Notas de "ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAS"

14/06/2019

001 - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

Comentários

13/06/2016

TREINAMENTO DE EMPREGADOS EM EMPRESAS PEQUENAS

(Publicado em 25/05/2011)



"Investir em treinamento é coisa pra empresa grande." Que nada! Não existe nada hoje em dia, que seja “coisa de empresa grande”. Controle de qualidade, controle de custos, informatização, marketing, treinamento... São coisas que fazem - ou deveriam fazer - parte do dia-a-dia de qualquer empresário.

Empresas pequenas, aliás, são muito mais sensíveis aos problemas gerados pela falta de um sistema de treinamento. Porque a concorrência é feita por um número maior de empresas e as oscilações do mercado são muito maiores. Uma empresa pequena, geralmente com menos de dez empregados, precisa ter um funcionamento muito mais “redondo” do que uma grande empresa, onde a “inércia operacional” é mais forte.
Veja, por exemplo que, em uma pequena oficina mecânica com 2 ou 3 funcionários, se um deles ficar doente e faltar durante uma semana, haverá sem dúvida, muitos prejuízos para o empresário (o dono da oficina).
Numa empresa com 150 ou 200 funcionários, a falta de um deles não causa tantos danos.

Mas, voltemos as nosso tema: Treinamento. Se você, empresário, responsável por uma empresa pequena, está interessado em investir no treinamento de seu time, aí vão algumas sugestões.


Primeiro: Um Programa de Treinamento precisa ser organizado de tal maneira que atinja objetivos de médio e longo prazo. Você precisa definir esse objetivos, relacionando o que, exatamente, a sua empresa quer GANHAR com isso. Lembre-se que funcionários com bom nível de conhecimentos gerais e específicos, quando motivados, representam produtos bem feitos, no menor tempo possível, com satisfação total de clientes. Em outras palavras: a satisfação dos clientes aumenta o faturamento. A redução dos tempos reduz os custos e o resultado dessa equação é aumento de lucro. Quanto disso você quer? Pra quando? Responda essas perguntas e seus objetivos estarão definidos;

Segundo: Não adianta fornecer treinamento de boa qualidade para funcionários cuja escolaridade não seja compatível com o produto fornecido pela sua empresa. Assim, estabeleça um nível mínimo de escolaridade a ser exigido dos seus empregados e estimule aqueles que ainda não o alcançaram para que o façam. E não contrate mais ninguém que esteja abaixo deste limite;
Importante: a escolaridade precisa ser REAL. Isto quer dizer o seguinte: não adianta o empregado ter o certificado de conclusão do ensino médio se ele não sabe escrever direito, não sabe dividir com vírgula e não sabe nada de inglês. O empregado precisa saber que todo o treinamento partirá do pressuposto que o nível mínimo de escolaridade é REAL, cabe a ele se nivelar em conhecimento de acordo com o certificado que possui.

Terceiro: não caia na armadilha do treinamento específico, sem resultados que ultrapassem as paredes da sua empresa. Propicie aos seus empregados um treinamento que eles possam utilizar na vida deles, em qualquer tempo e ocasião. Acredite, no fim você acaba ficando com a melhor parte.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Artigo2011

Comentários?

27/10/2014

OS CONCURSEIROS E O DESPERDÍCIO DE TALENTOS

Os gênios americanos criam empresas fantásticas que mudam os rumos da humanidade. Os gênios brasileiros passam em concursos públicos.
Veja texto de Leandro Vieira: Os concurseiros e o desperdício de talentos.
O que você acha?



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site administradores

Comentário do Ênio Padilha

eu li os dois artigos e também os comentários dos leitores. É importante ler os comentários, porque existem ali muitos argumentos que devem ser considerados.
Eu concordo com o autor sobre o preço caro que o país paga pela existência de tantos concurseiros. Mas também é necessário entender que a iniciativa privada não sabe lidar com os tais talentos de que fala o autor. Isto precisa ser alterado (na cultura empresarial brasileira).
Na minha modesta avaliação, uma coisa precisa ser revista no serviço público: a estabilidade. Esse mecanismo que foi criado para proteger o funcionário de demissões por motivação política (que é uma coisa boa), acaba criando um efeito colateral terrível que é a legião de funcionários públicos sem o menor senso de excelência e sem motivação para prestar um serviço de qualidade.

Comentários?

15/07/2014

O QUE O EMPREGADO QUER (OU ESPERA) DO SEU ESCRITÓRIO

(Este artigo foi publicado em 09/06/2014)



Um assistente administrativo (geralmente conhecido como a secretária) é um empregado no seu escritório. Mas, antes disso, é um ser humano com necessidades, desejos e anseios. É importante refletir não apenas sobre o que o profissional espera da sua secretária (ou dos seus empregados, no geral) mas também sobre o que a secretária (e os empregados, no geral) esperam do seu emprego.

Posso adiantar que, de uma maneira geral os empregados esperam:
• Um ambiente de trabalho saudável e tranquilo onde as ordens e determinações sejam claras e objetivas;
• Instalações e equipamentos adequados para o seu trabalho;
• Uma filosofia empresarial clara e transparente (declarada na sua missão, visão e princípios) e que corresponda à sua prática empresarial;
• Uma linha hierárquica bem definida. Ela quer saber a quem deve obedecer e não quer participar dos conflitos internos da direção
• Uma chefia que seja franca, e que saiba reconhecer o mérito e o esforço.
• Um relacionamento profissional baseado na honestidade e na ética
• Uma carga de trabalho compatível com o cargo e com o salário
• Orientação e apoio para o desenvolvimento de suas habilidades e conhecimentos
• Oportunidades de crescimento
• Remuneração compatível com o desempenho
Encontrar formas de atender a essas necessidades básicas dos empregados já é, na prática, estabelecer uma boa Política de Relações Humanas no seu escritório.

Em contrapartida....

O QUE O ESCRITÓRIO DEVE QUERER (OU ESPERAR) DOS SEUS EMPREGADOS
Por outro lado, de nada adianta você propiciar aos seus empregados as melhores condições de trabalho se não souber exatamente o que espera em contrapartida. Basicamente, um profissional de Arquitetura/Engenharia, espera (deve esperar) o seguinte das pessoas que trabalham no seu escritório:
• Que sejam fatores determinantes para a manutenção do bom ambiente de trabalho. Que tenham boa vontade, disposição e trabalhem com bom humor e prestatividade;
• Que sejam cuidadosos com as Instalações e equipamentos com os quais trabalham;
• Que absorvam os valores e os princípios do escritório, incorporando a filosofia empresarial da casa;
• Que tenham respeito pela hierárquica definida;
• Que sejam honestos e éticos;
• Que sejam esforçados para cumprir a carga de trabalho determinada;
• Que aceitem a orientação e apoio para o desenvolvimento de suas habilidades e conhecimentos, aproveitando as oportunidades de crescimento;
• Que não sejam gananciosos e que tenham a percepção da remuneração não-financeira que o escritório possibilita.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




Este artigo é baseado no capítulo 7 do livro ADMINISTRAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA. 1ª ed. Balneário Camboriú: 893 Editora, 2013. pág. 97 - 98




---Artigo2014

Deixe AQUI seu comentário:

27/01/2014

VALE A PENA CONTRATAR UMA SECRETÁRIA?

(Este artigo foi publicado em 27/01/2014 e foi extraído do capítulo 7 do livro ADMINISTRAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA E ENGENHARIA)



Por que Engenheiros e Arquitetos relutam tanto em contratar uma secretária?
A resposta que eu mais ouço para esta pergunta é "porque o meu escritório ainda não tem faturamento que comporte as despesas de salário, obrigações sociais e trabalhistas que a contratação de uma secretária impõe".
Mas existem outras respostas comuns:
"Não precisa. Eu dou conta de todo o trabalho"
"Quem sabe faz. Quem não sabe manda fazer"
"Eu não tenho paciência pra ensinar"
"Eu não encontro alguém que entenda o serviço que terá de ser feito. É muito difícil de aprender"
"Ensinar uma secretária iria consumir o meu tempo e me tornar improdutivo"

E, se você pensa que eu escrevi este artigo para contestar os argumentos acima, está enganado. Todas as respostas ESTÃO CORRETAS. São verdadeiras.

Leia o artigo completo
e deixe seus comentários

30/09/2012

CARTA PARA A RECÉM-CONTRATADA SECRETÁRIA DO ENGENHEIRO

(Publicado em 08/02/2011)



Ah, não! Você arrumou emprego como secretária de um engenheiro!
Não poderia ter evitado?
Tudo bem, tudo bem. Não entre em pânico. Este artigo vai dar a você algumas informações importantes sobre como lidar com esse tipo de pessoa (o engenheiro). Quem sabe, no fim, você não acabe até ganhando um aumento!

Tenho aqui algumas coisas que você precisa saber sobre engenheiros e que importam para a sua sobrevivência imediata.

1) Engenheiros são calculistas, meticulosos, detalhistas, sistemáticos e chatos... não necessariamente nesta ordem.

2) Engenheiros aprendem na faculdade (e depois, no exercício da profissão) que é importante acertar de primeira. Eles têm pavor do método da "tentativa e erro". Se esse método fosse praticado na Engenharia, um prédio como o Burj Dubai levaria duzentos anos para ser feito (e custaria vinte vezes mais do que custou, pois ele teria de ser refeito cada vez que uma forma de construir fosse testada - e não desse certo). Na engenharia vale o seguinte: pense primeiro, faça depois. E faça certo de primeira.
Portanto, não faça nada sem pensar bem antes.

3) Você já ouviu falar em René Descartes? (a gente lê Renê Decartes). Bom, ele foi um Filósofo, Físico e Matemático Francês que viveu na primeira metade do século XVII. Ele escreveu um livro "muito importante" chamado O Discurso do Método onde está apresentado o Pensamento Cartesiano.
Então... caso você ainda não saiba, é o seguinte: engenheiros são, essencialmente, Cartesianos.
E o que isto significa? Isto significa que engenheiros não acreditam numa coisa só porque todo mundo acredita. Ele precisa de provas! Provas científicas, A + B, essas coisas. A dúvida é a essencia do método cartesiano. É o chamado Ceticismo Metodológico: Deve-se duvidar de cada idéia que pode ser objeto de dúvida. Os gregos antigos acreditavam que as coisas existem simplesmente porque precisam existir. Descartes não. Ele insistia que "só se pode dizer que existe aquilo que possa ser provado". Os engenheiros adoram Descartes!
Portanto, seja cartesiana você também: tenha sempre uma boa explicação para qualquer coisa que você queira fazer ou propor. Por "boa explicação" entenda-se algum tipo de evidência (científica) de que aquilo faz sentido e tem lógica (matemática).
Nada de "assim fica melhor, porque fica mais bonito" ou "melhor fazer assim, porque todo mundo faz assim..." Isso não contará pontos a seu favor. Vai por mim.

4) Em decorrência do que foi visto acima, engenheiros detestam livros e palestrantes de auto-ajuda. Aquele nhem-nhem-nhem de "seja você mesmo" e "a força está dentro de você" não emociona essa gente. Esse pessoal aprendeu, lá no início da faculdade, que pensamento positivo, força de vontade e orações da mamãe não ajudam numa prova de Cálculo ou de Geometria Analítica. Eles se acostumaram com a idéia de que só se aprende Física por um dos três métodos seguintes: (1) Fazer centenas de exercícios, (2) Fazer centenas de exercícios e (3) Fazer centenas de exercícios! (Esse método, realmente, funciona. Mas quem quiser tentar outros, fique à vontade!).
O que isso significa pra você, que agora é secretária de um engenheiro? Significa que não há problema se ele encontrar qualquer coisa sobre a sua mesa (bilhete do seu namorado, material de maquilagem, ficha de inscrição no sindicato... qualquer coisa). Mas, Deus te livre, moça, de ele ver um livro do Daniel Godri, do Cesar Souza ou de qualquer desses padres ou pastores que escrevem por aí). E nem pense, nunca, em enviar pra ele uma mensagem em Power Point, cheia de frases de efeito e com uma musica suave como fundo. Isso fará você perder muitos pontos com ele

5) Engenheiros não se preocupam em ter escritórios bonitos. (aliás, você já viu um escritório de engenharia que seja bonito?). Por isso dificilmente ele irá tomar a iniciativa de propor qualquer coisa para enfeitar ou tornar mais humano o escritório. Mas ele não vai ligar se você trouxer um vaso com flores e colocar na sua mesa. Não vai ligar se você colocar uma samambaia num canto do escritório. Aliás, acredito que ele não ligaria nem mesmo se você plantasse uma árvore num dos cantos do escritório (mas é melhor não tentar isso).
Para o engenheiro o importante mesmo é que as coisas estejam sempre no lugar onde se espera que elas estejam. É importante que o sistema funcione. Portanto, disciplina parece ser uma qualidade muito apreciada pelos engenheiros em suas secretárias.
Acostume-se a guardar as coisas sempre no mesmo lugar e a manter o escritório sempre do mesmo jeito. Não mude o lugar das coisas (aquele vaso ou aquela samambaia deverão ser colocados num lugar onde antes não havia nada. Isso é importante!).

6) Tenha paciência. Nos primeiros meses ele vai tratar você como se você fosse uma incapaz! Ele vai achar que você não sabe nada de nada. Ele é assim mesmo. Mas não é por mal! É que engenheiros dominam algumas áreas do conhecimento humano, como a Matemática a Física a Química, e suas Tecnologias (dominam, por dever de ofício). O problema é que muitos deles pensam que não existe vida inteligente fora das ciências naturais. Pensam que tudo na vida se resolve com física e matemática. Portanto, se o seu chefe for um engenheiro típico, ele vai demorar a perceber que você tem idéias e que é inteligente e que, muitas vezes, conseguirá resolver problemas que ele mesmo não consegue. Dê tempo ao tempo.

Fora isso, pode-se dizer que engenheiros são, praticamente, pessoas normais. Não se preocupe. Vocês vão se dar bem. Ou não. Só não diga que eu não avisei!



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



PS(1): Neste artigo as questões de gênero não foram seguidas para não quebrar o ritmo do texto. Por isso engenheiros foram sempre apresentados como homens e a secretária como mulher. Mas você pode fazer a adaptação que for preciso para a sua realidade. Eu mesmo, nesses 25 anos depois de formado, já tive, por três vezes, secretários homens. Muito competentes, por sinal.

PS(2): Este artigo contém exageros e generalizações. Não deve ser avaliado com escalímetro, calculadora e dicionário. (mas foi escrito com base nos resultados de pesquisa que eu estou fazendo, desde 2002, sobre as Características Distintivas de Engenheiros e Arquitetos).

PS(2): Leia também o artigo CARTA PARA A RECÉM CONTRATADA SECRETÁRIA DO ARQUITETO (Com participação especial de Ricardo Meira, Osvaldo Pontalti e Zito Ferreira)


Leia o artigo completo

30/09/2012

CARTA PARA A RECÉM CONTRATADA SECRETÁRIA DO ARQUITETO
(Com participação especial de Ricardo Meira, Osvaldo Pontalti e Zito Ferreira)

(Publicado em 22/05/2012)



Uma moça de Itabira, Minas Gerais, leu o meu artigo CARTA PARA A RECÉM CONTRATADA SECRETÁRIA DO ENGENHEIRO e resolveu me pedir ajuda. Não, ela não foi contratada para trabalhar no escritório de um engenheiro. Ela é recém contratada secretária de um Escritório de Arquitetura. Quer saber como agir e como lidar com esse tipo de profissional para ter sucesso na sua carreira.

De repente me vi numa situação difícil. Não saberia exatamente o que dizer para uma pessoa nessa situação. Nunca tinha pensado nisso. Resolvi, então, pedir socorro para quatro colegas arquitetos (inteligentes, criativos e bem humorados). Um deles, o Arquiteto Ricardo Meira, de Brasília, (o Arquiteto Daltônico), me mandou uma resposta super completa, que aparece neste artigo em VERMELHO ESCURO (e em em itálico para que o meu amigo, que é daltônico, possa identificar no texto a sua valiosíssima contribuição)

Pois bem, Ana Paula. Aqui vão algumas coisas que você precisa saber sobre arquitetos e que importam para a sua sobrevivência imediata como secretária de um deles.

1) Arquitetos têm aversão a qualquer ferramenta de organização: agendas, listas, folhinhas, cadernos. Somos desorganizados por natureza (eu sei, é triste isso); A secretária terá que controlar TOTALMENTE os compromissos do chefe.
Uma observação: o que o Ricardo chama de desorganização é, na verdade, indisciplina. Os arquitetos são muito organizados (conseguem determinar o lugar certo das coisas e a melhor distribuição das peças nos espaços). Portanto, o que a secretária precisa ser é EXTREMAMENTE DISCIPLINADA para manter as coisas sempre no devido lugar

2) Arquitetos odeiam rotina, métodos, listas, tudo que se parece minimamente com um padrão facilmente reconhecível. Caso contrário seríamos engenheiros.

3) Imagem é tudo. Clientes reparam até na marca do sapatênis do arquiteto. Portanto, vão reparar na roupa, nas unhas, no cabelo e, principalmente, se ela fala “menas”, “vou estar passando a ligação” ou qualquer aberração gramatical;

4) Somos divas. Gostamos de ser paparicados. Cafezinho e água na mesa ao chegar é o mínimo. Ah, um elogiozinho também não faz mal;

5) O escritório é o cartão de visitas do arquiteto. Se não tivermos nossa “casa” organizada e bonita, como atenderemos ao cliente?

6) É fundamental que a secretária tenha jogo de cintura ao telefone. A secretária é o “muro de contenção” até o arquiteto. Ela deve ter em dia o repertório de desculpas para aquele projeto atrasado (claro que não é por culpa do arquiteto);

7) Aquela imagem de glamour, estilo, aquele ar “descolado” é separado do caos total por uma linha muito tênue. Ser descolado não é ser bagunceiro. Aquelas amostras de porcelanato, cartelas de cor e catálogo de louças têm uma certa ordem, por mais que as evidências digam o contrário.
(Não falei? - lá em cima, no item 1)

8) Ah, o arquiteto nunca está errado. Se ele não te passou aquele compromisso ou se esqueceu de fazer as compras do escritório, a responsabilidade é sua de não tê-lo lembrado.

IMPORTANTE: o amigo Ricardo meira jura que essas dicas não são, em hipótese alguma, autobiográficas, diga-se de passagem (nunca admitiria se o fossem).

Mandou muito bem, Ricardo. Não preciso dizer mais nada!
Mas fica aberto o espaço dos comentários para que outros colegas arquitetos ajudem a nossa recém contratada secretária. Acredito que ainda existam muitas outras dicas interessantes esperando para serem expressadas.

ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | ep@eniopadilha.com.br



Abaixo reproduzo, na íntegra (até os negritos e a famosa assinatura "OP"), a resposta que recebi do segundo colega consultado: Osvaldo Pontalti, grande amigo, inteligentíssimo, espirituoso, perspicaz... o tipo do sujeito bom para se ter à mesa num almoço, se você quiser se divertir, aprender algumas coisas e refletir sobre as idiossincrasias da humanidade.
(só pra esclarecer, Osvaldo Pontalti e Ricardo Meira são amigos. Daí as liberdades...)

Diga lá, Pontalti:

Dr Ênio,
Mas que audiência....Zito, Maristela e Ricardo.
Vamos lá, a convite do Dr Ênio não me furto nem churrasco na laje...

Considerações sobre o texto do Arquiteto Ricardo. Pô cara, não é bem assim, arquiteto organizado existem, e muitos. Eu por exemplo, sério. Veja que estranho, e se estivermos falando a sério, creio que não difere a secretária do engenheiro com a do arquiteto. Todas devem ter um excelente senso de organização, sorrir até ao atender o telefone, postura séria. Por postura séria quero dizer que uma das secretárias que tive chamava-me de querido, na verdade ela chamava todos de querido, querido chefe, querido cliente, etc...isso é uma postura ruim, querido é o marido dela, sei lá.

Outra coisa é roupa. Por mais descolados e mais jeans rasgados, barriguinha de fora com gordurinhas saltitantes não dá.
Cabelo seboso e cheiro de ônibus, não dá.
Mau humor de TPM não dá. Secretária não tem TPM.
Cordialidade, sorrir ao telefone, vestir-se adequadamente, letra bonita, é sim, letra inteligível e português correto.

Organizada, atenciosa, determinada e de preferencia linda, muito linda, com atributos físicos admiráveis. De causar ciúme doentio na mulher do arquiteto chefe.

Pontualidade é primordial, o arquiteto muitas vezes vai as obras (terças e quintas) e não passa no escritório antes...ou é mentira e a senhorita resolve, justo nas terças e quintas, atrasar.

Obviamente o arquiteto deverá explicar a nova secretária quais são os assuntos (o negócio) do escritório e inteirá-la que lá não se faz projetos e obras mas constroem-se sonhos, certo Dr. Ênio!

Outra coisa é a linguagem, nada de casinha, janelinha, projetinho, banheirinho. O diminutivo deve ser abolido por todos os personagens do escritório. É casa ou residência do casal Garcia. É reforma do banheiro social do Clube Alvorecer.

Outra coisa, colega arquiteto que liga pro teu escritório é arquiteto. Cliente médico é Dr Macedo e não o "o nosso cliente, o tal Macedo". Telefones devem estar na ponta da língua, assim como os e-mails.

Uma secretária desorganizada pode ser salva com a organização do chefe. Nenhuma secretária organizada salva um chefe desorganizado.

Finalizando, se a guria for ruim, ruim de serviço certo, manda ela para o escritório concorrente com carta de recomendação positiva. Mentir pode vir a ser uma condição estratégica, kkkk.

Abraço,
OP.


Boa Pontalti! Certeiro, como sempre!


Chegou agora mais uma reflexão interessante para nossa amiga Ana Paula. Vem do grande amigo Zito Ferreira. Pra quem não teve ainda o prazer de conhecê-lo, trata-se do autor das ilustrações em três dos meus livros (por aí já dá pra deduzir que eu o tenho em altíssima conta). Arquiteto formado pela UFSC, reside e trabalha em Florianópolis-SC. Artista plástico que domina diversas técnicas (óleo, crayon, entalhe em madeira, charge e desenho animado, entre outras coisas), mantém um Escritório de Arquitetura em Florianópolis (http://505arq.com.br).
Vejam o que ele nos diz:


Caro Ênio,

O nosso amigo Osvaldo Pontalti foi especial como sempre. Forte abraço para os amigos.

Defino um escritório de arquitetura como o espaço(empresa) fundamental no desenvolvimento de idéias, alinhado ás varias técnicas e processos utilizados na construção civil, urbanismo e demais áreas correlatas.

Portanto o leque de atividades é bastante amplo e com um nível de interação intenso, além disto, os escritórios de Engenharia e Arquitetura fomentam e dimensionam negócios, atendem empresas, profissionais, pessoas e acabam normalmente tendo a sua maior carência na área de maior demanda, o gerenciamento.
Este gerenciamento começa no escritório, com as demandas internas, identificando as tarefas e suas prioridades, logo, uma boa secretária estaria sempre auxiliando nestas demandas, também deveria organizar e coordenar a parte documental do Escritório de Arquitetura ou Engenharia, tento todas as informações necessárias dos processos juntos aos órgãos, contas a pagar e também a documentação do próprio escritório.

Por último, a polidez e desenvoltura deixem para o especialista Osvaldo Pontalti que bem descreveu.

Portanto, o que fica claro é que aquela secretária congelada em nossa memória, que apenas controla uma única demanda, como por exemplo, de grande parte dos profissionais liberais, na Engenharia e Arquitetura não se encaixa mais.

Zito Ferreira


Grande Zito!!! Ezumonstro! Dazumbanho, né, quirido?



PS(1): Neste artigo as questões de gênero não foram seguidas para não quebrar o ritmo do texto. Por isso arquitetos (e engenheiros) foram sempre apresentados como homens e a secretária como mulher. Mas você pode fazer a adaptação que for preciso para a sua realidade.

PS(2): Este artigo contém exageros e generalizações. Não deve ser avaliado com escalímetro, calculadora e dicionário.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br

Leia as dicas do Arquiteto Ricardo Meira:

23/08/2012

QUEM PRECISA DE EMPREGADOS?

(Publicado em 23/08/2012)



Muitos escritórios de Arquitetura e de Engenharia, no Brasil, funcionam sem um único empregado. Nem uma secretária. É apenas o profissional que, sozinho, cuida de todas as tarefas. Infelizmente isso é uma realidade em um número muito maior de escritórios do que a maioria de nós imagina.
São o que eu chamo de "euscritórios de Engenharia ou de Arquitetura"


Uma empresa (qualquer empresa, e isso inclui um escritório de Arquitetura ou de engenharia) deve utilizar os seus recursos para produzir aquilo que irá disponibilizar ao mercado (os produtos) proporcionando, assim, uma série de benefícios aos stakeholders.

Stakeholder é todo indivíduo (ou grupo de indivíduos) que tem com a organização uma relação de propriedade, poder, influência ou interesse. Pode ser Stakeholder Primário (acionistas, empregados, consumidores e fornecedores) ou Stakeholder Secundário (comunidade, governo e sociedade).

Os principais recursos que uma empresa dispõe são os seguintes:



• Recursos Materiais (recursos físicos, como edifícios, prédios, máquinas, equipamentos, instalações, ferramentas, matérias-primas, etc);
• Recursos Naturais (recursos disponíveis na natureza, que as empresas utilizam para construir as instalações ou como matéria prima);
• Recursos Financeiros (capital, dinheiro em caixa ou em bancos, créditos, contas a receber, investimentos, etc);
• Recursos Humanos (pessoas que trabalham na empresa);





Cada tipo de empresa valoriza o tipo de recurso que tem maior participação e importância no seu processo produtivo. Assim, por exemplo, um banco valorizará muito mais os seus recursos financeiros, uma fábrica terá de dar especial atenção aos recursos materiais, uma mineradora cuidará dos seus recursos naturais...

E uma empresa prestadora de serviços deverá dar especial atenção aos seus Recursos Humanos, pois esse recurso é o mais decisivo para o sucesso desse tipo de empresa.

Um Escritório de Arquitetura/Engenharia é uma empresa fornecedora de serviços. deveria dar muita importância a essa questão dos empregados. As faculdades de Arquitetura e de Engenharia deveriam ensinar isso de forma muito insistente aos seus alunos: Arquitetura e Engenharia são atividades profissionais que não podem ser exercidas (com sucesso comercial) de maneira solitária e individual. É preciso uma equipe de trabalho para transformar as ideias e as soluções que estão na cabeça do engenheiro ou do arquiteto em um produto comercialmente viável.

Uma equipe de trabalho (secretárias, assistentes, estagiários e outros profissionais) bem selecionada e bem treinada é um grande diferencial competitivo pois, embora não seja um recurso raro, pode ser idiossincrático (o concorrente não consegue imitar e é um recurso feito sob medida para aquele escritório em particular).

Embora o simples fato de ter uma secretária não constitua ponto forte de um escritório de Engenharia/Arquitetura, a recíproca (não ter uma secretária) constitui um ponto fraco da empresa que pode ser explorado pelos concorrentes.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



Texto extraído do livro ADMINISTRAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE ARQUITETURA E ARQUITETURA




---Artigo2012 ---Administração


Continue a leitura e deixe seus comentários

26/03/2010

TRATAR BEM OS EMPREGADOS E SUBORDINADOS; NÃO EXPLORAR OS FORNECEDORES

Como todo profissional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia sabe (ou deveria saber), neste ano haverá o 7º Congresso Nacional dos Profissionais (Será realizado em Cuiabá, no mês de agosto).

Centenas de eventos preparatórios (locais, regionais e estaduais) serão realizados no Brasil inteiro, envolvendo todos os profissionais interessados em participar do processo.

O Confea elaborou um caderno com Textos Referenciais relativos aos diversos temas do Congresso (podem ser acessados AQUI). Um desses textos foi escrito por mim, para o Eixo Referencial EXERCÍCIO PROFISSIONAL e tem o título "O EXERCÍCIO PROFISSIONAL E A SUSTENTABILIDADE DAS PROFISSÕES: UMA ABORDAGEM MERCADOLÓGICA" (16 páginas). O tópico 5 deste artigo relaciona "Dez Elementos para o Exercício Profissional Sustentável".

Aqui estão dois deles:

Leia o artigo completo


1 2 »