JOGOS OLÍMPICOS RIO 2016

JÁ PERDEMOS A COPA DO MUNDO DE 2014
AGORA PERDEMOS OS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016

(Este artigo foi publicado em 10/05/2014)




ÊNIO PADILHA
professor@eniopadilha.com.br






No dia 07/01/2014 eu publiquei aqui no site um artigo com o título O BRASIL JÁ PERDEU A COPA DO MUNDO DE 2014, lamentando que o nosso país não tenha tido a competencia de mostrar-se à altura do desafio que é organizar uma Copa do mundo, em função dos sucessivos atrasos e desconformidades não só nas obras dos estádios mas também (e principalmente) nas demais obras de mobilidade urbana e de infraestrutura.

Lamentei também que o nosso governo estivesse tentando associar a conclusão dos estádios a um grito de MISSÃO CUMPRIDA que não faz sentido nem é legítimo. É como dizer que uma festa de aniversário foi um sucesso apenas porque o bolo ficou pronto à tempo de cantar "parabéns pra você". Concluir os estádios é, na minha opinião, a parte mais fácil do trabalho de organizar e realizar uma copa do mundo.

Eu concluí aquele artigo com uma frase de tristeza e esperança: "O Brasil já perdeu a Copa 2014. Resta-nos os Jogos Olímpicos de 2016."

Poisé... Perdemos os Jogos Olimpicos de 2016 também. Que vergonha!

A derrota foi sacramentada com as matérias publicadas na semana passada nos jornais britânicos London Evening Standard e The Telegraph, entre outros. Segundo esses jornais o Comitê Olímpico Internacional fez uma consulta “informal” a Londres para estabelecer um "Plano B" para os Jogos de 2016. Isto porque, "numa fase comparável de planejamento, em 2004 Atenas tinha feito 40% dos preparativos de infraestrutura e estádios; Londres tinha 60%. O Brasil fez apenas 10%".

Além disso teve a entrevista que o executivo britânico MICHAEL PAYNE concedeu ao jornal Folha de São Paulo, na sexta-feira, dia 09/05/2014. Payne foi durante 20 anos o Diretor de Marketing do Comitê Olímpico Internacional e participou da organização de muitos Jogos Olímpicos. Ele disse, textualmente, que o Rio de Janeiro "é de longe, a organização mais atrasada entre todas as Olimpíadas anteriores. O COI enfrenta atualmente sua pior crise operacional nos últimos 30 anos. Não é uma opinião, é algo comentado e compartilhado por muitas pessoas de dentro da própria entidade".

Eu não acredito que os Jogos sejam tirados do Rio de Janeiro e realizados em Londres. Essa possibilidade é, de fato, mínima. Mas, só o fato de o Comitê Olímpico Internacional discutir publicamente um "Plano B" é uma vergonha nacional. Acompanho os jogos olímpicos desde 1968. Nunca vi a sede dos jogos olímpicos sob ameaça de substituição. O Brasil perdeu muito com esse episódio.

No dia que o Rio de Janeiro foi escolhida para ser a sede dos Jogos de 2016 publiquei aqui o artigo RIO DE JANEIRO: DE VOLTA AO PASSADO na qual eu saudava a grande oportunidade de redenção que a cidade estava recebendo.

Eu escrevi que "o direito de sediar os Jogos Olímpicos de 2016 (e, no meio do caminho, a Copa do Mundo, cuja final será realizada no Maracanã) representa, para o Rio de Janeiro uma chance de enfrentar todos os fantasmas que têm assombrado os cariocas e brasileiros nesses últimos 50 anos. Nesses próximos 7 anos o Rio de Janeiro se verá diante de desafios do tamanho que os cariocas merecem. Desafios que motivarão as melhores cabeças da cidade para a ação. Desafios do tamanho que o Rio de Janeiro não enfrentava desde 1950, quando o Brasil foi sede da Copa do Mundo."

Sinto muito: o desafio não foi vencido. Já perdemos essa batalha. Resta-nos agora realizar os jogos "do jeito que der", com correria, com sobressaltos, com superfaturamentos, com improvisações... enfim, com o "Jeitinho Brasileiro".

Só os idiotas acham isso bacana!



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




Para copiar e reproduzir este artigo, conheça nossas REGRAS PARA PUBLICAÇÕES




---Artigo2014

Comentários

#1Paulo Marques, Engenheiro Civil, Limeira

sábado, 10 de maio de 2014 - 19h29min

Fato!
Estamos atrasados em tudo, nosso país é administrado sem planejamento de longo prazo, tudo é pensado para apenas dois anos, onde o mais importante são interesses pessoais e as urnas. Enquanto isso os impostos altíssimos que pagamos escoam em regime turbulento pelos ralos da corrupção. É uma pena um pais com tanto potencial de desenvolvimento ser administrado por pessoas sem a minima capacidade da governar, e nenhum traço de caráter, o pior é pensar que estão representando rigorosamente bem nossa sociedade, ou não somos nos mesmos que nos matamos com privadas atiradas em estádios de futebol. Podemos observar por todos os lados a eminente falência da vida em sociedade, não existe mais respeito, honestidade, estamos retrocedendo a cada ano que passa.

Comentário do Ênio Padilha

Paulo
Tenho de compartilhar com você parte da sua "desilusão".
Fico pensando: quando é que teremos outra chance de reverter esse quadro. De recuperar a imagem ruim que estamos causando. O Brasil é aquele país que todo mundo gosta mas ninguém respeita.
Muito triste isto.

#2Ieda, Produrtora de Eventos, Rio do Sul

domingo, 11 de maio de 2014 - 11h30min

É uma pena o Brasil perder a oportunidade de mostrar que é capaz...

Comentário do Ênio Padilha

Ieda, querida.
É uma pena mesmo. Mas a verdade é que o Brasil não tem essa capacidade. Ele tem uma potencial capacidade. Ou seja, é preciso desenvolvê-la, com preparo: educação e cultura.

O pior é que o Brasil vai levar talvez uns trinta ou quarenta anos para ter outra oportunidade como essa que foi desperdiçada agora.
Que triste, né?


Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 18.205.96.39 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 1946