ARQUITETURA

EMPREENDER ARQUITETURA



(Publicado em 09/01/2020) — Atualizado todas as semanas até 31/07/2020



A partir de janeiro de 2020, os arquitetos e urbanistas contarão com uma ferramenta on-line para capacitação em gestão: é o Empreender Arquitetura, novo projeto do CAU/SC que foi apresentado durante a Comemoração pelo Dia do Arquiteto e Urbanista 2019. Idealizado pela Comissão de Exercício Profissional (CEP), o projeto oferecerá uma série de 30 vídeos sobre empreendedorismo, estratégia e gestão de escritórios de Arquitetura. O conteúdo é produzido e apresentado pelo professor Ênio Padilha.

Os vídeos serão postados no canal do CAU/SC no Youtube. Cada novo episódio deverá ir ao ar na quinta-feira de cada semana.

O conteúdo é dividido em seis partes: Empreendedorismo e estratégia, Marketing, Produção, Pessoas, Financeiro e Palavra de Arquiteto, que apresentará depoimentos de profissionais sobre Tecnologia BIM, Registro e controle financeiro, ERP – Sistema integrado de gestão, Equipe de trabalho, Negociação e venda e Participação em entidades de classe.





Veja AQUI a página do projeto no Portal do CAU/SC.






VEJA, ABAIXO, O TEMA GERAL DOS 30 VÍDEOS DA SÉRIE
EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC

EMPREENDEDORISMO E ESTRATÉGIA
#01 EMPREENDEDORISMO NA ARQUITETURA
#02 ESTRATÉGIA EMPRESARIAL PARA ESCRITÓRIOS
#03 MODELO DE NEGÓCIO E PLANO DE NEGÓCIO
#04 CONTRATO SOCIAL
#05 LEGISLAÇÃO

MARKETING
#06 MARKETING DE SERVIÇOS
#07 SERVIÇOS DE ARQUITETURA CARACTERÍSTICAS
#08 COMUNICAÇÃO COM O MERCADO
#09 DIFERENCIAÇÃO COMPETITIVA
#10 NEGOCIAÇÃO 1 (Fundamento de um Arquiteto Vendedor)
#11 NEGOCIAÇÃO 2 (Obstáculos e armadilhas)
#12 NEGOCIAÇÃO 3 (A questão do preço)
#13 NEGOCIAÇÃO 4 (Técnicas e recursos)

PRODUÇÃO
#14 PRODUTOS
#15 TEORIAS DA PRODUTIVIDADE
#16 SISTEMAS E ALGORITMOS
#17 ROTINAS E AGENDA

PESSOAS
#18 CARREIRA e MARCA PESSOAL
#19 MARKETING PESSOAL
#20 GESTÃO DE EQUIPES DE TRABALHO

FINANCEIRO
#21 CUSTOS 1 (Custos invisíveis)
#22 CUSTOS 2 (Custos Empresariais)
#23 PRINCÍPIOS DE PRECIFICAÇÃO
#24 PRECIFICAÇÃO DE SERVIÇOS

PALAVRA DE ARQUITETO
PA-01 — TECNOLOGIA BIM
PA-02 — ERP - SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO
PA-03 — EQUIPE DE TRABALHO
PA-04 — REGISTRO E CONTROLE FINANCEIRO
PA-05 — A PARTICIPAÇÃO EM ENTIDADES DE CLASSE
PA-06 — NEGOCIAR E VENDER ARQUITETURA








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N01 - EMPREENDEDORISMO NA ARQUITETURA



Apresentação geral do projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC e uma introdução ao Empreendedorismo e Administração de Escritórios de Arquitetura com estratégias para o progresso contínuo e sustentável do negócio.

Durante muitos anos, nos cursos de graduação e de especialização, o arquiteto aprende a dominar a técnica e a arte da profissão. Mas não existe, em geral, um aprendizado formal para transformar esses conhecimentos em um negócio. Ou melhor ainda: um bom negócio. Um negócio de sucesso.

O CAU/SC, com uma visão inovadora, resolveu dar a sua contribuição para que arquitetos empreendedores possam transformar seus conhecimentos técnicos e sua visão de mundo em negócios lucrativos e sustentáveis.

É isso que teremos, nas próximas 30 semanas: esta série de vídeos com conteúdos sobre Empreendedorismo, Estratégia e Gestão para Escritórios de Arquitetura tem como objetivo despertar os profissionais para esse rico universo da Administração de empresas, tornando cada escritório mais eficiente e eficaz na busca do que todos nós queremos: o progresso contínuo e sustentável no mercado.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:43 — Pirâmide do Progresso Contínuo e Sustentável
5:50 — Características dos empreendedores
6:41 — O empreendedor, o técnico e o gerente
10:41 — Alternativas de trabalho para arquitetos
13:30 — A importância da Estratégia Empresarial



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N02 - ESTRATÉGIA EMPRESARIAL PARA ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA



Estratégia é uma dessas palavras que muita gente fala sem saber exatamente o que significa.

Pior ainda: a maioria dos pequenos empresários (de qualquer área) não tem a noção exata do poder de uma boa estratégia para o progresso e a sustentabilidade da sua empresa. Isso, claro, inclui os escritórios de Arquitetura.

Estratégia não é o projeto. Estratégia não é o plano. Estratégia não é o objetivo.

ESTRATÉGIA é aquilo que a empresa faz conscientemente no sentido de atingir os seus objetivos e cumprir a sua missão.

ADMINISTRAÇÃO pode ser entendido como a arte de transformar a ESTRATÉGIA em ROTINA. A maneira como uma empresa é administrada deve refletir a sua estratégia. Portanto, a estratégia é anterior à Administração





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:05 — Estratégia (conceito)
1:53 — Estratégia (exemplos)
3:45 — Fundamentos da estratégia
6:06 — Literatura sobre estratégia
6:54 — Análise das Forças Competitivas
10:32 — Análise dos Recursos da Empresa - RBV
12:58 — Diferencial Competitivo (definição)



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N03 - MODELO DE NEGÓCIO E PLANO DE NEGÓCIO



Modelo de Negócio e Plano de Negócio: muita gente acha que é a mesma coisa. Alguns consultores acham até que isso nem é tão importante assim. Mas o importante é entender que
1) São dois conceitos completamente diferentes e
2) São duas coisas absolutamente essenciais para um negócio. Qualquer negócio.

Entender o que é e para o que servem o Modelo de Negócio e o Plano de Negócio é o primeiro passo para um escritório de Arquitetura bem sucedido.

Clique na imagem ao lado para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
0:52 — Modelo de Negócio (conceito)
1:14 — Stakeholder
1:58 — Canvas
5:58 — Plano de Negócio (conceito)
7:35 — Plano de Negócio (aspecto físico)
8:01 — Introdução
9:52 — Discussão sobre o nome da empresa
12:28 — Atributos da Marca
13:32 — Custos
14:40 — Remuneração dos Sócios
15:35 — Equipe de trabalho
16:30 — Anexos



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM
Artigo: MODELO DE NEGÓCIO E PLANO DE NEGÓCIO








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N04 - CONTRATO SOCIAL



Existem muitos modelos de negócio que o arquiteto pode utilizar se quiser abrir o seu escritório de Arquitetura. Se ele optar por ter uma sociedade com outros profissionais ele terá de fazer um Contrato Social.

O Contrato Social é o documento de constituição da empresa. É muitíssimo importante. E muita gente não dá a ele o devido valor. Acaba deixando que um contador resolva. E acaba criando uma empresa com base num contrato social com 7, 8 ou 9 cláusulas que não fazem nenhuma previsão e não dão nem aos sócios e nem à empresa nenhuma proteção.

Este vídeo trata desse tema e apresenta um modelo de Contrato Social desenvolvido por Ênio Padilha para os contratantes do Protocolo 89 desde 2015.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:09 — Contrato Social (definição)
1:30 — Contrato Social Padrão (basicão)
2:25 — Contrato Social do Protocolo 89
2:54 — Principais objetivos de um Contrato Social
5:44 — Identificação dos sócios, da empresa e dos produtos
6:17 — Cotas de participação
6:25 — Cargos, funções, tarefas e responsabilidades
6:50 — Administrador da empresa
7:18 — Vendas internas de cotas
7:26 — Relatório anual do sócio administrador
7:52 — Distribuição dos lucros
8:00 — Saída ou exclusão de sócios
13:01 — Vantagens e benefícios aos sócios
13:55 — Sobre a obrigação de o sócio trabalhar na empresa
14:34 — Poder e garantias para os sócios minoritários
15:32 — Reunião anual e ata registrada



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM:
ADMINISTRAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA
PADILHA, Ênio. Administração de Escritórios de Arquitetura e Engenharia. 3.ed. Balneário Camboriú: 893 Editora, 2017. 200p.
Este livro foi escrito para profissionais e estudantes de Arquitetura e de Engenharia que estejam planejando abrir escritórios, sozinhos ou em sociedade com colegas profissionais. Veja AQUI.

Faça o download do MODELO DE CONTRATO SOCIAL (apresentado no vídeo)








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N05 - LEGISLAÇÃO



A regra é clara: "Ninguém poderá alegar o desconhecimento da lei". Trata-se de um princípio geral do Direito, que já era aplicado no Império Romano, seguiu sendo aplicado na Idade Média e é aplicado até hoje.

No Brasil esse princípio está consignado no DECRETO-LEI Nº 4.657, DE 4 DE SETEMBRO DE 1942 que é a Lei de Introdução às normas do Direito Brasileiro. Lá está escrito, no artigo 3o: "Ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece."

Portanto, a partir do momento que o arquiteto inicia o seu exercício profissional, logo após a sua formatura, ele está submetido a todas as leis federais, estaduais e municipais, além das resoluções, portarias, e outras regras estabelecidas por órgãos ou instituições legalmente autorizadas a fazê-lo.

É disso que trata este vídeo: da Legislação que precisa ser conhecida, entendida e seguida pelos arquitetos e urbanistas, no exercício da profissão.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
0:20 — Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro
1:30 — Constituição da República Federativa do Brasil
1:55 — Lei de Regulamentação da Arquitetura e Urbanismo no Brasil
2:25 — Estatuto da Cidade
2:57 — Parcelamento do Solo Urbano
3:05 — Acessibilidade
3:36 — Código de Vizinhança
4:24 — Lei de Defesa dos Direitos do Consumidor
5:04 — Resoluções do CAU/BR
6:54 — Legislação Municipal
7:45 — Plano Diretor
8:00 — Código de Postura e Código de Obras
8:38 — Trabalhos em Centros Históricos (IPHAN)
9:03 — Normas de Segurança
10:25 — Biblioteca do Escritório de Arquitetura



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube






LEGISLAÇÃO APRESENTADA NESTE VÍDEO


LEIS FEDERAIS

LEI N° 12.378 - de 31/12/2010
Regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo; cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – CAU/BR e os Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal – CAUs; e dá outras providências.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/L12378.htm

LEI N° 10.257 - de 10/07/2001 (Estatuto da Cidade)
Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. (Regulamenta o uso da propriedade urbana em prol do bem coletivo, da segurança e do bem-estar dos cidadãos, bem como do equilíbrio ambiental.)
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm

LEI N° 6.766 - de 19/12/1979
Dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6766.htm

DECRETO FEDERAL N° 5.296/2004
Dispõe sobre a obrigatoriedade de observação das normas de acessibilidade na aprovação de projeto de natureza arquitetônica e urbanística, de comunicação e informação, de transporte coletivo, bem como a execução de qualquer tipo de obra, quando tenham destinação pública ou coletiva; e dá outras providências
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Decreto/D5296.htm

NBR 9.050/2015 da ABNT
Trata da condições de acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.


CÓDIGO DE VIZINHANÇA
Capitulo V - do Código Civil - Dos direitos de vizinhança.
https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/
70327/C%C3%B3digo%20Civil%202%2 0ed.pdf

LEI No 8.078, de 11 de setembro de 1990.
Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8078.htm



RESOLUÇÕES DO CAU
Página (No portal da Transparência do CAU/BR) com links para todas as Resoluções do CAU/BR
https://transparencia.caubr.gov.br/resolucoes


RESOLUÇÃO N° 21/2012
Dispõe sobre as atividades e atribuições profissionais do arquiteto e urbanista e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/arquivos/resolucao21.pdf

RESOLUÇÃO N° 18/2012
Dispõe sobre os registros definitivos e temporários de profissionais no Conselho de Arquitetura e Urbanismo e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/arquivos/resolucao18.pdf

RESOLUÇÃO N° 26 - de 06/06/2012
Dispõe sobre o registro de arquitetos e urbanistas, brasileiros ou estrangeiros portadores de
visto permanente, diplomados por instituições de ensino estrangeiras, nos Conselhos de
Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal (CAU/UF), e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/resolucao26/

RESOLUÇÃO N° 09 – de 16/01/2012
Dispõe sobre o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) na prestação de serviços de arquitetura e urbanismo e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/arquivos/resolucao09.pdf

RESOLUÇÃO N° 67 - de 05/12/2013
Dispõe sobre os Direitos Autorais na Arquitetura e Urbanismo, estabelece normas e condições para o registro de obras intelectuais no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/arquivos/resolucao67.pdf

RESOLUÇÃO N° 93 - de 07/11/2014
Dispõe sobre a emissão de certidões pelos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal (CAU/UF) e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/arquivos/resolucao93.pdf

RESOLUÇÃO N° 22 - de 04/05/2012
Dispõe sobre a fiscalização do exercício profissional da Arquitetura e Urbanismo, os procedimentos para formalização, instrução e julgamento de processos por infração à legislação e a aplicação de penalidades, e dá outras providências.
https://transparencia.caubr.gov.br/resolucao22

RESOLUÇÃO N° 52 - de 06/09/2013
Aprova o Código de Ética e Disciplina do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR).
https://transparencia.caubr.gov.br/resolucao52



LEGISLAÇÃO MUNICIPAL

PLANO DIRETOR
Dispõe sobre possibilidades Zoneamento, Uso e Ocupação do Solo
(cada profissional deverá procurar pela legislação correspondente no website da sua prefeitura)

CÓDIGO DE POSTURA / CÓDIGO DE OBRAS
Dispõe sobre as normas que regulam a aprovação de projetos, o licenciamento de obras e atividades, a execução, manutenção e conservação de obras no Município, e dá outras providências.
(cada profissional deverá procurar pela legislação correspondente no website da sua prefeitura)


CIDADES COM CENTRO HISTÓRICO

Normativa no 01/2003 do IPHAN
Dispõe sobre a acessibilidade aos bens culturais imóveis acautelados em nível federal, e outras categorias, conforme especifica.
http://portal.iphan.gov.br/uploads/legislacao/
Instrucao_Normativa_n_1_de_25_de_novembr o_de_2003.pdf



NORMAS DE SEGURANÇA

NR 02 - Inspeção Prévia
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr2.Htm

NR 06 - Equipamentos De Proteção Individual – EPI
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr6.Htm

NR 10 - Segurança Em Instalações E Serviços Em Eletricidade
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr10.Htm

NR 18 - Condições E Meio Ambiente De Trabalho Na Indústria Da Construção
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr18.Htm

NR 23 - Proteção Contra Incêndios
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr23.Htm

NR35 - Trabalho Em Altura
http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr35.Htm










EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
PA-01 — PALAVRA DE ARQUITETO 1 — TECNOLOGIA BIM



Vídeo 01 da minissérie PALAVRA DE ARQUITETO (integra o projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC), com a participação dos arquitetos e urbanistas THIAGO HANEMANN, EDSON LIMA e JOSÉ DARÓS, tratando do uso da tecnologia BIM em Escritórios de Arquitetura.

Três letras (três letrinhas apenas) estão produzindo uma revolução no processo produtivo de escritórios de Arquitetura (e de Engenharia) no Brasil inteiro.
BIM — Building Information Model (Modelagem da Informação da Construção ou Modelo da Informação da Construção)

Esta tecnologia começou a ser desenvolvida, nos EUA, no final da década de 1970 mas só teve uma aplicação prática (comercial) quase vinte anos depois, no final dos anos 1980 (Edifício Virtual do ARCHICAD Graphisoft da Nemetschek) Mas só agora (no final dos anos 2010, é que essa realidade bateu com força na porta dos escritórios de Arquitetura no Brasil.

Quem foi meu aluno em cursos de Pós Graduação já sabe que eu sou um defensor da tecnologia BIM, desde 2009. Mesmo contra a corrente, eu sempre defendi que o BIM era o futuro.

Bom. O futuro já chegou e eu não tenho dúvidas. Nesses próximos anos todos os escritórios de Arquitetura terão de adotar (por bem ou por mal) à tecnologia BIM.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
2:36 — Quais as motivações para a transição para a Tecnologia BIM?
4:55 — Quais são os principais ganhos de produtividade e de qualidade
______do escritório derivados da Tecnologia BIM
7:00 — Diferenças entre a transição Prancheta - CAD (década de 1990)
______e CAD - BIM (década de 2010)
8:27 — Que tipo de cliente demanda por escritórios que já utilizam
______essa tecnologia?
11:05 — E que tipo de cliente ainda não vê nenhuma diferença entre
_______trabalhos realizados com a tecnologia CAD ou BIM?
12:28 — Conselhos dos colegas para quem ainda não fez a migração.
_______Como iniciar o processo de transição?
15:01 — O que esperar após o lançamento do decreto sobre a disseminação
_______do BIM no país?
16:30 — Como o cliente pode enxergar a tecnologia BIM na prática?
17:52 — Conclusões




Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube









EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N06 — MARKETING DE SERVIÇOS



Vídeo número 06 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Apresenta o conceito de Marketing, a contextualização histórica e a sua aplicação ao campo da Prestação de Serviços

==========================
Este vídeo apresenta "o tal do Marketing".

E, já que vamos falar de marketing, tem algumas perguntas que são importantes: como foi que chegamos a isso? Como foi que chegamos ao marketing? Onde foi que tudo começou? O que temos depois do marketing?

Além de responder a essas perguntas tem outra, ainda mais importantes quando o assunto é Marketing para Arquitetura: por que o marketing para a prestação de serviços é muito mais complicado do que o marketing de outros produtos, como as mercadorias em geral?

O vídeo traz ainda (bem no início) uma contextualização histórica, contando 500 anos de história das relações entre que produz e quem consome mercadorias e serviços.

É disso que trata este vídeo: O MARKETING DE SERVIÇOS.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:16 — Contextualização histórica
5:52 — Teoria dos Stakeholders
7:52 — Definição de Marketing
8:58 — As quatro grandes áreas da Administração
9:19 — Mercado (infográfico)
10:53 — Definição de Serviço
12:10 — Características da Prestação de Serviços
12:27 — Intangibilidade
14:23 — Inseparabilidade
14:43 — Variabilidade
15:24 — Inarmazenabilidade
16:23 — Improtegibilidade
17:22 — Precificação Subjetiva
18:21 — Soluções de Marketing para cada característica



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




Autores, livros e instituições citados durante o vídeo:

ROBERT EDWARD FREEMAN

AMERICAN MARKETING ASSOCIATION

MARKETING DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS - Philip Kotler

MARKETING PARA ENGENHARIA E ARQUITETURA - Ênio Padilha

=============================
Leia também:

CARACTERÍSTICAS DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.
Este arquivo contém os capítulos 1 e 2 (50 páginas) do primeiro livro (9ª edição) de Ênio Padilha. Explica de forma clara e didática o que é o marketing e como ele se aplica à prestação de serviços. Também apresenta as seis características da Prestação de Serviços (qualquer serviço) e outras quatro características próprias dos serviços de Arquitetura e de Engenharia, bem como as implicações dessas características para o marketing;











EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N07 — SERVIÇOS DE ARQUITETURA: CARACTERÍSTICAS



Vídeo número 07 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Apresenta as características dos serviços de Arquitetura bem como seus impactos no Marketing.

===========================
Além das seis características da prestação de serviços (já vistas e analisadas no vídeo #06 — Marketing de Serviços) a prestação dos serviços de Arquitetura está submetida a outras quatro características:

1) É um produto de consumo restrito (não é um produto de consumo de massa);
2) É um produto com alto componente intelectual;
3) É um produto intermediário (não é um produto final)
4) É um produto cujas vantagens e benefícios não são evidentes ao cliente.

Não é nada fácil fazer marketing eficaz e eficiente para um produto com essas características. E é disso que trata este vídeo: O MARKETING DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:36 — Características da Prestação de Serviços
2:08 — Características da Prestação de Serviços de Arquitetura
2:58 — Produto de consumo restrito (não é um produto de consumo de massa);
5:49 — Produto com alto componente intelectual;
9:46 — Produto intermediário (não é um produto final)
13:15 — Produto cujas vantagens e benefícios não são evidentes ao cliente.
15:50 — Soluções de Marketing para cada característica



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




IMPORTANTE:
Os conceitos apresentados neste vídeo foram apresentados pela primeira vez (no Brasil) na 5ª edição do livro MARKETING PARA ENGENHARIA E ARQUITETURA. Desde então têm sido adotados por diversos autores, em dissertações, teses e livros sobre o tema.


Leia: CARACTERÍSTICAS DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS.
Este arquivo contém os capítulos 1 e 2 (50 páginas) do primeiro livro (9ª edição) de Ênio Padilha. Explica de forma clara e didática o que é o marketing e como ele se aplica à prestação de serviços. Também apresenta as seis características da Prestação de Serviços (qualquer serviço) e outras quatro características próprias dos serviços de Arquitetura e de Engenharia, bem como as implicações dessas características para o marketing;


Leia o artigo NINGUÉM GOSTA DE CONTRATAR ENGENHEIROS OU ARQUITETOS










EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N08 — COMUNICAÇÃO COM O MERCADO



Vídeo número 08 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Trata da comunicação com o mercado para os Escritórios de Arquitetura.

===========================
Teorias da comunicação são estudos acadêmicos que pesquisam as origens, os efeitos e o funcionamento do fenômeno da Comunicação Social em seus aspectos tecnológicos, sociais, econômicos, políticos e cognitivos.

Envolvem cientistas e pesquisadores das áreas de psicologia, filosofia, sociologia e de outras áreas de conhecimento.

Neste vídeo não temos a intenção de ensinar como é que se lida com as principais redes sociais, porque já existem centenas de colegas que sabem fazer isso e ensinar isso muito bem como tirar o melhor proveito dessas redes, com as suas métricas e com as suas regras internas. Eu mesmo aprendo muita coisa com eles.

Mas uma coisa é fundamental e que vale para qualquer uma dessas redes. Vale para qualquer uma dessas portas que você abrir nesse imenso território virtual que é a Internet: esteja lá para atender. Atenda a todos que baterem à suas portas. Se alguém (um potencial cliente) mandar um e-mail, responda; Mandou mensagem no WhatsApp, responda; Interagiu com você numa das redes sociais, dentro dos limites das relações profissionais, não deixe ninguém no vácuo.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
0:12 — Páginas Amarelas das Listas Telefônicas
4:04 — Por que aprender Teorias
5:10 — Teoria de Aristóteles para a Comunicação
5:43 — Teoria da Agulha Hipodérmica
7:00 — O modelo Lasswell
9:49 — Quadrante da Comunicação para Arquitetura
12:51 — Propaganda boca-a-boca
21:28 — Comunicação e Estratégias Empresariais



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N09 - DIFERENCIAÇÃO COMPETITIVA



Vídeo número 09 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Trata da Diferenciação Competitiva para os Escritórios de Arquitetura.

===========================
Quando, nos meus cursos, eu peço que os profissionais falem dos seus DIFERENCIAIS COMPETITIVOS, as respostas, invariavelmente são sempre as mesmas:
• agilidade
• flexibilidade
• desembaraço
• qualidade do projeto
• nível de detalhamento dos projetos
• uso de maquete eletrônica para apresentar o projeto
• criatividade
• autoconfiança
• originalidade
• competência
• nível de atualização
• comprometimento
• estilo próprio
• atenção dada aos clientes
• cumprimento dos Prazos
• conhecimento tecnológico
• facilidade de comunicação

Esses são os “diferenciais competitivos” citados pelos profissionais.

Só tem um problema: praticamente nenhum desses atributos pode ser considerado realmente, um diferencial competitivo. Os profissionais dão essas respostas erradas por desconhecer o verdadeiro significado do termo e os conceitos que estão envolvidos quando o assunto é Diferencial Competitivo e Vantagem Competitiva.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:43 — Vantagem Competitiva (definição)
3:02 — RBV (Visão da Empresa Baseada em Recursos)
3:19 — Recursos (definição)
4:13 — Recursos importantes (definição)
5:43 — Recursos valiosos
7:47 — Diferenciais Competitivos (definição)
11:20 — Natureza dos Recursos
11:39 — Recursos de capital material
12:20 — Recursos de capital humano
13:50 — Recursos de capital organizacional
15:20 — O conhecimento está nos livros
16:20 — Diferencial Competitivo natural — o tempo



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM:

Leia o artigo DIFERENCIAL COMPETITIVO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA/ENGENHARIA


Leia também os primeiros dois capítulos da dissertação UMA ANÁLISE DA HETEROGENEIDADE DE PEQUENAS EMPRESAS À LUZ DA VISÃO BASEADA EM RECURSOS: O CASO DOS SERVIÇOS PROFISSIONAIS DE ENGENHARIA.


Clique na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube










EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
PA-02 — PALAVRA DE ARQUITETO 2 — ERP



Vídeo 02 da minissérie PALAVRA DE ARQUITETO (integra o projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC), com a participação das arquitetas e urbanistas BEATRIZ BERGLER e MARIA HELENA LOCH PADILHA, tratando do uso de ERP em Escritórios de Arquitetura.

===========================
ERP (Enterprise Resource Planning), no Brasil também conhecido como SIGE (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial) são sistemas, geralmente softwares aplicativos, utilizados pelas empresas para fazer registro e controle de TODAS as atividades da empresa de forma integrada.

Assim, por exemplo, as informações registradas durante uma negociação são integradas (automaticamente) ao registro do serviço, caso o contrato seja efetivado.

E todas as informações do andamento do serviço são integradas ao controle financeiro e ao registro das atividades da equipe de trabalho… e tudo integrado às determinações estratégicas da empresa.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
0:04 — ERP (definição e conceito)
2:09 — ERP (infográfico)
2:18 — ERP (exemplos)
3:54 — Principais barreiras para o uso de ERPs
5:46 — Principais benefícios do uso de ERPs
7:10 — O mito de que o ERP é coisa de grandes empresas
8:23 — Tempo: um insumo essencial
8:45 — Recomendações para os mais jovens
9:40 — ERP não é uma ferramenta de concepção de Estratégia



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube










EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N10 — FUNDAMENTOS DE UM ARQUITETO VENDEDOR



Vídeo número 10 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Apresenta os Fundamentos necessários para que um arquiteto se torne um bom vendedor dos seus trabalhos.

===========================
Toda profissão tem seus fundamentos. O exercício da Arquitetura, por exemplo, exige o domínio TOTAL de coisas como DESENHO, ARTE, GEOMETRIA, PERCEPÇÃO ESPACIAL e SOCIOLOGIA.

Mas, para ser VENDEDOR dos serviços de Arquitetura são necessários outros fundamentos, não menos importantes. A falta desses fundamentos pode transformar um ótimo arquiteto em um fracasso como empresário do seu próprio produto, uma coisa que ninguém quer.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:11 — Fundamentos (conceito e exemplos)
2:29 — Diferença entre um vendedor profissional e um arquiteto vendedor
3:30 — 10 Fundamentos de um arquiteto vendedor



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM:

Artigo: FUNDAMENTOS DE UM BOM VENDEDOR DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA OU ENGENHARIA
(texto integral do capítulo 6 do livro NEGOCIAR E VENDER SERVIÇOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA)


Clique na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N11 — OBSTÁCULOS E ARMADILHAS NAS NEGOCIAÇÕES
DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA



Vídeo número 11 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Apresenta os principais obstáculos e armadilhas que atrapalham os profissionais durante uma negociação de serviços de Arquitetura.

===========================
Negociar e vender serviços de Arquitetura não é fácil.

Afinal, não se trata de vender ingressos para a final da Copa do Mundo. Não é um produto com mais gente querendo comprar do que a disponibilidade do profissional?

Depois que uma negociação se estabelece, muitos obstáculos e armadilhas surgem no caminho e precisam ser identificadas e tratadas adequadamente.

Elaboramos aqui uma lista com os 10 maiores obstáculos enfrentados pelos profissionais durante uma negociação.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:20 — Como a lista foi produzida
2:31 — Lista das dificuldades "normais"
3:29 — Lista das dificuldades ligadas à questão do preço
5:19 — Discussão detalhada de cada uma das dificuldades
18:46 — Conclusões



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM:
Artigo: FUNDAMENTOS DE UM BOM VENDEDOR DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA OU ENGENHARIA
(texto integral do capítulo 6 do livro NEGOCIAR E VENDER SERVIÇOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA)








EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N12 — A QUESTÃO DO PREÇO



Vídeo número 12 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Apresenta a principal dificuldade enfrentada por arquitetos durante as negociações com os seus clientes: a questão do preço.

===========================
Durante uma negociação de serviços de Arquitetura muitas coisas podem se tornar obstáculos, armadilhas ou dificuldades.

Neste vídeo vamos tratar da principal dificuldade apontada por arquitetos, de norte a sul de leste a oeste do Brasil: A QUESTÃO DO PREÇO.

Por que o preço é um obstáculo tão difícil de ser transposto?
Por que os clientes são tão sensíveis ao preço nas negociações de serviços de Arquitetura?
E, principalmente, por que tantos profissionais ficam paralisados diante desse problema?





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
1:28 — As principais objeções apresentadas pelo cliente referentes ao preço
2:12 — Definição de Cliente Sensível ao preço
3:25 — Exercício sobre compras por preço
5:49 — Motivos que levam um cliente a ser sensível ao preço
12:49 — Diferenciação Competitiva
15:44 — Frank Bettger



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




Livro citados durante o vídeo:

BETTGER, Frank. Do Fracasso ao Sucesso na Arte de Vender
amazon.com

LEIA TAMBÉM
Artigos da série A QUESTÃO DO PREÇO





EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N13 — TÉCNICAS E RECURSOS DA NEGOCIAÇÃO DE SERVIÇOS DE ARQUITETURA



Vídeo número 13 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Trata das Técnicas e Recursos que funcionam (ou podem funcionar) nas negociações de Serviços de Arquitetura.

===========================
Durante uma negociação o que se deseja é afastar o potencial cliente da concorrência, convencê-lo de que somos a melhor alternativa.

Também é objetivo da negociação, claro, conquistar o cliente e obter a venda, com resultado positivos para o profissional (ganhos reais em dignidade, qualidade de vida, valorização profissional).

Neste vídeo apresentamos 15 Técnicas e Recursos (não dicas nem truques) que podem funcionar durante uma Negociação de Serviços de Arquitetura.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
2:00 — Histórico de construção da lista de Técnicas e Recursos
3:30 — Dar mostras de estabilidade profissional ou financeira
4:37 — Conversar sobre amenidades
6:22 — Apresentar uma lista de trabalhos já realizados
7:11 — Apresentar imagens de trabalhos já realizados
8:13 — Levar o cliente para visitar obras em andamento
9:11 — Apresentar propostas comerciais claras
10:50 — Evitar o velho truque da gordurinha no preço
12:26 — Estimular o cliente a buscar informações com os seus antigos clientes
13:49 — Se possível, tentar fazer com que a negociação seja fora do território do cliente
15:01 — Levar alguém da sua equipe na negociação
17:10 — Discutir os benefícios e as vantagens do seu trabalho para o cliente
18:55 — Antecipar-se quanto às objeções mais comuns dos clientes
20:09 — Incluir no trabalho uma boa e completa Lista de Compras
21:04 — Considerar a possibilidade de aceitar o escambo
22:14 — Nunca deixar para o cliente a responsabilidade pelo agendamento do próximo contato



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM
TÉCNICAS E RECURSOS QUE PODEM FUNCIONAR NA HORA DE NEGOCIAR E VENDER SERVIÇOS DE ARQUITETURA E DE ENGENHARIA







EMPREENDER ARQUITETURA — CAU/SC
N14 — PRODUTOS



Vídeo número 14 do Projeto EMPREENDER ARQUITETURA do CAU/SC. Apresenta o conceito de produto em escritórios de Arquitetura e descreve a diferenças essenciais entre Projeto, Consultoria e Assessoria.


===========================
Se você possui um Escritório de Arquitetura então você oferece (fornece) algum produto ao mercado.
Você sabe quais são os produtos do seu escritório? Ou melhor, você sabe quais podem ser os produtos do seu escritório?

Administração da Produção pode ser definida como a gestão do conjunto de atividades (processos) que transformam insumos (recursos) em bens e serviços (produtos) que serão disponibilizados pela empresa para comercialização.





LINHA DO TEMPO DESTE VÍDEO
0:49 — Administração da Produção - Definição
2:03 — Definição de Produto
3:40 — Produtos de um Escritório de Arquitetura
4:31 — Projeto técnico
5:28 — Consultoria
6:26 — Assessoria
7:44 — Entender os produtos impacta a precificação
8:40 — Custo essencial de cada tipo de produto
9:30 — Escopo
10:24 — Infográfico do processo de transformação de insumos em produtos num Escritório de Arquitetura



Clique AQUI ou na imagem acima para ver o vídeo completo no canal do CAU/SC no YouTube




LEIA TAMBÉM:
Livros citados durante o vídeo:

ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO
Nigel Slack (Autor), et al.



Artigo:
PROJETO, CONSULTORIA, ASSESSORIA ALHOS E BUGALHOS

Comentários

#1Elizabeth Lambrecht, arquiteta, Pelotas

domingo, 23 de fevereiro de 2020 - 16h55min

Boa Tarde Enio, tenho acompanhado essa serie de videos, q estão o t i m o s !!! Muito bem explicados, conduzidos e os assuntos bem escolhidos, parabens!!! Sempre fico na expectativa do novo video, obrigada por compartilhar td esse conhecimento.

Comentário do Ênio Padilha

Obrigado, Elizabeth. Fico feliz que você esteja gostando. O trabalho todo foi feito com muito cuidado e muito profissionalismo.

#2Jefferson Santana, Arquiteto, São Bernardo do Campo

terça-feira, 02 de junho de 2020 - 16h44min

Ótimos vídeos, tenho quase todos os livros do Profº Ênio, aguardo os outros vídeos desta série estarem disponíveis.

Meu agradecimento a todos os envolvidos que transformam para melhor o mercado da Arquitetura a cada dia.

Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 3.233.229.90 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 381