Notas de "ALIRUBIT"

25/07/2018

OS LIVROS DE ÊNIO PADILHA



NEGOCIAR E VENDER SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ARQUITETURA é um livro com 12 capítulos que apresenta de forma clara e objetiva as principais questões que impactam os processos de negociação de serviços de Engenharia e de Arquitetura.
Um detalhe: o primeiro capítulo apresenta as conclusões. Isso mesmo. No primeiro capítulo o leitor é informado sobre as conclusões a que ele chegará após a leitura do livro. E os outros 11 capítulos precisam dar conta da promessa.
O livro já está na 5ª edição. Até hoje ninguém reclamou de propaganda enganosa ou coisa assim…


Conheça um pouquinhos dos outros livros

23/07/2018

O MAIOR NÚMERO PRIMO JÁ DESCOBERTO
(e porque isto é tão importante)

(Publicado em 09/01/2018)





Um engenheiro eletricista de 51 anos, morador de uma cidade de 40 mil habitantes no sudeste americano, fez uma descoberta científica marcante. Jonathan Pace passou os últimos 14 anos rodando um software em seu computador com um único objetivo: descobrir o maior número primo já catalogado por matemáticos.



Leia mais em NEXO JORNAL.

Deixe aqui seu comentário

20/07/2018

MICO DO ANO 2018 (pedido de inscrição)

(Publicado em 20/07/2018)



MICO DO ANO é um prêmio instituído na família LochPadilha para homenagear a pessoa que, por mérito próprio envolva-se em uma situação constrangedora e potencialmente vexatória.





A Áurea mandou e eu fui no supermercado aqui do bairro comprar batata, cebola, tomate, laranja e outras coisinhas.
Quando cheguei no caixa havia duas mulheres sendo atendidas. Passaram as compras e uma delas empacotou tudo.
O caixa começou a passar as minhas compras e eu notei que uma das mulheres começou a pegar as minhas coisas e colocar nos pacotes perto dela. O caixa passava o item e ela pegava da mão dele e colocava no pacote. Eu, já meio contrariado, disse: “Com licença! A senhora está empacotando as MINHAS compras.”
Ela me olhou bem nos olhos e disse: “Sim. É exatamente isto que eu estou fazendo. É exatamente esse o meu trabalho aqui.”
Só aí notei que a outra mulher já tinha ido embora com as compras dela e que essa que ficou era empregada do supermercado…
Pensa na vergonha!



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br






(Publicado em 21/08/2018)



MAIS UMA PARA O MICO DO ANO
Cinto de segurança em avião é coisa séria uso sempre, na viagem toda. Enquanto eu estiver sentado estarei de cinto.
Pois ontem, no voo entre São Paulo e Maceió, entrei no avião, sentei, coloquei o cinto e fiquei tranquilo. Logo em seguida chegaram alguns amigos que também estavam vindo para a SOEA. Abraços, apertos de mão, como está? o que tens feito? como vai a família… enfim, aquela alegria. Ficamos de conversa.

Quando o avião começou a se preparar para a decolagem, a comissária passou na minha poltrona e falou “senhor, coloca o cinto, por favor”. Eu imediatamente respondi, “eu já estou de cinto”.

Ela olhou pra mim, muito simpática e respondeu “eu acho que não…” E eu, sem pestanejar, apalpei o local, em mim, onde o cinto deveria estar. Ele estava ali. coloquei o polegar por dentro e puxei-o pra fora e o mostrei para a aeromoça. Ela começou a rir. Eu olhei para o cinto e vi que, o que eu estava mostrando era o meu cinto. O normal. O da minha calça.

O cinto de segurança estava pendurado, do lado de fora da poltrona (ela já tinha visto antes). Por sorte, ela estava rindo tanto da minha cara de tolo que não teve disposição para me dar uma bronca. Eu também caí na risada, claro. Pedi desculpas e coloquei o cinto de verdade.
E todos tivemos um voo seguro.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




SAIBA MAIS




---Padilha, Ênio. 2018

Deixe aqui seu comentário

29/06/2018

ENGENHARIA À SERVIÇO DA ARQUITETURA
E DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO

(Publicado em 29/06/2018)



Uma estrutura de concreto foi colocada por baixo da capela para mantê-la em sua posição original durante as mudanças no complexo do antigo "Hospital Matarazzo" ou "Casas de Saúde Matarazzo", localizado entre a rua Itapeva e a alameda Rio Claro, no bairro da Bela Vista, em São Paulo.





Abaixo da igreja, que será toda restaurada, será construído um estacionamento subterrâneo, segundo o site CIDADE MATARAZZO.

O projeto de engenharia da estrutura construída para suportar e manter a capela em sua posição original é pioneiro no Brasil - todo o conjunto estrutural conta com monitoramento constante para assegurar que tanto a estrutura da igreja quando a sua nova base não passam por deslocamentos anormais que comprometam a estabilidade do conjunto.

Veja ainda outras informações no site da ARQUIDIOCESE DE SÃO PAULO




ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




DIVULGAÇÃO

Deixe aqui seu comentário

17/05/2018

DOIS ANOS!

(Publicado em 17/05/2018)



O escritório da Maria Helena e da Beatriz Bergler está completando dois anos de funcionamento. O pior já passou (como sabem todos os profissionais que mantém seus escritórios funcionando). Agora elas já têm alguma experiência, já têm clientes atendidos, serviços realizados, projetos que viraram obras, autoconfiança elevada e uma sólida visão empresarial. Não é pouca coisa.





Nós, que somos da torcida organizada da Farol Arquitetura desejamos que esses dois anos se multipliquem por cem, que os bons negócios se multipliquem por mil e que a realização profissional das duas chegue à casa do milhão.

O novo site - www.farolarq.com.br - tá uma beleza. E eu convido todos os meus leitores para visitá-lo. E peço também que recomendem aos amigos (especialmente se os amigos forem do litoral sul de Santa Catarina.

PS. A imagem que abre o site é a vista da janela do escritório. Ou seja: inspiração não vai faltar nunca!



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Padilha, Ênio. 2018

Deixe aqui seu comentário

14/03/2018

SÉRIE: LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL

(Publicado em 14/08/2018)



A OitoNoveTrês Editora tem orgulho de ter feito parte deste projeto:





Esta Serie de Livros, sobre Legislação das profissões abrangidas pelo Sistema CONFEA/CREA/MUTUA é uma tentativa de amenizar a inquietação dos nossos profissionais que em sua maioria não se sentem a vontade com o tema. Nossa intenção foi apresentar de maneira simples, todo o arcabouço legislativo de cada uma das profissões apresentadas.

Esclarecemos que estes 11 (onze) volumes lançados no primeiro momento foram financiados pelo Termo de Fomento 001/2017, firmados entre o CONFEA/SENGE-AM, por esta razão foram distribuídos gratuitamente. Atualmente estamos trabalhando mais 6(seis) Títulos Profissionais, sendo que dois deles lançaremos durante a SOEA de Maceió em Agosto deste ano.



Carlos Alonso Alencar Queiroz
Eng.Agr./Eng.Seg.Trab
RNP: 0411078493

Deixe aqui seu comentário

24/02/2018

ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES
DO SISTEMA CONFEA/CREA E MÚTUA

(Publicado em 21/02/2018)



Nos dias 21, 22 e 23/02/2018 estive em Brasília, participando do ENCONTRO DE LÍDERES REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA.
Fui por minha própria conta (passagens, hospedagem e alimentação), porque considero um investimento importante. É uma grande oportunidade de rever amigos, atualizar os conhecimentos sobre as lideranças do nosso sistema profissional e ficar informado sobre o que está acontecendo nos bastidores.
Eu também aproveitei para fazer entrevistas para o meu livro "POR QUE É QUE A GENTE É ASSIM?" que eu espero publicar em 2019.





(Clique sobre a imagem acima para ver a programação completa)



QUALIDADE DO EVENTO
Eu gosto muito deste evento. É um evento complexo (porque é, na prática, a reunião de vários eventos em uma única oportunidade) porém, muito objetivo. E, geralmente, os objetivos são plenamente alcançados.

A equipe de eventos do Confea, capitaneados pelos competentes Marcos Magalhães e Alessandra Porto esteve impecável. Até onde pude ver, toda a retaguarda foi garantida e funcionou direitinho.

O clima, nos corredores e nos salões de acesso estava muito leve. Muito diferente do clima encarniçado das duas etapas do CNP, do qual eu participei como delegado em 2016 (veja relatos AQUI). Acho que, de alguma forma, a brisa leve da mudança deixou as pessoas menos agressivas e um pouco mais dispostas ao diálogo.
Que assim seja.





POR QUE NÚMERO 7
Achei estranho que o Encontro de Lideranças, um evento com mais de dez anos de história, esteja ainda no número 7. Fui procurar saber.

No meu livro VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL, lançado em 2011, eu já falo do Encontro de Lideranças como um evento consolidado (aqui você pode ler o artigo da página 50 do livro: QUE TIPO DE LÍDERES TEMOS EM NOSSO SISTEMA PROFISSIONAL?). O evento foi criado no primeiro ano da gestão do ex-presidente Marcos Túlio de Mello (em 2006, portanto). Em 2008, ano em que eu estive no Confea, comandando a área de eventos, fui o responsável pela coordenação da 3ª edição do evento.

O que aconteceu, então?
Aconteceu o seguinte: na gestão anterior (iniciada em 2012) o evento foi rebatizado (deixou de ser "Encontro de Lideranças" e passou a ser "Encontro de Líderes Representantes"). Não mudou absolutamente nada na sua essência, mas ganhou nova encarnação, como se fosse uma criação do então novo presidente, numa manobra bem típica dos chefetes da política nacional. Que vergonha, se apropriar assim da criação alheia!

A atual gestão provavelmente não se deu conta disso. Mas agora estou pedindo que se atentem e façam justiça em 2019. Que o evento receba o número correto: 14º Encontro de Líderes Representantes.

Na verdade, me desculpem, mas eu gostaria de implicar também com esse "representantes". Pra que isso? Quer dizer então que o Sistema Confea Crea não reconhece como Líder alguém que não esteja em algum cargo de presidente de Crea, presidente de entidade de classe, conselheiro etc? É o cargo que a pessoa ocupa que dá a ela o status de liderança?

Me encontrei com muitos ex-presidentes de Creas, ex-conselheiros, professores, autores, pessoas que hoje estão fora do sistema, tocando seus negócios... Quer dizer que essas pessoas deixaram de ser líderes?

Por mim essa palavra "representantes" deveria ser eliminada do nome do evento. Só está ali para estabelecer uma flagrante discriminação.





PRIORIDADES
Um dos meus objetivos nessa participação do Encontro de Lideranças era discutir com colegas as prioridades do sistema. Conversei com algumas pessoas sobre o tema. algumas discussões foram bem elucidativas. Uma conclusão clara é que não dá pra estabelecer uma única prioridade. Então, o que se deve é evitar que questões importantes sejam relegadas ao segundo plano.

Se não é possível estabelecer uma prioridade absoluta, é possível, pelo menos, evitar que coisas muito valiosas sejam esquecidas debaixo dos tapetes.

De uma maneira geral, percebi um consenso: o discurso de posse do Presidente Joel Kruger sintetizou as prioridades. Se ele conseguir tirar do papel o que foi prometido ali, teremos uma gestão muito produtiva e o nosso sistema poderá ser tirado da UTI na qual já se encontra a algum tempo.





ROSSAFA
Uma das melhores notícias que eu recebi foi a de que o novo Chefe de Gabinete da Presidência do Confea é o Luis Antônio Rossafa.
Quem é o Rossafa? Bem... eu já escrevi sobre ele no meu site, há 10 anos... e a minha opinião continua a mesma.
Dá uma olhada AQUI.




ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Padilha, Ênio. 2018


Deixe aqui seu comentário

19/02/2018

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM ENGENHARIA E ARQUITETURA
(Turma 2 - Manaus-AM - Instituto ESP)

Vídeo de divulgação da 2ª turma do curso de Gerenciamento de Projetos em Engenharia e Arquitetura, produzido pela OitoNoveTrês Educação e realizado pelo Instituto ESP de Manaus.





Instituto ESP



Veja detalhes do curso: www.oitonovetres.com.br/posgrad/gpj.

Deixe aqui seu comentário

16/02/2018

O QUE SE PODE APRENDER NA FINLÂNDIA
(Marcos Vallim)

(Publicado em 16/02/2018)



Alguns amigos, quando viajam, ficam publicando fotografias do tipo "Olha eu aqui, na Torre Eiffel", "Vejam eu, aqui, na London Eye".
Outros, quando viajam, prestam um serviços aos amigos. Enviam seus conhecimentos e aprendizados. Na prática, não apenas nos contam onde estão. Nos levam com eles.

Um desses meus amigos é o Marcos Vallim, engenheiro, professor na UTFPR e que está fazendo pós-doutorado em Portugal. Nessas últimas duas semanas ele esteve, com um grupo de portugueses, em missão na Finlândia (na cidade de Tampere). Ele enviou, pelo WhatsApp, várias fotos tiradas da Torre de observação da cidade e um relato muito interessante. Vale a pena dar uma olhada:





"Amanhã será o último dia da nossa missão aqui em Tampere. Depois vamos passar o fim de semana na capital, Helsinki. No domingo pegamos o avião para Madri e lá seremos "resgatados" de ônibus para Bragança. Devemos chegar perto da meia noite

Antes de partir eu quero falar sobre o que penso da Finlândia.

A Finlândia é um pais jovem. Vai comemorar 100 de independência este ano.

Na sua curta existência como país já passou por muitas crises, miséria e grande sofrimento.

Não é um lugar fácil de se viver, apesar de ter uma riqueza natural abundante ela precisa ser extraída com muito trabalho. Sobreviver ao frio criou nesse povo um tipo de resiliência impressionante. Sobreviver ao domínio dos vizinhos fez deles um povo com forte sentimento coletivo. Ser Finlandês dá a eles um direito de ser como quiser ser, e um dever de respeitar a coletividade para ser digno de ser parte dela. Percebe-se isso em toda parte desde as criancinhas até os velhinhos.

Durante a 2ª Guerra Mundial a União Soviética invadiu a Finlândia, em 1939. Com um contingente 20 vezes maior que o exercito Finlandês. Durante mais de um ano foi travada uma guerra dentro da grande guerra, que ficou conhecida como "A guerra do Inverno". Apesar de muito superior em poderio militar os soviéticos foram massacrados pela tática obstinada dos finlandeses, que usavam, sistematicamente, "snipers" (atiradores de alta precisão) capazes de acertar um alvo a 600 metros de distância.

Um nome se destacou nessa luta: Simo Häyhä, um fazendeiro que era caçador de alces desde criança. Ele é considerado o maior sniper de todos os tempos. Registrado foram 505 inimigos tirados de combate em cerca de 10 meses de ação.

Os sovieticos tinham tanto medo de Simo que o chamavam de "morte branca" devido a suas técnicas de camuflagem.

Apesar de ter sido atingido em combate e perdido parte do rosto, Simo sobreviveu para ver a União Soviética assinar o armistício e deixar a Finlândia livre. Ele viveu até 97 anos.

Certa feita lhe perguntaram se ele sentia algum remorso por ter abatido tantos inimigos e ele respondeu sem vacilo que nunca, pois fez o que tinha de fazer pois era o seu dever.

Perguntaram ainda qual era o segredo da sua habilidade ele respondeu: Prática!

Em essência o que aprendi nestas duas semanas, este fazendeiro finlandês já sábia há 100 anos: disciplina e prática. Esse é o segredo da educação na Finlândia."



MARCOS VALLIM
mvallim@gmail.com







---Padilha, Ênio. 2018

Deixe aqui seu comentário

14/02/2018

ACONTECEU ANTES DO CARNAVAL (1)



Pra você que acha que o ano está começando só agora, depois que o carnaval acabou, dá uma olhada nos artigos inéditos que já foram publicados no nosso site nesses primeiros dias de 2018:






Não tá fácil pra ninguém. Imagina pra quem entrar nessa de que "o ano só começa, pra valer, depois do carnaval".
Essa pessoa já vai começar o ano no fim da fila.
Quando o fim do ano se aproximar provavelmente estará choramingando picuinhas nas redes sociais.



Leia: ACORDA PRO ANO NOVO



(Publicado em 02/01/2018)







(...) o primeiro juiz é o próprio perdedor da causa. Judicializar uma causa por conta de detalhes que não estão na essência da disputa é um erro. E, quando esse tipo de comportamento contamina uma instituição, isto é mais do que um erro. É uma doença.

"Em todas as suas negociações com clientes, acredite tanto neles quanto você espera que eles acreditem em você. Nenhum negócio é bem-sucedido quando só uma das partes merece fé."
(Tarley Rossi Vilela)



Leia: JUDICIALIZAÇÃO É UMA M&$#@



(Publicado em 04/01/2018)







Recebi a fotografia pelo WhatsApp. Quem mandou foi o Mauro Faccioni. Ele nunca morou lá, mas sabia o impacto que a imagem causaria no meu coração.

A legenda era significativa: "Últimos dias do Calabouço!" Deu um nó na garganta.

Morei muitos anos no calabouço, quando fazia faculdade (Engenharia Elétrica, UFSC, início dos anos 1980). Era um casarão lúgubre, uma sala, um enorme corredor, quatro quartos, uma cozinha e um banheiro. Não entrava sol em três dos quartos. O último quarto era chamado de Maracanã, porque era um quarto duplo, e pegava um pouquinho de sol. As paredes viviam úmidas...



Leia: LONGA VIDA AO CALABOUÇO



(Publicado em 05/01/2018)







Uma conversa franca sobre as vantagens de ter sócios num Escritório de Engenharia ou de Arquitetura



Ouça: PODCAST - ENIO PADILHA RESPONDE - A01N01



(Publicado em 08/01/2018)









Com muita honra, recebi o convite do meu amigo Engenheiro Sérgio Santos para participar, como entrevistado, do seu Podcast engTHEcast.



Ouça: ENTREVISTA PARA SÉRGIO SANTOS



(Publicado em 09/01/2018)







Um contraponto ao podcast número um. Apresentamos agora as desvantagens de ter sócios num Escritório de Engenharia ou de Arquitetura



Ouça: PODCAST - ENIO PADILHA RESPONDE - A01N02



(Publicado em 10/01/2018)







No que devemos prestar mais atenção durante o processo de escolha de sócios para um Escritório de Engenharia ou de Arquitetura



Ouça: PODCAST - ENIO PADILHA RESPONDE - A01N03



(Publicado em 10/01/2018)







(...) na média, menos de quinhentos profissionais (0,04% do público de interesse) assistem a plenária ao vivo no YouTube ou mesmo os vídeos que são mantidos no ar, depois que as plenárias são encerradas.

O que deveria fazer o Confea, já que, claramente, esse investimento para transmitir ao vivo as Reuniões Plenárias tem sido um dinheiro jogado fora? Interromper essa atividade? Parar de fazer essa transmissão ao vivo?

Não, não, não. De jeito nenhum! Não podemos dar esse passo para trás.

O que o Confea precisa fazer é se perguntar "por que ninguém assiste as transmissões ao vivo das reuniões plenárias na internet?



Leia: TRANSPARENTE. NÃO APENAS TRANSLÚCIDO
Proposta/Sugestão ao Confea - 2018/01



(Publicado em 17/01/2018)







A Engenharia raramente é tema central de um filme, de uma novela ou de uma série de TV. É uma atividade profissional sem glamour, sem sex appeal. Por isto recebi com boa vontade a notícia de que uma série da Rede Globo teria a Engenharia como protagonista.



Leia: NO FIM, A CULPA É DO ENGENHEIRO!



(Publicado em 18/01/2018)







Nas últimas semanas recebi pelo menos três contatos de colegas pedindo (diretamente ou deixando nas entrelinhas) que eu facilitasse o contato deles com o novo presidente do Confea, Joel Kruger.
Imagine a surpresa deles com a minha resposta: "Eu não conheço o Joel Kruger. Estive com ele uma ou duas vezes. Nem somos amigos."



Leia: CHEGA DE RACIOCÍNIO BINÁRIO



(Publicado em 22/01/2018)








ACOMPANHE O NOSSO TRABALHO NAS REDES SOCIAIS







Deixe aqui seu comentário


« 1 2 3 4 5 6 7 »