Notas de "ÊNIO PADILHA ENTREVISTADO"

23/11/2019

FALANDO DE ENGENHARIA - RÁDIO CLUBE DE BLUMENAU
(Entrevista para Gláucia Gebien)

(Publicado em 23/11/2019)





Clique sobre a imagem acima para ver a integra da entrevista ao programa FALANDO DE ENGENHARIA comandado pela Engenheira Gláucia Gebien, na Rádio Clube Blumenau, neste sábado, 23/11/2019 (Dia do Engenheiro Eletricista)






Clique sobre a imagem acima, converse diretamente com a OitoNoveTrês (pelo Whatsapp).

09/09/2019

UMA ENTREVISTA PARA ESTUDANTES DE ENGENHARIA



(Publicado em 26/08/2014)



Atendendo ao pedido de um professor, que é meu amigo, respondi (de bate-pronto) algumas perguntas feitas pelos seus alunos, estudantes de Engenharia no início do curso. Dá uma olhada:



1. Qual a maior dificuldade na área da engenharia?
A maior dificuldade é a responsabilidade objetiva. Engenheiros são contratados para entregar uma solução objetiva. Não podem apenas "tentar" ou "fazer o melhor possível". A coisa tem de acontecer, efetivamente. O prédio tem de ficar de pé, o avião tem de voar, o navio tem de flutuar, a instalação elétrica tem de funcionar... simples assim.

2. O que despertou o interesse na profissão?
O desejo de dominar áreas de conhecimento que pouca gente consegue entender.

3. Qual o prazer que a profissão lhe oferece?
O conhecimento.

4. Sendo alguém que já atua na área, qual a visão para o mercado de trabalho a longo prazo?
O mercado de trabalho para engenheiros é muito amplo, pois não se limita aos campos da Engenharia propriamente dita. Os conhecimentos adquiridos na faculdade permitem ao engenheiro conquistar espaços em muitas outras áreas. E se dar bem em todas. Nesse sentido, o mercado de Engenharia, no longo prazo, sempre será muito bom.

5. Qual o maior obstáculo já enfrentado em uma obra?
No meu caso, o problema de altura. Tenho vertigem e trabalhar em altura sempre foi um grande problema para mim.

6. Qual a maior dificuldade no inicio da carreira?
Não tive, felizmente. Tive uma boa formação na faculdade. Quando saí da faculdade disputei 6 vagas de emprego (em São Paulo) e fui chamado em 5. Então, não tenho do que me queixar.

7. Quais vertentes da engenharia você projeta ser mais promissora?
As clássicas: Engenharia Civil, Elétrica, Mecânica e Química. Todas as outras, de certa forma, derivam dessas clássicas.

8. Como o bim tem influenciado no mercado?
A tecnologia BIM alterou o processo produtivo nos escritórios de projeto de uma forma que o AutoCad nunca nem chegou perto. Muda o conceito de projetar e elimina a figura do desenhista que depois se tornou cadista. Não existe nem existirá um BIMista. Nos escritórios de projeto o AutoCad era (ou poderia ser) operado por uma pessoa que podia não ser o projetista. Poderia não ser um arquiteto ou engenheiro. Com o BIM isso não ocorre porque os softwares de tecnologia BIM não são softwares de desenho e sim de projeto. Isso muda TUDO.

9. O que pretende fazer para diferenciar-se no campo?
Estudar muito na minha área de especialidade. É preciso estudar muito para estar sempre um passo à frente dos concorrentes.

10. Comente 2 maiores experiências já vividas na área da engenhara.
As melhores experiências que eu tive como profissional de engenharia foi ver uma obra ser realizada (ficar pronta e funcionando ) quando eu tinha aplicado nessa obra alguma inovação no projeto ou no processo. Ver que uma coisa nova funcionava como tinha sido prevista na minha cabeça era uma grande satisfação.

11. Qual deve ser a postura de um engenheiro perante um problema?
Escrevi um artigo sobre isso: http://www.eniopadilha.com.br/artigo/231

12. Se pudesse patentear uma obra/invenção já conhecida, qual seria?
O carro elétrico.







DIVULGAÇÃO



PADILHA, Ênio. 2014












Deixe aqui seu comentário

09/01/2018

ENTREVISTA PARA SÉRGIO SANTOS

(Publicado em 09/01/2018)





Com muita honra, recebi o convite do meu amigo Engenheiro Sérgio Santos para participar, como entrevistado, do seu Podcast engTHEcast.

Clique sobre a imagem acima, ou AQUI para ouvir o conteúdo da entrevista.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---PodCast2018

Deixe aqui seu comentário

04/12/2017

ENIO PADILHA - ENTREVISTA CONCEDIDA AO CASA DECOR
(PROGRAMA DE SISSA SCARPA - CANAL 4 - MARÍLIA-SP)

(Publicado em 26/06/2016)



Programa Casa Decor com Sissa Scarppa -- Entrevista com Engenheiro Eletricista, Palestrante e Escritor Énio Padilha. Programa que foi ao ar no dia 22 de junho de 2017





Bloco 1: Apresentação geral do trabalho. Comentários sobre os gurus da prosperidade. O foco do trabalho.






Bloco 2: Participação da arquiteta Pâmela, comentários sobre o livro Arquiteto 1.0. Apresentação de Jean Tosetto, co-autor do livro. Os "segredos" do marketing. O principal erro cometido pelos profissionais na administração dos seus escritórios. A subvalorização que professores e alunos dão para disciplinas de ciências sociais aplicadas






Bloco 3: marketing - uma das quatro grandes áreas da administração. Comentários sobre o livro Marketing para Engenharia e Arquitetura. A presença dos arquitetos no mercado brasileiro nos últimos 20 anos.

Deixe AQUI o seu comentário

15/11/2016

ENTREVISTA (Fragmento)

A edição nº 233 - Agosto de 2016 - da REVISTA TECHNE (a mais importante revista da Engenharia brasileira) traz uma longa entrevista comigo.
Nesta edição do nosso Três Minutos trago duas das perguntas (e respostas) publicadas. Dá uma olhada:




TRÊS MINUTOS - Ano 17 - Número 391 (Ênio Padilha, 15/11/2016)



4) É certo que o papel do engenheiro, além do domínio técnico em sua área, é também o de administrador de pessoas, custos e processos? Essa é uma exigência funcional, profissional ou de nossa sociedade?
A capacidade gerencial e a habilidade de administrar processos, pessoas, e finanças é, na verdade, um recurso residual da formação dos engenheiros. Ao desenvolver o raciocínio lógico e abstrato (com os estudos de matemática, física e química) os engenheiros acabam se apropriando do conhecimento e das habilidades que são a base para a Economia e a Administração. Por isso, engenheiros que gostam da área da Administração costumam se dar muito bem, pois têm muita facilidade de lidar com os fundamentos daquela profissão.

5) A sociedade moderna introduz novas tecnologias, materiais e processos todos os dias. Caso, por exemplo, de materiais concebidos com nanotecnologia, recursos de realidade virtual e aumentada, modelagem de projetos (BIM), IoT (Internet das Coisas) e tantas outras novidades. Como se preparar para tudo isso?
Esse é um dos grandes desafios para o engenheiro que quer construir uma carreira bem sucedida e sustentável: manter-se atualizado sobre o que há de novo em termos de desenvolvimento da ciência e da tecnologia. O engenheiro (qualquer que seja a sua área ou especialidade) deve ter uma sólida cultura tecnológica. Para isso ele não pode perder o fio da meada. Não deve ficar tempo sem ler livros e revistas técnicas, sem participar de congressos ou de cursos de formação continuada. Tem de se manter “em forma”.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




(Clique sobre a imagem (acima) para fazer o download da entrevista completa)

Deixe AQUI o seu comentário

30/09/2016

REVISTA TECHNE - Edição nº 233 - Agosto de 2016



Clique sobre a imagem acima para obter o arquivo com a entrevista completa

Deixe AQUI o seu comentário

10/08/2016

JOSÉ MARIA NUNES NO PROGRAMA DO NERI CONTE

JOSÉ MARIA NUNES e ÊNIO PADILHA no programa "Na Boca do Povo" comandado pelo "estimado" Neri Conte, um patrimônio da cena cultural de Rio do Sul, Santa Catarina.









Veja a entrevista completa

Comentário do Ênio Padilha

Agradeço e mando um grande abraço ao grande e estimado amigo Neri Conte, que sempre abre as portas do seu programa para a divulgação do nosso trabalho.

PS. Um parabéns especial ao pessoal da Banda Chapéu Preto. Show!

Deixe AQUI o seu comentário

29/07/2015

ENTREVISTA NO PROGRAMA DO NERI CONTE - RBA-TV - RIO DO SUL

Nesta semana foi ao ar a entrevista que eu dei a um grande amigo, Neri Conte, que comanda um programa na TV local da minha cidade natal.
Foi uma experiência sensacional e a conversa foi muito produtiva. Agradeço ao estimado amigo Neri pela oportunidade e disponibilizo aqui os quatro blocos da entrevista, para os meus queridos leitores.





Primeiro Bloco: abertura





Segundo bloco: conversando sobre o livro





Terceiro bloco: falando sobre carreira e potencial de mercado para engenheiros





quarto bloco: segue o baile... e um pinga-fogo no final.

Deixe AQUI seu comentário:

07/08/2014

ENTREVISTA AO PORTAL IESB

(Publicado em 07/08/2014)



Em julho deste ano concedi uma entrevista à jornalista Iasmine de Assis, do Portal Iesb, de Brasília, sobre alguns dos meus livros. Dá uma olhada nas perguntas e nas respostas:


Você escreveu um livro destinado à administração de empresas de Arquitetura e Engenharia. Você acha que falta esse conhecimento aos profissionais?
A formação dos Arquitetos e dos Engenheiros, no Brasil, privilegia o conteúdo técnico e dá menos importância à formação gerencial e empreendedora. Mesmo nas escolas que incluem na grade curricular disciplinas da área das Ciências Sociais Aplicadas não existe uma orientação no sentido de dar ao aluno o senso de importância desse conhecimento.
O resultado disso é que os profissionais formados (até mesmo os formados nas melhores universidades) apresentam essa lacuna importante na sua formação, que são os conhecimentos da área de Administração e Empreendedorismo.
Os profissionais são formados para o trabalho, mas não são formados para o mercado do trabalho. Não têm noções sólidas de Gestão da Carreira e menos ainda de como criar ou gerir empreendimentos. Por conta disso, raramente uma empresa de Arquitetura ou de Engenharia se torna lucrativa e bem sucedida antes de 15 ou 20 anos de existência. Nesses casos pode-se afirmar que o sucesso se deu muito mais como resultado de um processo de tentativas e erros do que como resultado de estratégias concebidas e implementadas à luz dos conhecimentos de Administração disponíveis para os Gestores.


Nessa mesma obra, a ideia era escrever para um público leigo em empreendedorismo na área de engenharia e arquitetura. Como é possível aos profissionais que não têm habilidades empreendedoras, serem empresários de sucesso?
Os arquitetos e engenheiros não recebem (na sua formação de base) os conhecimentos de Administração e Empreendedorismo. Mas isso não significa que eles não tenham condições de aprender rapidamente. Nas grandes empresas e, principalmente, no mercado financeiro, tem muitos engenheiros e arquitetos fazendo sucesso. Justamente porque esses profissionais, depois que aprendem a dominar a ciência da administração tornam-se excepcionais administradores e empreendedores.

Qual a importância do profissional arquiteto/engenheiro ter conhecimentos em marketing, uma vez que existem empresas especializadas nesse ramo?
O que acontece é que serviços de engenharia/arquitetura são produtos complicados, por conta das características da prestação de serviços (Intangibilidade, Inseparabilidade, Variabilidade, Improtegibilidade, Inarmazenabilidade e Precificação subjetiva), além das características específicas da prestação de serviços de engenharia/arquitetura: (1) Não é um produto final; (2) não é um produto de consumo de massa; (3) Não é um produto fácil de ser compreendido pelo cliente e (4) trata-se de um produto cujos benefícios e vantagens não são evidentes ao cliente.
Mesmo as empresas especializadas disponíveis no mercado têm dificuldade para lidar com essas características. Se o profissional enfrentar a guerra do mercado sem compreender isso e sem desenvolver uma estratégia capaz de produzir resultados nessas condições o seu desempenho comercial será, no mínimo, problemático.

Na obra Valorização Profissional existem diversas dicas para que os profissionais sejam reconhecidos. Você analisa nesse contexto que ainda pode haver diferenças de valorização entre homens e mulheres nesse ramo?
Sem dúvida. Tanto na Engenharia (predominantemente masculina) como na arquitetura (predominantemente feminina) existem espaços do mercado de trabalho que são resistentes à atuação dos profissionais do gênero oposto. Nada que não possa ser enfrentado com sucesso, mas não se pode desprezar essa força contrária.

Qual de suas palestras, na sua avaliação, tem mais impacto na carreira do profissional arquiteto ou engenheiro? Qual informação principal ele precisa adquirir ao assisti-la?
Sem dúvida, a palestra com maior impacto na carreira dos profissionais é a palestra sobre GESTÃO DE CARREIRA E MARCA PESSOAL. Ela fala das diversas fases da vida e da carreira dos profissionais e sobre quais são as decisões/investimentos importantes que devem ser feitas em cada momento (fase) da vida para fazer jus aos resultados que se desejam nas fases seguintes.
Muitos profissionais maduros dizem, depois dessa palestra, que gostariam de ter ouvido essa conversa quando eram estudantes.
Felizmente essa palestra é muito solicitada por coordenadores de cursos de graduação e pelos Centros Acadêmicos, tanto de Arquitetura quanto de Engenharia.

Qual o conselho que você dá aos estudantes recém formados para que tenham o mesmo sucesso de grandes engenheiros/arquitetos?
Muitos conselhos poderiam ser uteis, mas eu creio que o mais interessante seria o profissional entender que, ao sair da faculdade você já está pronto (no sentido de que está habilitado e qualificado para atuar no mercado) mas que ainda é um profissional em formação. Precisa dedicar muito tempo, energia e dinheiro na formação continuada e na especialização. Portanto, invista todos os seus recursos em livros, cursos, viagens, assinatura de revistas, participação e congressos, seminários... torne-se um profissional melhor. Seu futuro agradece.



---Artigo2014 ---Valorização ---Administração

Deixe AQUI seu comentário:

30/04/2014

DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL
(Entrevista para Juliana Nakamura - Revista aU)

(Este artigo foi publicado em 30/04/2014)




ÊNIO PADILHA
professor@eniopadilha.com.br






No início do mês de fevereiro eu fui entrevistado (por e-mail) pela jornalista Juliana Nakamura, da Revista aU - Arquitetura & Urbanismo, para uma matéria sobre Diagóstico Empresarial. Eis as perguntas e respostas:


1) Qual é a função do diagnóstico empresarial? Em que medida ele pode ser útil na administração de um escritório de arquitetura?

2) Quais são as maiores dificuldades que as pequenas empresas enfrentam na hora de elaborar esse diagnóstico? Há metodologias específicas para elaborar esse diagnóstico?

3) Que dicas podemos dar para o arquiteto interessado em realizar um diagnóstico de seu escritório?



Leia as respostas
e deixe seus comentários


1 2 »