ADMINISTRAÇÃO DE MERCADO (MARKETING)

A COMUNICAÇÃO COM O MERCADO DE
ENGENHARIA E ARQUITETURA


Quando se trata de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, propaganda e publicidade
é um assunto muito sério. E nem sempre necessário.

Há quem diga que “a propaganda é a alma do negócio”. Eu não concordo totalmente. Acho que a frase correta é “a propaganda é a alma de alguns negócios”. E não é o caso dos negócios de Engenharia e de Arquitetura. Podemos ter excelentes estratégias de marketing sem fazer propaganda dos nossos produtos.
Isto não quer dizer, no entanto, que a Promoção do produto não precise ser feita ou que a comunicação com o mercado possa ser desprezada. Absolutamente.

Ocorre que é possível promover a empresa e o produto estabelecendo uma política de comunicação com o mercado que seja eficiente e eficaz.

No que diz respeito à Comunicação com o Mercado (promoção do produto, publicidade, propaganda...) o pecado mais evidente cometido pelos engenheiros e arquitetos é o de utilizar a mídia errada. Para ser mais específico: o erro mais comum é utilizar a mídia tradicional: rádio, televisão, jornais e revistas.

A questão básica é que engenheiros e arquitetos, geralmente, são responsáveis por pequenas empresas fornecedoras de serviços. Empresas com essas características, normalmente não dispõem de um grande aporte de verba para publicidade e propaganda. Portanto, os poucos recursos dispo-níveis precisam ser aplicados com uma "pontaria" muito bem ajustada.

Não se pode atirar para todos os lados, porque fazer isso custa muito caro.

A mídia tradicional é composta de veículos de comunicação de massa (jornal, rádio, revistas e televisão). É um conjunto de canais de comunicação excelente para quem produz e fornece ao mercado produtos de consumo de massa.

A relação "custo x benefícios" do investimento em televisão, rádios, jornais e revistas só é boa quando o produto anunciado é um produto de consumo de massa.

Produtos de consumo restrito (como é o caso dos serviços de engenharia e de arquitetura) precisam utilizar mídias alternativas para ter um investimento mais racionalizado.
Essas mídias são (entre muitas outras)
- A mala direta;
- Os jornais corporativos;
- As revistas especializadas;
- Eventos;
- Participação em Feiras e Congressos;
- A participação em Entidades de Classe;
- O Press release (para a mídia tradicional);
- O próprio cartão de visitas;

No livro “Marketing para Engenharia, Arquitetura e Agronomia” é feita uma análise mais detalhada a respeito de como utilizar cada uma dessas mídias e seis efeitos possíveis.
Aqui, cabe apenas ressaltar o fato de que nosso tipo de produto e o tipo de mercado a que ele se destina requer uma comunicação direta com o cliente.
A mídia aberta (que atira pra todo lado) tem, via de regra, um custo muito alto, incompatível com os resultados obtidos quando o produto é, como o nosso, de consumo restrito.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | ep@eniopadilha.com.br




DIVULGAÇÃO

Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 34.231.247.139 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 3024

Desenvolvido por Área Local