DESNECESSÁRIOS E INÚTEIS

Pergunta: se eu disser que num importante (talvez o mais importante) evento de Engenharia e de Arquitetura do país teremos a presença (como palestrantes) de um Ministro do Governo e de um Embaixador de um país estrangeiro você pensaria imediatamente no Ministro da Previdência e no Embaixador do Irã?
Eles seriam uma das suas dez primeiras opções?
Não seria o caso de pensar, antes, no Ministro do Planejamento? da Agricultura? das Cidades? da Ciência e Tecnologia? das Comunicações? da Educação? do Meio Ambiente? das Minas e Energia? enfim. Qualquer coisa, menos o Ministro da Previdência!

E quanto ao embaixador? Será que faltam embaixadores em Brasília? Um evento organizado durante um ano não consegue trazer um embaixador da Espanha? de Portugal? de Cuba? da Inglaterra? da África do Sul? da França? da Argentina? do México? da India?

Tinha de ser o embaixador do Irã?

Tem explicação pra isso?

Comentário #1 — 22/02/2011 14:36

Clara — estudante — Florianópolis

Realmente, ter um ano pra organizar e sair com essas opções não tem muita explicação além de falta de planejamento mesmo. Quem faz essas escolhas pra esses eventos?

Réplica de Ênio Padilha

Clara
A programação do evento é feita pelo setor de eventos. Mas existe muita interferências políticas nesse processo (infelizmente!)

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4444321

4