O CONHECIMENTO ESTÁ NOS LIVROS

(Publicado em 22/02/2020)





Sabe quem ainda lê livros?
Com tantas telas, telinhas e telões oferecendo distração imediata e conhecimento em gotas, sabe quem ainda abre um livro em busca de alguma coisa? Eu vou dizer:

Quem lê livros são as pessoas que entenderam que NÃO EXISTE MANEIRA MELHOR DE OBTER CONHECIMENTO CONSISTENTE QUE NÃO SEJA ATRAVÉS DE LIVROS.

Ler um livro significa dedicar-se algumas horas, alguns dias, semanas... a um determinado assunto, acompanhando a visão, a linha de pensamento e os argumentos de um determinado autor.

Dias. Semanas. Não alguns minutos entre um meme, um vídeo e uma lista das 14 coisas sobre um determinado assunto que você precisa saber.

Isso causa um impacto no seu entendimento que nenhum post do Facebook é capaz de conseguir.





O brasileiro lê muito pouco. O Brasil tem poucas bibliotecas capazes de atrair e alimentar leitores e muitas coisas acontecem e contribuem para um quadro cada vez mais desanimador:

Arquitetos e engenheiros projetam e constroem casas (estou falando só daquelas com mais de 200 m²) com piscina, academia, adega, stúdio... mas "esquecem" de projetar (ou de sugerir aos clientes) uma sala, uma parede ou um nicho que seja, para que a casa tenha uma biblioteca. Se Arquitetos e Engenheiros, que fazem parte da elite intelectual do país, não fazem um esforço para estimular a leitura de livros, a coisa tá feia mesmo.

O livro ainda está longe de ser "TOP 10" das listas de presentes de natal, aniversários, formaturas e outras ocasiões especiais. Principalmente pelo receio de estar dando um presente "inútil".

Mesmo profissionais que dependem do seu conhecimento para obter valorização profissional ainda acreditam que LER é uma coisa para ser feita "quando sobra um tempo", no intervalo entre atividades importantes, nas horas vagas.

A primeira coisa que eu tento mudar na maneira de pensar dos profissionais que participam do Protocolo 89 é justamente isso: LER É TRABALHO. Ler é uma atividade essencial do engenheiro ou do arquiteto. Portanto, é preciso ler DURANTE O HORÁRIO DE TRABALHO.





Posts nas redes sociais e artigos de blog (como este aqui) são guloseimas, tira-gostos, aperitivos. O alimento de verdade está nos livros. Eu sei disto porque escrevo artigos aqui no site, escrevo textos em redes sociais e escrevo livros. E eu sei muito bem a diferença de conteúdo entre uns e outros.

Um livro é uma construção muito mais complexa. Dá muito mais trabalho. Exige muito mais empenho e responsabilidade.

Um livro precisa preencher lacunas, trazer respostas. E tem de ser preciso, correto.

Num artigo ou post não existe o compromisso com a precisão absoluta. Num livro tudo precisa ser visto, revisto, avaliado, checado... o que vai para um livro é muito mais sério. O autor não pode se dar ao luxo de ser desacreditado pelo que escreveu num livro. E é por isso que tanta gente acaba desistindo de concluir aquele livro que "está pronto, na gaveta, só esperando para ser publicado". Porque é muita responsabilidade.

Então, se você só lê posts em redes sociais, você só está lendo rascunhos. Ideias em primeiro tratamento. Conversa de bar.

O que um professor fala num bar, entre rodadas de cerveja, não é o que ele diz numa sala de aula. O que um palestrante fala numa conversa informal, entre amigos, não é o que ele fala numa palestra, diante de 500 pessoas. Numa sala de aula ou numa palestra o conteúdo precisa ser muito mais refinado.

Se você não lê livros você não terá acesso ao que de mais importante os autores têm pra dizer. O conhecimento está nos livros.





PADILHA, Ênio. 2020







Clique sobre a imagem acima e visite a nossa loja



Comentário #1 — 20/02/2020 09:21

Jean Tosetto — Arquiteto / Escritor — Paulínia / SP

Muita gente nutre a falsa impressão de que podem aprender assuntos importantes em vídeos no YouTube. Não podem, por uma simples razão: ler é diferente de ouvir ou assistir. Ler ativa áreas específicas no cérebro, ligadas à memória. Por isso os livros continuam essenciais.
Pessoalmente, dou livros de presentes sempre que possível.
Sou suspeito para falar, mas o livros fazem parte da minha vida.

Réplica de Ênio Padilha

Perfeito, Jean.
Minhas filhas ganham livros de presentes desde que tinham 3 meses de idade (isso mesmo! 3 meses). Natal, dia das crianças, aniversário, formatura... pode até ter outros presentes, mas sempre tem um livro envolvido.
E, felizmente, posso dizer, o sucesso delas não ocorre por acaso.

Comentário #2 — 20/02/2020 13:44

Farlley — Músico — Brasília

Caro Ênio, que post importante! Pessoas como você dão oxigênio ao mundo do conhecimento. Eu leio entre 8 e 10 livros por mês. E escrevo todo dia (artigos, contos, poemas, crônicas), e sem a leitura eu não teria crescido tanto.

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4452156

8