria gratuita que o cliente quer. Aproveita a nossa visita para fazer um questionário de dúvidas que ele acumulou e muitas vezes já se basta com aquela “consultoria”, a qual não fui capaz de negar. A nossa paixão, dos arquitetos, por responder e tirar as dúvidas do cliente muitas vezes nos cega e nos faz perder a vez de uma consulta remunerada que em vários casos é mais do que suficiente. Era tudo que o cliente precisava!

Depois da conquista do cliente, não podemos esquecer dos outros encontros que virão e que serão vários. É comum ouvir de um cliente que o arquiteto no começo foi muito simpático, se mostrou bastante eficiente mas que, depois, abandonou o cliente! É uma situação bastante desagradável. Problemas sempre existirão e o que não podemos é fugir deles, mas, para evitar que o cliente venha a fazer esse tipo de comentário, o adequado uso do telefone celular e do e-mail são bons aliados – o que será objeto de outro artigo.

Muitas vezes nos surpreendemos com pessoas muito sorridentes e muitas vezes com pessoas extremamente sérias. Penso sempre que devemos esperar o cliente se manifestar para depois agirmos. Às vezes chegamos sorridentes e informais e somos obrigados a recolher nosso sorriso imediatamente ao percebemos que o cliente está sério e formal. A situação contrária também acontece. O cliente sempre tem razão! Seria da minha parte um pouco de falta de personalidade? Total! Aliás, aprendi que a melhor forma de termos personalidade é não tê-la! O que significa que os nossos próprios valores estão acima de quaisquer circunstancias.

Em geral acho que a situação comedida é sempre melhor, para que, num segundo encontro, tenhamos a chance de nos abrir um pouco mais, afinal de contas, aos poucos vamos ganhando liberdade para sorrir e contar histórias. Histórias tristes jamais devem vir á tona, devemos contar sempre histórias positivas e mostrar o nosso conhecimento para o objeto em questão, arquitetura, afinal estamos fazendo o encontro para discutir esse assunto; o que não impede que , no encerramento da reunião, não possamos descontrair, abordando outros assuntos interessantes, mas não esquecendo de, sempre, dar um toque de humor.






DORYS DAHER é arquiteta e urbanista. Dirige o escritório DG Arquitetura, no Rio de Janeiro e é autora do livro Cimento Batom e Pérolas - Quem tem medo de Arquiteto?

Nesta série que estamos publicando neste segundo semestre de 2014 teremos 10 artigos que serão publicados todas as quartas-feiras.

Faça um contato com a autora: dgarquitetura@dgarquitetura.com.br

Deixe AQUI seu comentário:

Anotações

CBIC LANÇA PORTAL SOBRE A CONSTATAÇÃO DE PROFISSIONAIS COM DEFICIÊNCIA NA CONSTRUÇÃO

O Fórum de Ação Social e Cidadania (FASC) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) lançou o hotsite "PDC na Construção" para orientar a contratação de profissionais com deficiência no setor da construção civil. A ferramenta foi apresentada durante o Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC).

A plataforma é útil em especial a empresas com número acima de 100 funcionários, já que elas têm obrigação legal de cumprir cotas de emprego para essas pessoas. Nela há orientações como: onde encontrar esses profissionais; como recrutá-los; como treinar a equipe para recebê-los e como adaptar o canteiro de obras para atender a todas as necessidades de acessibilidade.

"Mapeamos o Brasil inteiro. Pelo hotsite, é possível encontrar, em cada estado, quais são as associações que ajudam na inclusão de PCDs e onde há cursos de capacitação", afirma Ana Cláudia Gomes, presidente da FASC/CBIC.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site construcaomercado.pini

Comentários?

Anotações

BRASILEIROS PROJETAM TENDAS PARA ABRIGAR
REFUGIADOS NA ALEMANHA

Filantropos alemães buscam brasileiros para projetar moradias a refugiados chegados recentemente ao país. As guerras que acontecem na região do Oriente Médio, norte da África e Síria faz com que cada vez mais civis recorram à imigração, e, dentre os principais destinos, a Alemanha.

A proposta chegou a Nelson Fiedler, presidente da Fiedler Tenso Estruturas e engenheiro especializado na estrutura tênsil. Para quem vivia em containers e tendas improvisadas em acampamentos, como os recém-chegados ao país, o projeto que utilizaria a tecnologia faria muito bem.

Isso porque foi pensado para eles, que não estão acostumados com o frio do norte da Europa: os hubs têm isolamento térmico, além de acústico. Cada tenda comporta cerca de 140 pessoas, e custa aproximadamente R$ 1 milhão, metade daquilo que os alemães estavam investindo nas moradias.

Além disso, o seu formato remete à tradição cultural e arquitetônica árabe, e houve a preocupação em voltá-lo em direção à Meca. Há uma sala para rezas, e espaços em comum para a socialização no módulo com 40 metros de diâmetro.

Os quartos são protegidos com lonas duplas. O espaço garante todo o necessário para uma vivência digna: cozinha, banheiro comunitário. O piso é de madeira elevado.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site au.pini

Comentários?

Turista Acidental

FRANCA-SP

O Turista Acidental (Ênio Padilha) esteve em Franca-SP, para a palestra CARREIRA E EXERCÍCIO PROFISSIONAL - RESPONSABILIDADE E PRODUTIVIDADE com organização e promoção da Uni-FACEF Centro Universitário Municipal de Franca.





FRANCA


Franca é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo, com 323.307 habitantes, sede da microrregião de Franca e a 74ª maior cidade brasileira, é conhecida em todo Brasil como A Capital Nacional do Calçado Masculino.






O EVENTO E OS PARTICIPANTES


Promotor: Uni-FACEF
Palestra: Carreira e Exercício Profissional - Responsabilidade e Produtividade
Local e data: Auditório do Senai - 23/05 - 19h30





Veja as fotos do Turista Acidental:






O título desta seção é uma referência ao livro "O Turista Acidental" da escritora norteamericana Anne Tyler.

Veja mais fotos desta viagem

Concursos de Arquitetura

CODHAB-DF CONTRATA ARQUITETOS PARA CARGOS DE COORDENADOR E JÚRI DE CONCURSOS PÚBLICOS DE PROJETOS

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF) abriu edital para a contratação de profissionais de arquitetura e urbanismo nas funções de Coordenador Titular e membro do júri titular em Concurso Público Nacional de projeto executivo de arquitetura. As remunerações são de R$ 5.000 e de R$ 10.000 por cada certame finalizado.
Durante os 12 meses de vigência do contrato, serão oito concursos nas áreas do Sol Nascente, Paranoá Parque, Samambaia, Santa Maria e Sobradinho. Cada certame demandará uma dupla, a trabalhar no projeto por dois meses. Para isso, será necessária uma a contratação de 16 arquitetos.
Os candidatos a coordenadores devem apresentar propostas técnicas comprovando a prestação de serviços de organização e assessoria de Concursos Públicos Nacionais de Projetos de Arquitetura no Território Nacional e/ou Internacional. Já os interessados em se tornarem membros do júri deverão comprovar a prestação de serviços como jurado de Concursos Públicos Nacionais de Projetos de Arquitetura no Território Nacional e/ou Internacional, e mostrar ter sido classificado em concurso de projetos de arquitetura e urbanismo, mediante publicação em meio oficial.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site au.pini

Comentários?

Arquitetura

REVALORIZAR O EXERCÍCIO PROFISSIONAL
Haroldo Pinheiro

Desde sua fundação, o CAU realiza ações de valorização profissional. De todas, a que provocou mais reações foi a campanha para enaltecer arquitetos que dão valor ao seu trabalho e não cobram comissão por especificações.

De fato, a corrosiva prática mascarada pelo eufemismo “reserva técnica” se disseminou na arquitetura como em nenhuma outra profissão. Não se veem publicações festejando um médico que implantou mais próteses da indústria X, por exemplo.

Tal desvio ético vai além da relação entre cliente e profissional: induz a sociedade a crer que todos os arquitetos agem com interesses aquém da boa técnica, subtraindo a confiança necessária para a aceitação da especificação no projeto ou a contratação do serviço na obra. A RT arrasa a reputação dos profissionais e da própria profissão, e, enquanto existir, qualquer campanha será inócua.

Se convencemos órgãos públicos importantes a adotar nossa tabela de honorários profissionais, em simultâneo outros arquitetos contratam a preço vil apenas para dispor do meio (o projeto) para cobrar comissão.

Demonstramos que toda edificação se valoriza com arquitetos conduzindo projetos e obras (como a “dona Dalva”, por exemplo). Em contradição, crescem os clientes que removem o nome do autor do projeto dos desenhos antes de ir às lojas, para ter a RT como desconto para si próprios.

Reagimos a uma revista de circulação nacional que criticou arquitetos em geral porque um de nós mostrou compromisso maior com a RT do que com o cliente, entregando uma reforma cara e com defeitos. Mas o cliente (autor do artigo) repisa e diz que agora compra materiais pessoalmente e obtém desconto de 40% ao avisar que não há arquiteto e que a RT deve ser deduzida do preço.

Se colegas alegam que não há como repassar a RT como desconto ao cliente, só pioram as coisas, pois tal afirmação sugere que a comissão é paga e recebida via caixa dois. Em 2011, o Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) assinou um Termo de Ajuste de Conduta com os núcleos de lojistas do estado, no qual estes se comprometem a “não premiar, sob qualquer forma, mas principalmente através de vantagem pecuniária e concessão de bens e viagens nacionais ou internacionais, os profissionais (engenheiros, arquitetos, decoradores, designers de interiores etc.) (…) apenas pelo fato de eles direcionarem seus clientes – os consumidores – a efetuar compras nas lojas”, sob pena de pesadas multas.

A lei 12.378/2010 e o código de ética dos arquitetos também tratam esse desvio como passível de sanções, que vão da advertência à suspensão ou cancelamento do registro profissional. A ação do MPMS, a lei do CAU e o código de ética devem ser vistos como instrumentos de efetiva defesa e valorização da profissão.

Abolindo as comissões, seja no setor público ou na iniciativa privada, contribuiremos para a construção de um país mais límpido. Assim, em tempos de Lava-Jato, estaremos no melhor lado.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site caubr

Comentários?

Concursos de Arquitetura

CONCURSO DE IDEIAS PROPÕE QUE ESTUDANTES PROJETEM INFOPOINT NO RIO DE JANEIRO PARA OS JOGOS OLÍMPICOS

O Portal Projetar.org abriu as inscrições para um novo concurso de ideias para estudantes de arquitetura, agora voltado ao projeto de um Infopoint na orla da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, durante a Olimpíada de 2016. A cidade deve receber até 500 mil visitantes durante o evento.

Segundo a organização da competição, os Infopoints são centrais de informação turística, e são importantes para visitantes de todas as nacionalidades e para os moradores da cidade. A linguagem da construção deve ser singular, dialogando com a cultura local e diferenciando-se do horizonte urbano habitual.

Podem inscrever-se grupos de até cinco integrantes, compostos por estudantes brasileiros ou estrangeiros, devidamente matriculados em cursos de graduação em arquitetura no Brasil ou no exterior e que possam comprovar as suas matrículas.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site au.pini.


Comentários?

Engenharia

PLENÁRIO APROVA NOMES INDICADOS PELA COMISSÃO DO MÉRITO

Aprovadas pelo plenário do Confea as propostas apresentadas pela Comissão do Mérito que trazem inovações na escolha das indicações deste ano para receber as honrarias do Sistema Confea/Crea.

As 12 Medalhas do Mérito, entregues aos homenageados em vida, e a inscrição no Livro do Mérito, com os nomes das 12 homenagens póstumas, se somam à entrega de três Placas de Menção Honrosa, destinadas a entidades de representação profissional, ensino e pesquisa. Com isso, passa de 24 para 27 o total de homenageados.

Outra novidade é que todos os indicados – com exceção dos escolhidos – receberão um Diploma, a ser entregue pelo Crea do estado de origem da indicação.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site confea

Comentários?

Engenharia

CASA DE CRISTAL EM AMSTERDAN

Um vídeo divulgado pelo gabinete holandês MVRDV mostra parte do processo construtivo da deslumbrante Casa de Cristal na zona comercial de P.C. Hooftstraat em Amsterdan. É um dos primeiros edifícios do mundo com fachadas construídas quase inteiramente em alvenaria de blocos maciços de vidro.



Comentários?

Administração

COMO UM SIMPLES CONTROLE FINANCEIRO FAZ A DIFERENÇA
Rodrigo Silva

Nos dias de hoje mediante o cenário político, muitos tem apertado o cinto ou incorporando a sua rotina o controle financeiro, estas pessoas descobrem que um simples controle mensal pode mostrar o que você realmente está gastando de forma detalhada.

São planilhas, aplicativos, sites online, tudo está muito mais versátil e simples com as tecnologias atuais, é só descobrir a que melhor se adapta ao seu estilo e aderir a esta prática de ouro para não ficar no vermelho todos os meses.

Independente do modelo que você escolheu, é importante tornar esta gestão uma prioridade na sua vida, como pagar suas contas, fazer as atividades do seu trabalho, enfim, levar a sério, de nada adianta uma excelente ferramenta de controle se você não atualiza, não analisa e esquece que deve compartilhar com toda a família esta nova forma de encarar seu orçamento mensal.

Se você não tem muita simpatia por estes aplicativos supermodernos, comece com uma planilha simples de excel, com suas rendas, despesas, investimentos, mas tudo bem apontado, afinal, informações erradas, levam a analisar dados errados, o que pode te gerar uma falsa impressão que suas contas estão no azul, e na verdade, você está muito no vermelho.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site administradores

Comentários?