EU JÁ FUI INTELIGENTE. HOJE ESTOU IRREMEDIAVELMENTE IDIOTA

(Este artigo foi publicado no Blog Minhoca na Cabeça, do meu amigo Aldo Siebert no dia 26/02/2013

Publico hoje, aqui no site, em \"comemoração\" à vitória obtida pelo site criado para pagar a multa do José Genuino e que em poucos dias obteve mais do que o suficiente para livrar o petista desse compromisso imposto pelo STF)



EU JÁ FUI INTELIGENTE. HOJE ESTOU IRREMEDIAVELMENTE IDIOTA

Desde que me conheço por gente. Desde que tive algum contato com o mundo acadêmico e intelectual me acostumei com a ideia de que é legal ser de esquerda. Isto sempre foi um dogma: na esquerda estão as pessoas inteligentes, articuladas, bem intencionadas, interessadas no bem público e, acima de tudo, honestas; na direita estão os obtusos, os mal intencionados, os desonestos, os que só se interessam pelos seus próprios benefícios e os alienados em geral.

Nessa tocada participei do movimento estudantil nos anos 1980, votei no Lula em 1989 e votei novamente em 1993. Tive um “momento de fraqueza” em 1997 quando votei na reeleição de Fernando Henrique, mas “me recuperei” em 2002 e votei no PT pela terceira vez, quando Lula foi, finalmente, eleito presidente do Brasil.

Daí pra frente, fui ficando cada vez mais burro. Minha pouca inteligência não conseguiu mais acompanhar meus amigos intelectuais e sabidos que continuaram acreditando em tudo o que o PT diz. E continuam defendendo com unhas e dentes o discurso desse pessoal.

Hoje tenho de me render. Perdi completamente a capacidade de “interpretar a realidade”. Meus amigos militantes, simpatizantes e eleitores do PT, PCdoB, PSOL, PSTU & Cia que me desculpem. Não tá dando pra acompanhar a inteligência de vocês.

Vocês estão conseguindo enxergar algumas coisas que me escapam. Acho que me falta leitura, sei lá. Cultura, conhecimento.

Mas não consigo ver inocência no José Dirceu, no José Genoino, no Delúbio Soares… não dá.

Não consigo acreditar que o Brasil foi descoberto em 2002 e que antes não havia nada que prestasse. Que nada do que foi feito nos governos anteriores servia ao país, desculpem.

Não sou cego às conquistas sociais que o Brasil teve nos últimos anos. Vejo muitos acertos no governo do PT. Mas não consigo aceitar que TUDO o que se fazia antes estava errado e ruim, e que TUDO o que se faz agora está correto e é bom.

Não consigo engolir essa de que o Mensalão é uma invenção da imprensa brasileira e que, se ocorreu alguma coisa o presidente Lula não sabia de nada. Difícil.

A Venezuela de Hugo Chaves, a Bolívia do Evo Morales, o Equador do Rafael Correia NÃO SÃO, pra mim, exemplos de países bem governados ou de povo respeitado;

Ninguém nunca me convenceu de que Cuba, dos irmão Castro, é um país bom pra se viver e que, só quem for manipulado pelos Estados Unidos tem disposição para reclamar de alguma coisa por lá.

Não consigo aceitar a idéia de que o Brasil deve receber de braços abertos um Cesare Battisti e caçar atletas cubanos para devolvê-los ao país do qual tentavam fugir.

Não me representam os brasileiros que, com tamanha truculência, repudiam a visita da jornalista/blogueira Joanes Sanches. Mesmo admitindo a versão de que ela é patrocinada pela direita mundial anti Cuba. Mesmo acreditando que ela é mal intencionada e desonesta… o que isso muda? O que muda no direito inalienável à liberdade de expressão?

Enfim… todas essas “verdades” que servem de base para o discurso da esquerda brasileira me escapa ao entendimento.

Com certeza, fiquei mais burro, depois de velho.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




DIVULGAÇÃO
[IMG1;Divulga_Livro.png;650;C;http://www.oitonovetres.com.br/loja]



Comentário #1 — 20/01/2014 17:04

Ligia Fascioni — Engenheira Eletricista — Berlim, Alemanha

Amigo, estou que nem você, cada vez com o raciocínio mais lento. Não consigo ver onde a economia está bem, onde estão a qualidade na educação, na saúde, nos transportes e na segurança. Por mais que eu tente, não consigo. Quem sabe estamos com aquela cegueira branca, muito bem traduzida por Saramago...

Réplica de Ênio Padilha

Lígia. Eu tenho hoje a mesma sensação que eu tinha no início dos anos 1980, quando o Paulo Maluf mentia descaradamente e era eleito sucessivamente para tudo o que queria. Não é à toa que ele hoje é conselheiro do Lula.

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4448202

4