BLOG DO ÊNIO PADILHA

O MUSEU DOS MUSEUS DO FUTEBOL

(Publicado em 07/01/2019)



Muitas cidades do mundo mantêm museus do futebol. São Paulo, Rio de Janeiro, Santos, Madri, Barcelona, Buenos Aires, Mexico, Manchester, Milão... Mas nenhum desses museus pode apresentar um item extremamente valioso: o campo do jogo final da primeira Copa do Mundo de Futebol. Esse privilégio cabe ao MUSEU DO FUTEBOL DE MONTEVIDEO, no Uruguai.





O Museu do Futebol de Montevideo foi o primeiro museu deste tipo do mundo e é considerado pela FIFA o único Monumento Histórico do Futebol Mundial.

Apesar disso, trata-se de um museu "simples", despretencioso, sem praticamente nenhum cuidado especial. O ambiente não é organizado como poderia ser, não tem recursos tecnológicos de som e imagens, o ar condicionado não funciona (o que torna alguns dos ambientes extremamente desconfortáveis) e não tem sequer um bar ou café à disposição dos visitantes.

Ainda assim recebe 80 mil visitantes por ano (ingressos a US$ 5,00). Isto se deve, certamente, ao valor e exclusividade dos itens que esse museu pode apresentar.

Pra começo de conversa, para os mais jovens é preciso dizer que o Uruguai foi a maior potência do futebol mundial durante toda a primeira metade do século XX. Não é pouca coisa: o time nacional venceu quatro das seis mais importantes disputas mundiais do período (Jogos Olímpicos de 1924 e 1928 e Copa do Mundo de 1930 e 1950). (O Uruguai não participou da Copa do Mundo de 1934, na Itália em represália as seleções européias que 4 anos antes nāo quiseram ir a sua copa em 1930. E não participou da Copa do Mundo de 1938, na França, em protesto pelo fato de ser realizada duas edições consecutivas da competição num mesmo continente — a Europa). Assim, pode se dizer que o Uruguai ganhou praticamente tudo o que disputou durante aquela primeira metade do século.

E muita coisa representativa daquele período está à disposição dos olhos e corações dos apaixonados por futebol: bandeiras, uniformes dos jogadores, bolas, medalhas e troféus... e aí abre-se um parêntesis para os mais valiosos deles, as réplicas da Taça Jules Rimet conquistadas pelo Uruguai em 1930 e 1950.

Um outro item chama atenção do visitante mais ligado às questões históricas. Eles preservaram a porta (magnífica, de madeira) e os móveis da sala de reuniões onde foi realizado o Congresso Técnico da primeira Copa do Mundo.

E, claro, não poderia faltar um espaço imenso dedicado à maior conquista do Uruguai no Futebol: a vitória sobre o Brasil no Maracanã, em 1950. Confesso que foi bem instrutivo revisitar esse acontecimento com os olhos dos vencedores.

E, de repente, abre-se uma porta do museu, e o visitante se vê na arquibancada de um dos estádios mais icônicos do mundo: o majestoso Estádio Centenário. O campo de jogo está ali, na sua frente. E você percebe que, na verdade, o estádio é muito menor do que você imaginava. O templo sempre aparece nas imagens como uma coisa grandiosa, cheia de glórias e histórias contadas milhares de vezes na TV, nos jornais e nos livros. Berço que gerou grandes ídolos, mitos, gigantes... e, de repente, é apenas um campo de futebol normal, cercado por arquibancadas simples, sem cobertura e sem absolutamente nada de sensacional. Por um instante (apenas por um instante) você pensa que está num lugar comum, sem nada de especial.

Mas a força daquele azul celeste logo nos devolve à realidade de que estamos diante de 90 anos de história. 90 anos de uma história espetacular. Não importa o que o estádio pareça. Aquele gramado e aquele concreto foram testemunhas da glória do melhor futebol do mundo, no seu tempo.

Enfim, o que eu quero dizer aqui é o seguinte: se você é fã de futebol, não deixe de conhecer o Museu do futebol de Montevideo. Talvez não seja o melhor. Talvez não seja o mais bonito nem o mais bem cuidado. Mas, com certeza, é o mais importante de todos, porque ele (e só ele) pode apresentar os itens mais antigos e valiosos da história da Copa do Mundo de Futebol.






MUSEU DO FUTEBOL DE MONTEVIDEO
Av. Ricaldoni s/n (embaixo da Tribuna Olímpica do Estádio Centenário)
Horários: de quarta a sexta das 10h às 17h. Sábados e domingos das 9h às 14h30.



DIVULGAÇÃO



PADILHA, Ênio. 2019

Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 54.144.75.212 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 204