O PREÇO DE TODAS AS COISAS



(Publicado em 26/03/2020)



Muitas pessoas estão escandalizadas por conta de que algumas autoridades (incluindo aí o presidente do Banco do Brasil) estão ponderando que a morte de algumas pessoas (velhos, doentes e improdutivos) é um preço razoável a se pagar para salvar a economia do país.

Aí me lembrei de um livro que eu li em 2011 (O PREÇO DE TODAS AS COISAS - Porque pagamos o que pagamos de Eduardo Porter), cuja resenha escrevi na época e repito abaixo.

Quanto vale o trabalho? Quanto vale o tempo? Quanto vale o lixo, a cultura, a fé? Quanto vale uma vida humana? Quanto vale o que é recebido de graça?




(Publicado em 09/11/2011)



Tudo na vida tem um preço! Você já deve ter ouvido isto algumas vezes. Talvez tenha até concordado. Mas é pouco provavel que já tenha parado para pensar mais profundamente à respeito. Será que é verdade? Tudo tem preço mesmo? Quanto vale o trabalho? Quanto vale o tempo? Quanto vale o lixo, a cultura, a fé? Quanto vale uma vida humana? Quanto vale o que é recebido de graça?

Acabei de ler um livro que traz boas respostas para todas essas perguntas:
O PREÇO DE TODAS AS COISAS - Porque pagamos o que pagamos, primeiro livro (espero que não seja o último) de Eduardo Porter, autor norte-americano (ou estadunidense, se preferir) que escreve sobre economia e negócios para o New York Times.

O livro me foi recomendado pelo professor José Geraldo Baracuhy, da Universidade Federal da Campina Grande, na Paraíba. Segundo ele, trata-se de um tratado filosófico não apenas sobre o preço das coisas mas também sobre o seu valor. Obrigado, professor. Sua sugestão me propiciou momentos de produtiva reflexão!

Eduardo Porter abre o livro falando sobre o preço do lixo e como lidamos com este \"produto\". Mostra-nos como o valor do lixo é percebido de maneiras distintas por pessoas de classes socias diferentes ou em diferentes países. O que para uns é apenas entulho, para outros é tudo!

Ainda na primeira parte do livro ele se dispõe a uma tarefa que parece ser impossível: determinar o valor (em dinheiro) da vida humana. E faz isso baseado em números da economia e de decisões de empresas, governos, famílias e indivíduos.

Traça um mapa instigante para chegar à conclusão de que uma vida humana vale cerca de dez mil dólares americanos nos países desenvolvidos e menos de mil dólares em países subdesenvolvidos. Os números fazem sentido, depois de ler o livro.

Porter utiliza a matemática, os postulados da economia, da política e do mercado para desvendar o preço de todas as coisas: da saúde à educação; do lazer à segurança; do tempo à felicidade.

Vale a pena ler o livro. Vale o custo de comprar o exemplar na livraria e vale o tempo despendido na leitura. Especialmente se você precisa determinar o preço do seu trabalho, do seu produto.

É mais fácil tratar disso quando você consegue refletir sobre o valor que seu potencial cliente provavelmente dará ao que está sendo negociado.

Especialmente se você não vende commodities e se o seu produto é algo intangível, variável e com alto componente intelectual agregado, é interessante saber o que tem valor para o cliente. O que ele está disposto a pagar para obter.

Tenho certeza de que o livro de Eduardo Porter será de grande ajuda.




www.eniopadilha.com.br




PADILHA, Ênio. 2020



DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4455354

13