Notas de "ENGENHARIA"

22/03/2012

CREA-PA DESISTE DE REALIZAR A 69a SOEA
EVENTO SERÁ REALIZADO EM BRASÍLIA

O presidente do Confea afirmou, na tarde de ontem, durante a abertura da 1388a Sessão Plenária, que a Semana Oficial de Engenharia e Agronomia de 2012, previamente marcada para ser realizada em Belém (PA), ocorrerá em Brasília.

(Veja mais clicando sobre a figura)



Esta é, sem dúvida, uma notícia importante: nos últimos 17 anos (tempo em que eu tenho acompanhado a SOEAA) não lembro de nenhuma ocasião em que o Crea sede tenha desistido de fazer o evento no ano de sua realização.

Comentários?

21/03/2012

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A 11º EDIÇÃO
DA MARATONA CHEMTECH DE ENGENHARIA!

Estão abertas as inscrições para a Maratona Nacional Chemtech de Engenharia, desafio promovido pela Chemtech para estudantes de engenharia de todo o país. A competição, que é uma das principais portas de entrada de estagiários e novos talentos na empresa, tem como tema principal a exploração e produção de petróleo para a camada do pré-sal brasileiro. Poderão se inscrever estudantes de engenharia de todas as instituições de ensino superior brasileiras.


(Veja mais clicando sobre a figura)

20/03/2012

DISCURSO DE POSSE DO PRESIDENTE DO CONFEA
ENG. JOSÉ TADEU

Discurso de posse do presidente do Confea, Engenheiro Civil José Tadeu da Silva, na solenidade ocorrida no Senado Federal, em 14 de março de 2012.

O presidente José Tadeu é um lider carismático e articulado. Geralmente tem falas claras e bastante ispiradoras. Mas, confesso que eu esperava um discurso com um pouco mais de conteúdo, nessa cerimônia de posse.

Não vi o evento todo (não estava lá) e, portanto, não posso julgar o discurso fora do seu contexto. Mas algumas coisas me chamaram a atenção

Nas saudações iniciais muitas pessoas e instituições foram citadas. Os ex-presidentes do Confea Frederico Bussinger, Henrique Luduvice e Wilson Lang. E só.

O ex-presidente Marcos Túlio não estava na cerimônia? ou a não citação do seu nome foi só uma indelicadeza política mesmo?
Se foi, já começou mal. Sem a grandeza necessária aos vencedores.

Depois perdeu-se ao definir a técnica usando justamente um texto da Igreja Católica (inimiga histórica da ciência) até chegar à afirmação de que nós, Engenheiros, somos "os profissionais do bem". Fiquei me perguntando, quem seriam "os profissionais do mal"?

Também senti falta, no discurso do nosso presidente, de uma palavra aos colegas Arquitetos, que acabam de inaugurar uma nova e importante fase nas suas histórias. Embora tenha citado os demais Conselhos Profissionais, faltou uma menção especial (eu acho que cabia) ao CAU.

Gostei de saber da disposição do presidente no sentido de promover a Modernização da Legislação Profissional. Isto é uma providência muito bem-vinda, com certeza

Por fim, ficou uma dúvida: afinal, o que o nosso presidente quis dizer, quando falou (11min25s) "...por isso nós sabemos da importância que nós estamos assumindo ao sermos diplomados nessa noite, aqui, de forma enigmática, nesse auditório do Senado, para fazer com que o sistema responda a necessidade da população e do país."

Não consegui decifrar o enigma!

Comentários?

19/03/2012

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (3)
Quanto custa produzir serviços de Arquitetura e Engenharia

(Publicado em 14/03/2015)



Num escritório de Arquitetura/Engenharia consideramos Cus-tos Diretos de Produção todos os custos que somente existem se houver um serviço contratado. Aqueles custos que, se não houvesse nenhum serviço contratado eles certamente não existiriam. Podemos dividir esses custos em quatro grupos:

1 MATERIAL DE CONSUMO
• Papel
• Tinta de impressora (cartucho)
• Cópias
• Telefone
É importante observar, por uma questão de praticidade, que esses custos somente devem ser considerados como Diretos de Produção se forem relevantes. Ou seja, se o valor desses custos representarem mais do que 10% do que os custos de mesma natureza e que estão lançados no Custo de Manutenção.
Por exemplo. se o seu escritório consome, em média, 500 folhas (uma resma) de papel sulfite A4 e um determinado serviço (digamos uma consultoria) consome menos de 30 folhas de papel (entre rascunhos e relatório final), esse custo deve (para simplificar os cálculos) ser diluído no Custo de Manutenção do escritório.

2 DESLOCAMENTO/VIAGENS
• Combustível
• Depreciação do veículo
• Estacionamento
• Passagens (avião, ônibus, trem)
• Traslados (Táxi, Van, aluguel de carro)
• Hospedagem
• Alimentação
É importante ser muito disciplinado com relação aos registro dos custos de deslocamentos e viagens para a execução de um serviço. Nenhuma nota fiscal (ou outro comprovante de paga-mento) deve ser esquecido. E todos os lançamentos devem ser efetuados religiosamente.
Mais uma vez, se as visitas a uma determinada obra não inclui uma viagem especial e pode ser incorporada às movimentações normais do dia a dia, não convém que seja considerado custo direto de produção. É mais prático alocar essas despesas nos custos de manutenção do escritório.

3 EXTRAS
• Horas extras
• Serviços de terceiros
• Aluguel de equipamento
Horas extras pagas aos empregados SEMPRE deverão ser alocadas a um determinado serviço. Não faz sentido pagar horas extras para empregados a não ser para a realização de um ser-viço que não seja parte do dia a dia do escritório. Além da contratação de serviços de terceiros e do aluguel de equipamentos (especialmente para a realização de um determinado trabalho), também devemos ficar atentos à eventual aquisição de equipa-mentos cuja utilização num determinado trabalho seja responsável pela redução significativa (mais de 20%) da sua vida útil.

4 IMPOSTOS E TAXAS
• ART/RRT
• Impostos que incidem sobre Nota Fiscal de Serviços
▪ PIS (0,65%)
▪ COFINS (3%)
▪ IRPJ (4,80%)
▪ CSLL (2,88%)
▪ ISSQN (ou ISS) (2 a 6%)

ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) e RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) são os documentos de registro de serviços técnicos junto ao Crea e ao Cau, respectivamente. Esses valores devem ser incluídos nos preços a serem co-brados do cliente. Não devem se cobrados "por fora", como se fossem extras. (muitos profissionais fazem isto, mas está erra-do!, sinto muito.) São taxas de nossa responsabilidade, não de-vem ser repassadas para o cliente, a não ser como parte (incluí-da) no preço do serviço.

O PIS (Programa de Integração Social) é um programa criado pelo Governo Federal (Lei Complementar 07/70), que tem a finalidade de promover a integração do empregado na vida e no desenvolvimento das empresas, viabilizando melhor distribuição da renda nacional. É pago pelo empregador do setor priva-do (0,65% sobre o valor de cada nota fiscal emitida) e o paga-mento deve ser feito até o dia 23 do mês seguinte ao da emissão da nota.

COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) instituída pela Lei Complementar 70 de 30/12/1991. O valor a ser pago é de 3% sobre o valor de cada nota fiscal emitida e o pagamento deve ser feito até o dia 23 do mês seguinte ao da emissão da nota.

IRPJ (Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas). É um tributo federal. Pagam-no as pessoas jurídicas não imunes/isentas sobre seu Lucro Real, após as adições e exclusões efetuadas sobre os lançamentos constantes do Lalur (Livro de Apuração do Lucro Real), ou sobre o Faturamento/Receita Bruta, caso a empresa haja optado pelo pagamento do IR por Lucro Presumido, cujo percentual de presunção oscila entre 1,6% a 32%, conforme o tipo de atividade da empresa. Seu contador dará a alíquota exata para o seu caso. Consulte-o. O pagamento deve ser efetuado no último dia útil do mês seguinte ao trimestre fiscal correspondente à emissão da nota fiscal.

CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido). É um tributo federal sobre o Lucro Líquido das empresas ou sobre o Faturamento/Receita Bruta (caso das empresas tributadas sobre o Lucro Presumido) das pessoas jurídicas. O pagamento deve ser efetuado no último dia útil do mês seguinte ao trimestre fiscal correspondente à emissão da nota fiscal. Seu contador dará a alíquota exata para o seu caso. Consulte-o.

ISS ou ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) é um tributo municipal que incide sobre a prestação, por pessoas físicas e jurídicas, de serviços listados sujeitos ao imposto. A alíquota varia conforme a legislação de cada Município, indo de 2 a 6%. O pagamento deve ser efetuado no dia 10 do mês seguinte à data de emissão da nota fiscal. Consulte o seu contador para maiores e melhores informações.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Artigo2012 ---Administração ---Financeira




Leia também: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (1) - Quanto custa abrir um escritório de Arquitetura/Engenharia?

Leia também: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (2)
Quanto custa manter aberto um escritório de Arquitetura/Engenharia?

13/03/2012

CONCURSO PARA ENGENHEIROS EM CIDADES DE SP, MS, RN e PR

Cinco prefeituras do País abrirão inscrições de concursos públicos nesta semana para a seleção de arquitetos, engenheiros civis e fiscais de obras. Ao todo, esses profissionais poderão concorrer a 12 vagas nas cidades de Jaú (SP), Miranda (MS), Peruíbe (SP), Goianinha (RN) e Rancho Alegre (PR).


(Veja mais clicando sobre a figura)

13/03/2012

POSSE DO PRESIDENTE DO CONFEA

Infelizmente não temos nenhuma informação além do que está dito no banner acima. O site do Confea, até agora (13/03/2012 - 8h10) não traz nenhuma informação sobre o evento.

De qualquer forma, o amigo leitor está avisado, e, se mora em Brasília, poderá comparecer: amanhã, 18 horas, no Auditório Petrônio Portela (no Senado)

Comentários?

12/03/2012

ESCOLA POLITÉCNICA DA UFBA COMEMORA ESTA SEMANA 115 ANOS

A Escola Politécnica da UFBA comemora esta semana seus 115 anos com um evento em que ocorrerão palestras e mesas redondas, cujo tema é: Integração da Engenharia com a Indústria, Sociedade e Políticas Públicas.


(Veja mais clicando sobre a figura)

09/03/2012

58% DOS ALUNOS SAEM DO ENSINO MÉDIO
SEM SABER MATEMÁTICA EM SÃO PAULO

O governo divulgou nesta quarta-feira as notas do Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) de 2011. A prova avaliou os alunos do 5º e 9º ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio. Em geral, houve pouco aumento das notas de matemática e de português de 2011 em relação a 2010. O maior avanço da média foi em língua portuguesa do 5º ano, que subiu 4,6 pontos.


(Veja mais clicando sobre a figura)


COMENTÁRIO DO ÊNIO PADILHA

Os problemas do ensino da matemática no Brasil precisam ser entendidos pelo Sistema Confea/Crea como problema nosso.
Se as crianças e adolescentes não tiverem bons professores de matemática não irão gostar da disciplina. E não irão se interessar por carreiras onde o domínio da matemática é essencial. Leia-se, Engenharia!

O problema é que, no Brasil, as pessoas sentem-se constrangidas pra confessar que não sabem Inglês ou que não dominam o Português... mas dizem sem nenhum constrangimento (às vezes até parecendo se sentir orgulhosos disso) que não entendem nada de matemática.
Assim não iremos à parte alguma.
O Sistema Confea/Crea precisa entrar nessa guerra contra a ignorância matemática. Para garantir seu próprio futuro.

29/02/2012

JAPÃO CONCLUI CONSTRUÇÃO DE TORRE MAIS ALTA DO MUNDO

A Tokyo Sky Tree, reconhecida como a torre mais alta do mundo em 2011 pelo Guinness, o livro dos recordes, foi concluída nesta quarta-feira (29) na capital japonesa. Com 634 metros de altura, a torre atingiu sua altura total em março do ano passado e ultrapassou a Canton Tower, na China, que antes detinha o recorde.


(Veja mais clicando sobre a figura)

28/02/2012

A FALTA DE ENGENHEIROS (O Estado de São Paulo)

Matéria publicada no Estadão de ontem, 27/02/2012 (http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-falta-de-engenheiros,840931,0.htm)

Enquanto o Brasil forma cerca de 40 mil engenheiros por ano, a Rússia, a India e a China formam 190 mil, 220 mil e 650 mil, respectivamente. Entidades empresariais, como a Confederação Nacional da Indústria, têm feito estudos sobre o impacto da falta de engenheiros no desenvolvimento econômico brasileiro. E órgãos governamentais, como a Financiadora de Projetos (Finep), patrocinam desde 2006 programas de estímulo à formação de mais engenheiros no País.

Segundo estimativas do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), o Brasil tem um déficit de 20 mil engenheiros por ano - problema que está sendo agravado pela demanda por esses profissionais decorrente das obras do PAC, do Programa Minha Casa, Minha Vida, do pré-sal, da Copa de Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

No País há 600 mil engenheiros, o equivalente a 6 profissionais para cada mil trabalhadores. Nos Estados Unidos e no Japão, a proporção é de 25 engenheiros por mil trabalhadores, segundo publicações da Finep. Elas também informam que, dos 40 mil engenheiros que se diplomam anualmente no Brasil, mais da metade opta pela engenharia civil - a área que menos emprega tecnologia. Assim, setores como os de petróleo, gás e biocombustível são os que mais sofrem com a escassez desses profissionais.

Para atenuar o problema, o governo federal lançou no ano passado o Pró-Engenharia - projeto elaborado com o objetivo de duplicar o número de engenheiros formados anualmente no País, a partir de 2016, e de reduzir a altíssima taxa de evasão nos cursos de engenharia, que em algumas escolas chega a 55%. Das 302 mil vagas oferecidas pelas escolas brasileiras de engenharia, apenas 120 mil estão preenchidas. O problema da evasão é agravado pela falta de interesse dos jovens pela profissão, que decorre, em parte, da falta de preparo dos vestibulandos, principalmente nas disciplinas de matemática, física e química. Elaborado por uma comissão de especialistas nomeada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o projeto prevê investimentos de R$ 1,3 bilhão.

Mas, apesar de sua importância para a remoção de um dos gargalos do desenvolvimento econômico do País, o Pró-Engenharia ainda não saiu do papel. O projeto está à espera do aval dos novos ministros da Educação, Aloizio Mercadante, e da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp. "O Pró-Engenharia poderia ter deslanchado, mas tomamos duas bolas nas costas", diz o presidente da Capes, Jorge Guimarães.

Segundo ele, o maior problema que o Pró-Engenharia vem enfrentando, para ser implementado, é o que ele chama de "fogo amigo" no âmbito do governo. "Primeiramente, foi um documento do Ipea dizendo que o País não precisa de engenheiro, que já tem muitos deles nos bancos. Mas isso ocorreu numa época em que a engenharia não tinha demanda. Em segundo lugar, foram os reitores de universidades federais que soltaram um documento mostrando um aumento de cerca de 12% nas matrículas dos cursos de engenharia. Se não se atacar a evasão, o número de matrículas poderá ser aumentado em 300%, mas o problema da falta de engenheiros não será resolvido", afirma Guimarães.

Ele também lembra que, para reduzir a taxa de evasão dos cursos de engenharia, a Capes, além do Pró-Engenharia, vem reformulando os currículos, para torná-los mais próximos do mercado de trabalho. Em vez de estimular a especialização precoce, como ocorre hoje, a ideia é valorizar uma formação básica e interdisciplinar, na qual as disciplinas de engenharia são complementadas por matérias como economia, planejamento estratégico, gestão e empreendedorismo. "No 4.º e no 5.º ano o aluno vai se especializar no que quiser e ganhar visão de mercado", diz o presidente da Capes.

Desde sua posse, a presidente Dilma Rousseff tem falado muito em crescimento econômico. Mas, para que ele ocorra, é preciso que seus ministros sejam mais eficientes na implementação dos projetos anunciados.


Os leitores Roberta Provatti e Marcio Freitas - São Paulo; Jose Roberto Cardoso - Diretor da Escola Politécnica da USP - São Paulo; Paulo Cesar Bastos - Engenheiro Civil - Salvador escreveram ao Jornal e seus comentários foram publicados hoje, 28/02/2012.

Leia os comentários que os leitores do Estadão
enviaram ao jornal.


Desenvolvido por Área Local