SE ESSA MODA PEGA POR AQUI...

Seria bom que a justiça passasse a punir, com rigor, sempre que recebesse uma denúncia infundada e motivada por sentimento pessoal.

No final do ano passado, na véspera da partida entre São Paulo e Goiás (valendo o título do campeonato brasileiro) o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero fez uma denúncia à CBF, dizendo que o árbitro Wagner Tardelli, que comandaria a partida, estaria envolvido em um esquema de suborno. A denúncia foi feita com estardalhaço e a imprensa repercutiu o caso. O árbitro da partida chegou a ser substituído, tendo sua carreira prejudicada por essa suspeita. O São Paulo, cuja relação com a Federação Paulista da gestão Del Nero sempre foi muito complicada, via assim sua conquista nacional manchada pela denúncia do dirigente.

Nesta semana, depois de entender que a denúncia de Del Nero foi infundada, e motivada por sentimento pessoal, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva puniu o dirigente com suspensão de 90 dias, e a Federação Paulista de Futebol foi multada em R$ 10 mil. Eles foram denunciados no artigo no artigo 221 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: "oferecer queixa infundada ou dar causa, por erro grosseiro ou sentimento pessoal, à instauração de inquérito ou processo na Justiça Desportiva".

Se a moda pegasse algumas "lideranças" no Sistema Confea/Crea seriam punidos com mais de dez anos de afastamento


ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br



(artigo_ep)

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4448159

7