ARQUITETURA

SEGUNDO DIRETOR DA OIT, REVOLUÇÃO NO TRABALHO MUDARÁ COMPOSIÇÃO DAS CIDADES E AÇÃO DOS ARQUITETOS

(Publicado em 29/11/2018)



O futuro do trabalho resguarda uma nova realidade para as cidades e para os arquitetos e urbanistas. Segundo o diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, Martin Georg Hahn, as pessoas vão atuar de onde estiverem e haverá alteração até de carga horária. Com essa cultura, que ganha força por meio de novas tecnologias, a rotina dos arquitetos e urbanistas terá que se reinventar na forma de repensar a própria organização das cidades. Contudo, admite que “ainda é muito cedo para saber como vão se manifestar esses fatores”, mas acredita que, por exigir ação presencial, a arquitetura pode ter uma adaptação mais lenta do que outros tipos de atividade intelectual. Ele espera que uma sinalização mais clara sobre esse futuro venha de relatório da Comissão sobre o Futuro do Trabalho, que será divulgado pela OIT em janeiro de 2019. A ideia é que o documento sirva de base para tomada de decisões na próxima conferência da organização em junho. Participando de mesa de debate mediada pelo ex-presidente da FNA Newton Burmeister durante o no 42º Encontro Nacional de Sindicatos de Arquitetos e urbanistas (ENSA), ele debateu o mercado de trabalho, buscando exatamente trocar ideias com os arquitetos e urbanistas.



Para obter mais informações visite caubr

Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 54.81.69.220 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 58