Notas de "URBANISMO"

05/10/2015

TRÊS ELEMENTOS IMPORTANTES PARA PROJETAR UMA RUA MAIS ADEQUADA AOS PEDESTRES

"Nova Iorque é a cidade mais caminhável dos Estados Unidos e apresenta várias qualidade de desenho urbano", comenta Reid Ewing, pesquisador da Universidade de Utah. Junto a outros quatro pesquisadores de diferentes universidades dos EUA, Ewing realizou um estudo para identificar os elementos de desenho urbano presentes nas ruas da maior cidade americana que fazem com que mais pedestres queiram ocupar as ruas.

Para determiná-los, os pesquisadores selecionaram 20 características de desenho e paisagem urbana e as compararam com o número de pedestres que transitam por 588 quadras de Nova Iorque, concluindo que três destes elementos são essenciais e têm um impacto positivo nos cidadãos e no entorno.

Saiba quais são estes elementos.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily

Comentários?

24/09/2015

MINISTÉRIO CRIA DUAS NOVAS SINALIZAÇÕES RELACIONADAS À BICICLETA

O Ministério das Cidades apresentou nesta terça-feira, 22, data em que se comemora o Dia Mundial Sem Carro, duas novas sinalizações relacionadas à bicicleta: uma placa e a outra para ser pintada no solo.
A primeira indica circulação compartilhada de ciclistas e pedestres. A placa será usada para assinalar que a calçada, canteiro, passagem subterrânea de pedestres, passarela, trecho de via, pista ou faixa é de circulação compartilhada de ciclistas e pedestres.

A outra sinalização é o Símbolo Indicativo de Rota de Bicicleta (Ciclorrota), que indica a existência de rota sinalizada para ciclistas. São de dois modelos: o primeiro é a imagem da bicicleta feita em branco que será pintada sobre o solo; o segundo, a imagem da bicicleta feita em vermelho tem um fundo branco. A escolha por um dos dois é opcional, a depender do melhor contraste.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site jornaldebrasilia

Comentários?

31/08/2015

PAISAGISMO: A CHAVE PARA O FUTURO DE NOSSAS CIDADES

esfrutar do tempo livre em espaços públicos bem desenhados é um dos aspectos mais importantes para a maior parte dos que vivem em uma cidade. Então, por que é investido tão pouco tempo e dinheiro para seu desenho? Neste artigo, publicado originalmente na revista Metropolis com o título "Designing Outdoor Public Spaces is Vital to the Future of our Cities", Kirt Martin, vice-presidente de Design e Marketing do escritório de mobiliário urbano Landscape Forms, afirma que o paisagismo e o design industrial focados no setor público são a chave para a saúde e a felicidade das cidades.

Todos apreciamos nosso tempo em espaços abertos. Mas por que prestamos tão pouca atenção em seu desenho?



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily

Comentários?

28/08/2015

PROJETO ANTES/DEPOIS

Proporcionar mais espaço aos pedestres é uma das principais metas dos projetos de renovação urbana em muitas cidades do mundo.

Recorrendo à distribuição do espaço público, que implica, muitas vezes, em restringir o espaços dos automóveis - seja nas ruas ou estacionamentos -, plantar mais árvores, construir mais calçadas e ciclovias e estabelecer novas zonas de lazer, é possível projetar lugares mais acolhedores, com menos congestionamento viário e que fomentam o uso de meios de transporte sustentáveis, como as caminhadas e o ciclismo.

Visando divulgar as renovações que mudaram o desenho das cidades, o coletivo brasileiro Urb-I, composta por arquitetos e urbanistas, iniciou o projeto Antes/Depois, que, como diz seu nome, mostra como era as ruas no passado e como são hoje, expondo indubitáveis mudanças em seus desenhos.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily

Comentários?

17/08/2015

ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO DA UFF RESPONDE ÀS DECLARAÇÕES DE EMPRESÁRIO SOBRE OBRAS DA OLIMPÍADA
NO RIO DE JANEIRO

Professores e o diretor da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense (EAU-UFF), Luiz Renato Andrade redigiram uma carta coletiva em resposta às declarações do incorporador Carlos Carvalho, dadas no início do mês ao jornal The Guardian e à BBC Brasil, sobre a preparação do Rio de Janeiro como cidade olímpica para os Jogos Rio 2016.
Nas reportagens, intituladas "The Rio property developer hoping for a $1bn Olympic legacy of his own" (The Guardian, 4 de agosto) e "''Como é que você vai botar o pobre ali?'', diz bilionário ''dono da Barra da Tijuca''" (BBC Brasil, 10 de agosto), Carvalho afirma que os projetos em execução no Rio de Janeiro foram desenvolvidos para um mercado de alto padrão e que a área precisa de empreendimentos residenciais nobres, e não "habitação para os pobres".
A carta da EAU-UFF rebate essa declaração.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site au.pini.

Comentários?

03/08/2015

REPROGRAMAÇÃO DA CIDADE: DICAS PARA REUTILIZAR A INFRAESTRUTURA URBANA

Uma compilação que retoma intervenções urbanas realizadas em diversas cidades do mundo foi elaborada pelo estrategista urbano, Scott Burnham, para sua exposição “Reprogramação da Cidade: Oportunidades para a Infraestrutura Urbana” que estreou em outubro do ano passado no Centro Dinamarquês de Arquitetura.

Nela, Burnham mostra como as cidades podem aproveitar sua infraestrutura subutilizada através da "re-imaginação, re-utilização e re-invenção", fazendo, assim, com que os cidadãos sejam beneficiados e contem com novas formas de compartilhar a cidade.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily

Comentários?

29/07/2015

CINCO PRINCÍPIOS DE PLANEJAMENTO URBANO PARA TORNAR AS CIDADES SUSTENTÁVEIS

A urbanização na América Latina e China é um processo que tem se desenvolvido de forma muito similar, em decorrência do êxodo rural, mas que apresenta uma radical diferença: a velocidade.

Este fator se reflete, por exemplo, no fato de que nos últimos 35 anos, as cidades chinesas receberam mais de 560 milhões de habitantes provenientes das áreas rurais, quantidade equivalente a população total da América Latina, segundo o informativo “Urbanización Rápida y Desarrollo: Cumbre de América Latina y China”, elaborado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Utilizando os dados deste documento como referência, a arquiteta Nora Libertun - PhD em Desenvolvimento Urbano no MIT e mestre em urbanismo na Universidade de Harvard - acaba de elaborar cinco princípios para que a urbanização e os desafios colocados por ela possam ser abordados através de um enfoque sustentável, evitando, assim, a exagerada expansão urbana e o desequilíbrio do meio ambiente.

Veja, os cinco princípios colocados por Nora Libertun:



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site asbea

Comentários?

27/07/2015

PODEM NOSSAS CIDADES SOBREVIVER AOS ...ARQUITETOS?

O título dessa matéria remete a um grande e esquecido livro de Josep Lluis Sert, escrito durante a Segunda Guerra Mundial. Sert sintetizou as ideias do Movimento Moderno a partir das CIAM (Conferências internacionais de Arquitetura Moderna) juntamente com suas próprias ideias e as de outros jovens profissionais, como Josep Torres Clavé, morto na frente republicana durante a guerra civil. Sert, como Torres Clavé, teve uma relação estimulante com Le Corbusier mas, como se percebe no livro citado, ele possuía uma sensibilidade cidadã especial, que nem sempre esteve presente no temperamento do líder das CIAM.

Os arquitetos podem ser também urbanistas, mas nem todos os arquitetos, uma pequena parte inclusive, o são. Da mesma forma, existem muitos urbanistas que não são arquitetos. Como Ildefonso Cerdà, engenheiro civil e um dos fundadores do urbanismo moderno. Há urbanistas que procedem de carreiras técnicas, das ciências sociais ou da gestão pública. Na realidade, o urbanismo é uma prática que com o tempo, a acumulação de experiências e a análise crítica constitui um corpo doutrinal respeitável e muito mais sólido que as ciências sociais acadêmicas, já que elas não dispõem da verificação na vida social.

Mas são os profissionais que definem a cidade?



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily

Comentários?

14/07/2015

MANUAL PARA CONSTRUÇÃO DE CALÇADAS

Abordando algumas questões ligadas ao desenho dos espaços públicos das cidades, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) produziu e disponibilizou um guia prático para a construção de calçadas. Em 25 páginas são tratados temas como acessibilidade, estratégias de desenho, tipos de pavimentação e a criação de calçadas verdes através de textos, cálculos e ilustrações que explicam e exemplificam detalhadamente cada um dos tópicos.

Definindo a calçada ideal como "aquela que garante o caminhar livre, seguro e confortável de todos os cidadãos", o guia inicia com as principais características que uma calçada deve apresentar: ser acessível, ter uma largura adequada, apresentar fluidez e, evidentemente, proporcionar segurança aos pedestres.

Destinado, sobretudo, a arquitetos, urbanistas e engenheiros, o manual não explora apenas questões de desenho, mas também de materiais, oferecendo alguns exemplos e sugestões de emprego de tipos de pavimentação para diferentes situações e contextos e mostrando as especificações técnicas e características de cada um desses produtos.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site archdaily

Comentários?

14/07/2015

PARIS SMART CITY 2050

O urbanista de origem belga Vincent Callebaut define-se a si próprio como um “arquibiotecnólogo” pela forma como alia o projeto urbano à ecologia e sustentabilidade. Uma das suas mais recentes criações foi um masterplan futurístico do centro da cidade de Paris que intitulou “Paris Smart City 2050“. A visão do projetista para a Paris do Futuro inclui um extenso corredor verde ao longo da atual Petite Ceinture e gigantescos jardins verticais que integram, de forma extrema, a natureza na capital francesa.



Clique sobre a imagem ou AQUI para obter mais informações no site engenhariacivil

Comentários?


« 1 2 3 4 5 6 7 »