ELEIÇÕES CONFEA/CREA 2014

NÃO TEM PERIGO DE DAR CERTO

Há pouco menos de duas semanas (dia 26/10/2011) os arquitetos realizaram a primeira eleição geral para escolher seus representantes nos Conselhos Regionais e Federal de Arquitetura e Urbanismo.
Conforme pudemos acompanhar (e de acordo com a nota publicada Site do CAU no dia 31/10/2011, "em todos os Estados e no DF, as eleições foram tranqüilas e não foi registrado nenhum incidente por nenhuma das 27 Comissões Eleitorais. A auditoria acompanhou todo o processo no dia da eleição e já assinou a ata de encerramento do processo de votação, não sendo registrado qualquer problema técnico ou de integridade da eleição."

O resultado da eleição foi publicado no mesmo dia, por volta de 21 horas e, ainda segundo a mesma nota oficial do CAU, não há qualquer pendência judicial que possa comprometer os resultados obtidos nas votações.

A votação foi realizada pela internet e obteve a participação de 56.618 arquitetos, o que corresponde a 53,32% do colégio eleitoral dos arquitetos brasileiros.

Palmas para os Arquitetos!!!

Ontem, 08/11/2011, foi realizada a eleição no sistema Confea/Crea.
A eleição foi feita por urnas eletrônicas (até quando, Meu Deus?!)
A participação não chegou nem perto dos 15% dos profissionais aptos a votar;
Não temos a menor ideia de quando teremos os resultados finais;
Ações judiciais cancelaram as votações no maior estado da federação;
Advogados fazem a festa e faturam alto;

Cada vez mais os profissionais do campo, que pagam anuidades e taxas de ART se afastam do sistema, com nojo e desprezo, pela maneira como as coisas são conduzidas, de forma egoista, mesquinha e gananciosa por TODAS AS PARTES ENVOLVIDAS.

Não se salva ninguém!!!

E não tem perigo de dar certo.

ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | ep@eniopadilha.com.br

Comentários

#1dico cordeiro, engenheiro civil, fortaleza

quarta-feira, 09 de novembro de 2011 - 11h20min

gostei da maneira inteligente, clara e corajosa com a qual você abordou esse assunto, concordo plenamente com o que foi colocado, principalmente quando você diz que os profissionais estão se afastando da entidade por pura decepção com o sistema.
parabéns pela maneira independente com que se pronuncia na defesa da nossa categoria.
um grande abraço

Comentário do Ênio Padilha

Engenheiro Cordeiro

Infelizmente, no nosso sistema, ser independente às vezes me custa caro. Porque algumas "lideranças" levam tudo pro lado pessoal e não sabem lidar com opiniões contrárias.
Mas, como eu digo num dos artigos do meu livro mais recente (LER E ESCREVER), "É o preço que eu pago. É o preço que eu estou disposto a pagar para não ser omisso"

#2Igor de Mendonça Fernandes, Engenheiro Mecânico, Brasília-DF

quarta-feira, 09 de novembro de 2011 - 15h14min

Prezado Ênio,

Não podemos esquecer que a eleição do CAU impôs um custo social novo de aproximadamente mais de R$ 15.000.000, já que a nova Autarquia terá que cobrar as multas referentes ao não comparecimento dos eleitores. Está previsto em Lei.

O termo "nojo e desprezo" me parece inadequado e exagerado, pois toma-se como verdade geral uma opinião singular do autor.

Por último, foram registrados problemas nas eleições do CAU. Desde a listagem dos eleitores até a posse, que ainda não tem data concreta para acontecer.

Saudações,

Igor Fernandes

Comentário do Ênio Padilha

Engenheiro Igor
Os dados relativos à eleição do CAU estão baseados nas notas (oficiais) do site da entidade. A data de posse está marcada, sim (para o dia 17/11/2011). O senhor tem alguma informação em contrário?

Quanto aos termos "nojo e desprezo", quem me conhece sabe muito bem que esta não é a minha opinião. Eu até que tenho pelo sistema uma boa consideração. O que faço aqui é uma leitura da opinião colhida dos profissionais do Brasil inteiro com os quais me relaciono nos meus cursos e palestras.
E, amigo, posso dizer que, em alguns casos, "nojo e desprezo" é pouco. "Ódio" seria um termo bem mais apropriado.

Repito aqui, para que não fique nenhuma dúvida: não compartilho desse sentimento. Apenas o identifico entre os profissionais. E acho que seria muito bom que o Confea e os Creas também prestassem atenção a isto.


#3Thiago de Miranda, Funcionário CREA RS, *faltam 5 disciplinas para me formar engenheiro!, São Leopoldo

quinta-feira, 10 de novembro de 2011 - 03h27min

Não é bem assim... "Parabéns aos Arquitetos"...?
Também existe podridão no CAU. E muita!
Aqui no RS aconteceu algo muito estranho. Pelo menos na inspetoria em que trabalho foram muitos os arquitetos que alegaram não terem recebido a senha para votar. O que, pelos números, não ocorreu homogeneamente em todo o território nacional.
O interessante é que os profissionais que não receberam foram justamente os mais ativos... Inclusive o Inspetor Chefe de São Leopoldo.
Mais "interessante" ainda é que esta região do Vale do Sinos tinha uma chapa organizada... Eles perderam para a chapa do IAB, que parecem ser os únicos arquitetos felizes com a criação do CAU.

Apenas uma colocação (com todo o respeito) sobre a opinião do colega Igor acima:
Como funcionário do CREA, e atendendo profissionais o dia todo, eu percebo SIM o "nojo e desprezo" da maioria! Além de "'Ódio", "Revolta", "Indignação" e tudo mais...

Comentário do Ênio Padilha

Thiago
Infelizmente o CAU herdou algumas práticas e comportamentos que podem (na minha opinião) comprometer o futuro da instituição. A formação de grupos com desejos de poder maior do que o desejo de desenvolver verdadeiramente a profissão é um desses males.

O Sistema Confea/Crea, infelizmente, está cheio desses grupos. Eles buscam o poder (algumas vezes à qualquer custo) com objetivos que estão muito distantes da valorização dos profissionais. Muitas vezes, infelizmente, para dar sustentação e suporte a partidos políticos ou suas facções.

Eu torço, sinceramente, para que o CAU se livre dessa praga do aparelhamento institucional. Para o bem da Arquitetura brasileira.


#4José Luiz Monteiro, engenheiro de minas , Arcos

quinta-feira, 10 de novembro de 2011 - 09h05min

Defendemos em todas as fases do congresso de 2010 a mudança para o voto pela internet, o que foi derrotado em Cuiabá, na votação nacional. Entendo que foram as forças conservadoras, enraizadas no poder, que impediram. Repetição a nível classista da "Diretas Já" de 1984.

Não ví nenhum candidato ao Confea combatendo esse sistema eleitoral medieval e maldoso.
José Luiz Monteiro
Inspetor Crea-MG

Comentário do Ênio Padilha

José Luiz
Os Congressos acabam por legitimar as práticas e procedimentos que perpetuam as mazelas.
A coisa tá feia, amigo!

#5Luiz Roberto Marques, engenheiro civil, Matão-SP

quinta-feira, 10 de novembro de 2011 - 13h33min

Pois é. O Sistema Confea/Crea, salvo honrosas exceções, parece o nosso regime/sistema político partidario: omite-se de sua missão de reger e administrar as atividades dos profissinais da área tecnológica por ações com vistas a interesses proprios ou de grupos.

#6Ênio Padilha, Engenheiro, Balneário camboriú - SC

sexta-feira, 11 de novembro de 2011 - 11h09min

ESTRANHO, PRA DIZER O MÍNIMO
Um conselheiro Federal (do Confea) me disse, hoje pela manhã, que essa história de que a eleição para Confea/Crea em São Paulo foi anulada/cancelada... "é mero boato!"
Que "está tudo certinho". Que "a eleição transcorreu normalmente no estado inteiro" e que "isso é tudo história inventada, por interesses excusos".
Só informo isso aqui porque ouvi, repito, de um CONSELHEIRO FEDERAL.

Mas é estranho, pois tudo que está escrito neste post e nos meus comentários seguintes foram tirados de NOTA publicada no site do Confea. Nota que, até o momento não foram retiradas do portal e nem desmentidas ou complementadas

#7Ênio Padilha, Engenheiro, Balneário camboriú - SC

terça-feira, 22 de novembro de 2011 - 10h18min

Ontem, 21/11/2011, estava em Brasília e estive na sede do Confea. Conversei com muita gente e pude confirmar o que me disse o conselheiro citado no comentário acima (#6)
O que significa que o site do Confea mentiu para os profissionais.

O que aconteceu foi o seguinte: no dia 8/11/2011 a eleição, de fato, foi suspensa por uma liminar concedida em SP. Porém, alguns minutos depois a liminar foi derrubada e a eleição, na prática, não foi afetada.
Tudo transcorreu normalmente. As urnas foram finalizadas e os votos validados.
Os resultados deverão ser homologados na plenária desta semana.

A comunicação do Confea, que foi ágil na publicação da notícia da primeira liminar (que cancelava a eleição em São Paulo) não publicou uma única linha sobre os desdobramentos seguintes.
Nós, os profissionais leitores, interessados na notícia, fizemos papel de otários!
O site do Confea mentiu pra nós e nos deve uma explicação.

Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 54.80.140.5 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 695