ENCANTADOS E LOBOTOMIZADOS

(Publicado em 06/07/2020)



O Brasil está ainda muito longe da luz no fim do túnel.
30% da população acredita bovinamente em tudo o que diz o presidente, os filhos do presidente e o guru deles, lá da Virgínia; Outros 25% são os encantados que acreditam em tudo o que diz o Lula e seus correligionários, gente do nível intelectual de Gleise Hoffmann et caterva.
Não tem perigo de dar certo.





O Brasil perdeu o juízo. Entramos numa espiral de loucuras que não tem fim. Lá atrás o povo escolheu (eu fiz parte disso, me arrependi depois) um partido que prometia acabar "com tudo isso que está aí": a corrupção e a malversação do dinheiro público. Assim que assumiram o poder, a primeira coisa que fizeram foi justamente o contrário: e dê-lhe mensalão, petrolão e outras falcatruas, no melhor estilo anos 1970, 80 e 90. Nada havia mudado, mas havia uma legião de encantados que não abriam os olhos pra nada. Nem se lhes matassem a mãe haveriam de se dar conta do tamanho do problema que haviam escolhido.

Seu líder supremo insistia em dizer que não sabia de nada e que nada do que ele tinha era dele. Era de um amigo.

Por mais deslavadas de fossem as mentiras, os encantados não desconfiavam de nada. Continuavam apoiando, defendendo e votando neles.

E assim, chegamos a 2018. Surgiu outro grande grupo, igualmente alucinado, que acreditou que um sujeito que, em 30 anos como parlamentar, não fez ABSOLUTAMENTE NADA pelo país e tudo o que fez foi criar um império político no qual posicionou seus filhos Zero UM, Zero Dois e Zero Três... enfim, esse povo acreditou (eu não fiz parte disso) que esse sujeito iria salvar o país dos dirigentes corruptos e mentirosos que haviam tomado o poder 16 anos antes.

Até aí, ok. A esperança é a última que morre. Mas, já se passaram 20 meses. A quantidade de absurdos cometidos neste governo já superou qualquer coisa que possamos elencar desde 1985. E nada parece abrir os olhos desses 30%.

Eu poderia dizer que a entrevista do Zero Um para o jornal O Globo é a gota d'água que faltava, mas obviamente, não tenho esse nível de ingenuidade. As coisas que ele disse são os equivalentes perfeitos às desculpas que o Lula dava quando era flagrado usufruindo de alguma coisa cuja origem ele não conseguia explicar: é de um amigo.

Zero Um tem amigos tão bons e prestativos quanto o Lula. Esses amigos pagam as suas contas, assumem seus delitos, matam no peito qualquer coisa. Nenhum dos dois (nem Lula, nem Zero Um) podem reclamar de falta de lealdade canina dos seus amigos. Muito menos da devoção bovina dos seus seguidores que, somados são quase 60% da população do país.

O Brasil perdeu o bom senso. Estamos oscilando vertiginosamente entre loucos e malucos aferrados em crenças e valores muito perigosos.

Vou repetir: não tem perigo de dar certo.





PADILHA, Ênio. 2020





Leia também: UM PAÍS CHAMADO NEGACIONISTÃO (texto que fala desse país, imaginário, com 60 milhões de habitantes, em que a população, entre outras coisas, não acredita na ciência.)


DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:
Chave: -- Digite o número 4679 na caixa ao lado.

Digite uma palavra (no título do artigo):   

Digite uma palavra (no corpo do artigo):   

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4605053

215