TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO

Desde 2006 tanto o Confea quanto alguns Creas já transmitem suas reuniões plenárias ao vivo pela internet. Aplaudimos a iniciativa que certamente torna as atividades dos conselhos mais transparentes.

No entanto, na média, menos de 1% do público de interesse assiste as plenárias ao vivo no YouTube ou mesmo os vídeos que são mantidos no ar, depois que as plenárias são encerradas.





Imagem: OitoNoveTrês



(Ano 01 – Número 03 – Publicado em 21/10/2020)



O que os Creas deveriam fazer, já que esse investimento para transmitir ao vivo tem sido um dinheiro jogado fora? Interromper essa atividade? Parar de fazer a transmissão ao vivo?

Não, não, não. De jeito nenhum! Não podemos dar esse passo para trás.

O que o Crea precisa fazer é se perguntar: ”por que ninguém assiste as transmissões ao vivo das reuniões plenárias na internet?”

Vou responder por mim: eu até assistiria (na verdade, tento assistir, algumas vezes). Sou um cara interessado nas coisas do Sistema Profissional. Gostaria de saber o que está sendo discutido e votado nas Reuniões. Mas eu não tenho tempo para ficar na frente do computador assistindo a transmissão, muitas vezes sem saber o que está sendo discutido, quem está falando e, mais importante: o que já foi discutido e o que ainda será discutido no decorrer daquela reunião.

Ocorreu-me, então, uma coisa, que eu li no livro VIRANDO A PRÓPRIA MESA, do empresário paulista Ricardo Semler, publicado em 1984. No livro Semler conta que quando assumiu a empresa determinou que os números da organização deveriam ser transparentes. Que todos, até o empregado mais humilde deveria ter acesso aos balanços e relatórios financeiros da empresa.

A decisão, em si, era formidável. Mas ele logo percebeu que, passada a euforia da novidade, os empregados perderam o interesse por aquilo, por uma simples razão: eles não estavam entendendo nada daqueles números e tabelas.

Semler, então, fez uma coisa importante: determinou que fossem ministrados cursos para os empregados que quisessem entender os balanços e relatórios. Em linguagem simples os empregados aprenderam a ler os balanços, a saber quais números realmente importavam e onde procurar (naquela floresta de números e tabelas) as coisas que realmente tinham significado. Foi um sucesso. Semler conseguiu seu objetivo: uma administração realmente transparente.

Publicar simplesmente os balanços (ou transmitir ao vivo as reuniões plenárias) não torna a organização realmente transparente. Apenas translúcida.

Portanto, para maior transparência nas reuniões plenárias eu proponho o seguinte:

(1) Que, na mesma página em que seja disponibilizado o vídeo com a transmissão ao vivo da Reunião Plenária o Crea disponibilize a Pauta da Reunião, com a previsão dos itens que serão discutidos e os projetos que serão votado;

(2) Que seja feito, nessa mesma página, um acompanhamento da reunião em texto, atualizado de 10 em 10 minutos, com o registro dos assuntos que já foram discutidos e qual foi o resultado;

(3) No YouTube (na descrição do vídeo) existe o recurso de fazer uma LINHA DO TEMPO em que cada tópico ou assunto é marcado com seu respectivo tempo (minuto e segundo) facilitando que o internauta possa pular diretamente para aquele ponto no vídeo.

Enfim, facilitar que o profissional, que trabalha, que tem um escritório para administrar e não dispõe de dois dias inteiros para acompanhar um evento dessa natureza possa saber:
• O que está acontecendo
• O que já aconteceu
• O que ainda vai acontecer (e quando)

Do ponto de vista logístico, tenho certeza de que isto não é difícil (e não representa praticamente nenhum custo). É um trabalho que pode perfeitamente ser realizado por um dos assessores da Plenária ou mesmo por um jornalista do próprio Crea (o que seria mais interessante, pois a linguagem seria mais atraente para o público interessado).

E, o mais importante: isto pode ser feito JÁ. Pode ser feito na próxima Reunião Plenária. E pode aumentar o número de interessados em assistir ao vivo essas transmissões.

Do jeito que está sendo feita a transmissão das plenárias a coisa tá translúcida (o que é melhor do que se não houvesse a transmissão ao vivo e o vídeo gravado disponível para os profissionais). Mas é preciso muito mais do que isso para obter a verdadeira (e desejável) transparência.





PADILHA, Ênio. 2020





Leia também: O QUE O CREA PODE FAZER PELA ENGENHARIA
A falta de conhecimento científico da nossa população afeta profundamente o desenvolvimento da Engenharia nacional. O despreparo científico das pessoas que vão trabalhar na construção civil ou mesmo ser nossos clientes compromete a qualidade dos nossos trabalhos. Muito das nossas soluções de projeto, obtidas como resultado de anos e anos de estudos e pesquisa se perdem nas obras porque o executor não sabe ler direito.





Comentário #1 — 25/10/2020 18:06

Carlos Alberto Kita Xavier — Eng. Civil e de Segurança do Trabalho — Balneário Camboriú

Transmitir as reuniões plenárias até que é simples, realmente já é feita há muito tempo. Agora, entender a motivação para que um Profissional assista é a grande indagação. Conversando com alguns Colegas, falaram-me que somente iriam assistir caso tivesse algum processo de interesse.
Para aumentar esse interesse além de um processo, poderíamos pensar num projeto, um assunto relevante, ou uma palestra inicial de alguma autoridade, para aguçar o interesse dos profissionais. Encontrar alternativas...

RÉPLICA DE ÊNIO PADILHA

Excelente sugestão, presidente Kita. Suas observações foram muito oportunas e absolutamente exequíveis.

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:
Chave: -- Digite o número 1405 na caixa ao lado.

Digite uma palavra (no título do artigo):   

Digite uma palavra (no corpo do artigo):   

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4872469

1182