ELEIÇÕES CONFEA/CREA 2017

O CONFEA NÃO SE AJUDA

(Publicado em 17/12/2017)





Tivemos, na última sexta-feira, eleições para presidente dos Creas e para presidente do Confea. Nos últimos meses publiquei vários posts no meu site e nas minhas redes sociais estimulando os colegas para participarem do evento, escolhendo um candidato e votando.

Na quinta-feira à noite eu estava em Xanxerê, no oeste de SC. Na sexta-feira acordei bem cedo, peguei a estrada, dirigi por onze horas para chegar à tempo de dar meu voto para os meus candidatos. Até aí, tudo bem.

Encerrada a votação, muitos colegas que, como eu, largaram seus afazeres e foram a uma inspetoria do Crea para votar, têm o natural (e justo) interesse de saber, afinal, qual foi o resultado da eleição.

O Confea criou uma página onde prometia aos eleitores a possibilidade de “acompanhar em tempo real a apuração dos votos, a partir das 19 horas de sexta-feira”. Isto seria ótimo!

Até o momento (já se passaram mais de 40 horas do fim da eleição) nenhum resultado foi publicado. No sábado à tarde o Confea publicou uma nota no seu site, informando que “está acompanhando o processo de apuração dos votos da Eleição Geral do Sistema Confea/Crea e Mútua” (Jura!) e ressaltou que “divulgará apenas os resultados oficiais”.

Segundo a mesma nota, “o não-envio de dados ao sistema eletrônico de apuração, por parte de alguns regionais, tornou inviável a publicação parcial desses resultados”

Eu tenho minhas fontes, e muitos dos que participaram do processo, nas mesas de recebimento de votos afirmam que não só enviaram as informações como o fizeram poucos minutos após o fechamento das urnas.

O que é que tá pegando? Qual é o problema de publicar os dados que já foram consolidados? Qual é o problema de informar quais presidentes de Creas foram eleitos, onde a apuração já foi encerrada? Qual é o problema de informar quantos votos ganhou cada candidato a presidente do Confea, nos estados onde os votos já foram contados?

Bom, no final da tarde de sábado começaram a surgir diversas especulações:
(1) primeiro as especulações davam conta de que o Eng. Murilo Pinheiro (de São Paulo) havia vencido as eleições.
(2) em seguida, surgiu a notícia vinda de diversas fontes, de que Joel Kruger (do Paraná) venceu, com certa folga.
(3) depois a notícia já era de fortes indícios de fraude nas urnas do Rio de Janeiro (pelo que eu ouvi, metade dos votos era “voto em separado”. Uma coisa muito estranha, pra dizer o mínimo;
(4) também recebi notícias de problemas com a apuração no Piaui;
(5) e, com a notícia (não confirmada) da vitória de Joel Kruger, surge a informação de que já está sendo judicializado o possível resultado, em virtude de eventuais irregularidades na campanha do candidato;
(6) e até a hipótese de anulação da eleição não foi descartada (e, neste caso, o membro mais velho do Colégio de Presidentes de Crea assumiria o posto, até novas eleições).

Tudo especulação. Nenhuma palavra, nenhuma nota, nenhum esclarecimento de ninguém.

E nós, os eleitores, estamos aqui, completamente desinformados, sem saber o que foi feito do nosso voto. Sem saber quem venceu. Sem saber, sequer, se a eleição valeu ou se foi tudo uma grande perda de tempo.

Como eu digo sempre, NÃO TEM PERIGO DE DAR CERTO.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Artigo2017

Comentário do Ênio Padilha

ATUALIZAÇÃO: 18/12/2017 - 13h30
Ontem (17/12/2017) por volta de meio dia, o candidato Murilo Pinheiro publicou na sua página do Facebook um requerimento à Comissão Eleitoral Federal para que as especulações sejam interrompidas.

Ontem (17/12/2017), próximo de meia-noite, o candidato engenheiro Joel Kruger publicou uma nota na sua página do Facebook na qual não declarou vitória de forma conclusiva. Os comentários dos amigos, no entanto, desconsideraram esse "detalhe" e seguem dando como líquida e certa a vitória do candidato.

Comentários

#1Rubens, Tecnologo Segurança do Trabalho, São Paulo

terça-feira, 26 de dezembro de 2017 - 08h26min

Estranho a Comissão Eleitoral Federal, somente no último dia do calendário eleitoral, descobrir que elaborou o CALENDÁRIO ELEITORAL com erro??? Alegando que teria cinco dias após o envio dos regionais para analisar os resultados? Dezenas de reuniões, advogados exclusivos do Confea, além de escritório privado contratado e ninguém viu isso? Para não dizer que foi incompetência, só pode ter acontecido de propósito, para transformar no caos atualmente instalado.

Faça seu comentário

Favor, evite enviar links, pois seu comentário será recusado.

Seu IP: 54.163.42.154 (Identificação de seu computador na internet)

* campos obrigatórios
Compartilhe: 574