Notas de "ALIRUBIT"

29/10/2014

HOJE É DIA NACIONAL DO LIVRO

(Publicado em 29/10/2014)



O dia 29 de outubro foi escolhido para ser o Dia Nacional do Livro, por ser a data de aniversário da fundação da Biblioteca Nacional, que nasceu com a transferência da Real Biblioteca portuguesa para o Brasil.

A Biblioteca Nacional foi transferida para o Brasil em 29 de outubro de 1810 e essa passou a ser a data oficial de sua fundação.

O Brasil passou a editar livros a partir de 1808 quando D.João VI fundou a Imprensa Régia e o primeiro livro editado foi "Marília de Dirceu", de Tomás Antônio Gonzaga.


Levantamento da ANL aponta que os brasileiros lêem 1,9 livros por ano

o Brasil tem 1 livraria para cada 4.954 habitantes. São 3.095 livrarias, distribuídas da seguinte forma: 4% estão na região Norte; 16% no Nordeste; 6% no Centro-Oeste, incluindo o DF; 55% no Sudeste e 19 % no Sul.

Entre os dez municípios com mais livrarias por habitantes, sete estão no Rio Grande do Sul, dois em Minas Gerais e um em São Paulo.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



Fonte: ANL ---Artigo2014 ---Livros

Deixe AQUI seu comentário:

23/10/2014

UM BRASILEIRO. E QUE BRASILEIRO!

(Publicado em 23/10/2014)



Você gosta de tênis? da descrição empolgada de jogos e campeonatos? Então você deve ler GUGA - UM BRASILEIRO, biografia do tenista Gustavo Kuerten (Sextante, 2014).

Gosta de bons exemplos de lealdade, ética, e de uma boa coleção de valores e princípios de pessoas de bem? Leia GUGA - UM BRASILEIRO.

Acha que, por ter acompanhado a carreira do fenômeno do tênis brasileiro sabe tudo da vida e carreira do atleta? Que não existe nada que já não tenha sido revelado? Leia GUGA - UM BRASILEIRO.

Uma biografia de uma personalidade contemporânea tem tudo para ser sem graça. Especialmente se o biografado for um exemplo acabado de bom moço, sem histórico de escândalos ou polêmicas, e com uma vida pública pra lá de conhecida.
Resumindo. Só me interessei em ler GUGA - UM BRASILEIRO por ser fã do rapaz. E pelo desejo de rememorar as suas conquistas.

Se você também pensa assim, prepare-se para uma avalanche de fatos novos e descobertas impressionantes sobre a vida desse jovem brasileiro que encantou e tem encantado multidões.

Primeiro, é importante dizer que o livro é uma das biografias mais bem escritas que eu já tive oportunidade de ler. Escrita em primeira pessoa, fica claro, desde o início, que não foi escrito de próprio punho pelo Gustavo Kuerten. Embora seja um depoimento do próprio Guga e apresente, aqui e ali alguma coisa do jeitão manezinho de falar do tenista, de uma maneira geral, dá pra perceber que o texto tem a mão de um escritor tarimbado, tanto no vocabulário quanto na construção do enredo.

Aliás, essa foi a primeira surpresa (posso contar? acho que não é spoiler). Até a metade do livro duas histórias vão sendo contadas em capítulos alternados: a vida do atleta, até aquele glorioso Aberto da França de 1997 (Roland Garros) e a história detalhada do próprio torneio do primeiro ao último jogo. Do primeiro saque à explosão da final. Uma sacada de mestre do autor oculto (Luís Colombini). A segunda metade do livro é a história depois de Roland Garros, incluindo a vida depois do tênis.

Eu acabei de ler o livro. Se for preciso resumir em apenas uma palavra vou ter de escolher entre SENSACIONAL, EMOCIONANTE ou ARREBATADOR.

Em dezembro de 1998, durante o processo de produção do meu segundo livro (Marketing Pessoal & Imagem Pública), tive a oportunidade de fazer uma entrevista exclusiva com Gustavo Kuerten e também com Larri Passos (na academia do Larri, em Camboriú). Desde então, tenho dito sempre que Larri é o gênio por trás da carreira do Guga. Ler o livro só reforçou essa convicção.

Muita gente destaca também a importância da família dele nos seus sucessos. Eu também concordava com isso. Mas nunca imaginei o nível disso. Só lendo o livro pra você entender como é possível dizer, sem sombras de dúvidas, que todos, dona Alice, seu Aldo, a Oma, o Rafael, Gui, Larri, Bete, todos naquela família são campeões, tanto quanto Gustavo Kuerten.

Pense num livro bem escrito. Pense numa história arrepiante, cheia de dramas, dificuldades e glórias. Pense numa familia digna. Melhor: leia o livro. É show!



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




Nosso site é atualizado todos os dias à meia noite.
Veja AQUI os conteúdos publicados hoje.




---Artigo2014 ---Generalidades

Deixe AQUI seu comentário:

23/10/2014

O MAJESTOSO GARAPUVU

(Publicado em 23/10/2014)



Tirei um tempinho para dar uma volta no meu bairro (Barra - Balneário Camboriú - SC) e fazer algumas fotografias dos Garapuvus floridos.

O Garapuvu é a árvore símbolo de Florianópolis, capital de Santa Catarina.
Tem de 20 a 30 metros de altura, 60 a 80 centímetros de diâmetro, flores grandes, vistosas, amarelas. E floresce durante os meses de outubro, novembro e dezembro. Coisa linda! Um espetáculo para os olhos.

Esta é a minha rua (e onde fica também o nosso escritório - 893 Produções e Eventos). O morro que aparece ao fundo faz parte do loteamento e é uma reserva de Mata Atlântica. Ou seja: mata preservada, felizmente.










ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




Nosso site é atualizado todos os dias à meia noite.
Veja AQUI os conteúdos publicados hoje.




---Artigo2014

Deixe AQUI seu comentário:

16/10/2014

PRÊMIO JABUTI 2014

A Câmara Brasileira do Livro anunciou nesta quinta-feira (16/10/2014) os vencedores da 56ª edição do Prêmio Jabuti. O maior prêmio de literatura brasileira havia listado dez obras finalistas para cada uma das 27 categorias. A cerimônia de premiação está marcada para o dia 18 de novembro de 2014, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo.


Arquitetura e Urbanismo
1º Lugar – Titulo: As Minas de Ouro e a formação das Capitanias do Sul – Autor: Nestor Goulart Reis Filho – Editora: Via das Artes

2º Lugar – Titulo: Preservação e Restauro Urbano: Intervenções em Sítios Históricos Industriais – Autor: Manoela Rossinetti Rufinoni – Editora: Editora Fap-Unifesp

3º Lugar – Titulo: Cidadela da Liberdade: Lina Bo Bardi e o Sesc Pompéia – Autores: Andre Vainer e Marcelo Ferraz – Editora: Edições Sesc SP

In memoriam - Ministério da Educação e Saúde. Ícone urbano da modernidade brasileira – Autor: Roberto Segre – Editora: Romano Guerra


Ciências Exatas, Tecnologia e Informática
1ºLugar – Título: Estrutura atômica, ligações e estereoquímica – Autor: Henrique Eisi Toma – Editora: Editora Edgard Blucher

2ºLugar - Título: O cerne da matéria – A aventura científica que levou à descoberta do bóson de Higgs – Autor: Rogério Rosenfeld – Editora: Companhia Das Letras

3ºLugar - Título: Ciência do futuro e futuro da ciência: redes e políticas de nanociência e nanotecnologia no Brasil – Autor: Jorge Luiz dos Santos Junior – Editora: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro




Clique sobre a imagem ou AQUI para ver todas as 27 categorias no site da Câmara Brasileira do Livro

15/10/2014

OUTUBRO: A SEXTA-FEIRA DO ANO

(Publicado em 15/10/2014)



Sexta-feira não é um dia de folga. Não é um dia em que se trabalha menos do que nos quatro dias anteriores. No entanto, muita gente adora a sexta-feira, provavelmente pelo que ela representa em termos de expectativa: o fim de semana está chegando. O descanso, os amigos, a festa, o namoro, o churrasco, o futebol... Na sexta-feira essas coisas todas estão aparecendo no horizonte. É bom demais.

O mês de outubro também não é um mês diferente dos meses anteriores, a não ser... pelo fato de que ele é o último mês antes dos dois meses considerados como "fim do ano". Outubro é aquele mês em que a correria do fim do ano ainda não está estabelecida, mas você já percebe aquele frescor de "vambora que tá quase chegando".

Outubro é um mês de festas e comemorações que dão o ponto de partida para a confraternização de fim de ano: dia das crianças (12), Nossa Senhora Aparecida (12), Dia dos Agrônomos (12), O Círio de Nazaré, em Belém (segundo domingo), dia do fisioterapêuta (13), dia dos professores (15), dia do médico (18), dia do dentista (25)... isso sem contar no Outubro Rosa, nas eleições e na OktoberFest.

É ou não é um mês porreta!

Outubro é um mês feito para nos dar aquela dose extra de energia para vencermos a reta final. A correria do fim de ano.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br



---Artigo2014 ---Meses

Deixe AQUI seu comentário:

09/10/2014

QUEM TRIUNFA SEM NOBREZA NÃO PERDE. PERDE-SE

(Publicado em 09/10/2014)



NA MINHA TIME LINE DO FACEBOOK tem gente de todas as cores partidárias. Respeito suas posições e admiro (em muito casos) o empenho, a dedicação e a militância.

Mas tem gente que acha que uma eleição deve ser vencida à qualquer custo, com quaisquer armas. Que os fins justificam os meios.

Um dos dois lados (Aécio ou Dilma) vai perder as eleições. Penso que é necessário saber perder. Agir de tal forma que (mesmo com a derrota) a jornada seja motivo de orgulho.

Armando Nogueira, Cronista esportivo, pioneiro do telejornalismo no Brasil, tinha uma frase que me parece interessante para este momento. dizia ele: "Quem triunfa sem nobreza, não perde, perde-se"

Há quem pense que ele quis dizer "Quem triunfa sem nobreza não GANHA, perde-se", mas eu mesmo vi o Armando Nogueira falando a respeito, numa entrevista e ele disse que a frase quer dizer "Quem triunfa sem nobreza não apenas perde. Perde-se!" (Coisas do Marquês de Xapuri).

Acho que alguns militantes de partidos políticos (dos dois lados) estão caminhando para esse abismo: se perderem a eleição terão perdido não apenas a eleição. Terão perdido o respeito dos seus interlocutores. Terão SE PERDIDO.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




---Artigo2014

08/10/2014

SOBRE RÓTULOS E FRASES FEITAS

(Publicado em 08/10/2014)



Você sabe que a conversa não vai ser regida pelo bom senso quando o seu interlocutor usa uma dessas palavras ou expressões:
- Petralhas
- Elite Branca
- Esquerdopatas
- Lulopetista
- PIG
- Privataria
- Coxinha
- estadunidense
- Lula é cachaceiro
- Aécio cheira coca
- Dilma é sapatão
- Globo e Folha são de Direita
- Folha e Globo são Petistas
- Quem lê a Veja é idiota
- Quem lê a Carta Capital é imbecil...

Geralmente, quando o sujeito já está no nível de incorporar ao seu vocabulário uma ou algumas das palavras/expressões acima é porque a paixão já começou a corroer o bom senso e qualquer coisa que seja dita ou apresentada será ignorada, amplificada ou distorcida, ao sabor das preferências ideológicas ou partidárias.
E essa doença não escolhe lado ou ideologia.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




---Artigo2014

07/10/2014

O FEITICEIRO DE MENLO PARK E OS GANHADORES DO PRÊMIO NOBEL

(Publicado em 07/10/2014)



Comecei a ler o livro "Thomas Edison: o feiticeiro de Menlo Park, do historiador e jornalista Randall Stross, com o objetivo de escrever uma resenha para publicar aqui no site. No meio do caminho já havia desistido da ideia. Não que a história do biografado não seja fascinante. Mas o livro (na minha modesta opinião) é muito mal escrito. A pesquisa de Stross foi bem feita. Mas o texto é confuso e fugidio. Falta ao autor o pulso dos bons contadores de história. Ele não constroi tramas nem dá vida (alma) aos personagens. Com isto o livro fica parecendo um relatório ou um Trabalho de Conclusão de Curso. Além disso, o autor não tem muito cuidado com a cronologia e escreve em espiral, confundindo um pouco o leitor menos atento.

Dito isto, a pergunta é: por que eu mudei de ideia e resolvi escrever?

É que nesta terça-feira, 07/10/2014, três cientístas japoneses foram laureados com o Prêmio Nobel de Física. Isamu Akasaki, Hiroshi Amano e Shuji Nakamura foram escolhidos "pela invenção de (eficientes) diodos emissores de luz azul que permitiu a fonte de luz branca brilhante e econômica".

Alguns cientístas atribuem à descoberta dos japoneses a mesma importância do trabalho de Thomas Edison (considerado o inventor da lâmpada), principalmente quando levamos em conta a relevância do fato em termos de conservação de energia.

Alguns jornalistas disseram que o Prêmio foi por "ter inventado a lâmpada LED". Não foi bem isso. A iluminação LED já existia desde a década de 1960. Porém, como a luz branca é resultado da combinação de três cores (verde, vermelho e azul) havia um problema: os diodos emissores de luz vermelha e verde funcionavam muito bem. Mas o diodo de luz azul não funcionava com eficiência energética. Foi isso o que eles fizeram (na década de 1990): desenvolveram um diodo emissor de luz azul com eficiência energética. Isso facilitou a popularização do uso de iluminação LED.

Isso me devolveu ao livro de Randall Stross e à história de Thomas Alva Edison. De fato, não me parece, lendo o livro, que ele tenha inventado a lâmpada (nem coisa alguma). Edison sempre aperfeiçoava coisas e integrava funcionalidades. E era muito competente na autopromoção (foi a primeira celebridade mundial que não era político ou militar). Era um sujeito muito empreendedor, muito concentrado e muito inteligente, mas parece que a melhor definição dele era a do (grande) amigo Henry Ford, para quem "Thomas Edison é o maior e mais brilhante inventor e o pior homem de negócios do mundo!"

Edison (que tinha um sério problema de audição) parecia ter também uma séria dificuldade de visão para o mundo dos negócios. Quase sempre fazia suas apostas no caminho da derrota: foi assim quando escolheu a tecnologia para utilização de sua lâmpada elétrica (corrente contínua) e foi assim quando insistiu no cilíndro (em vez de discos) para o aperfeiçoamento do seu gramofone. E foi assim sempre, em todas as escolhas e em todas as disputas. Edison estava sempre com a aposta perdedora.
Mas ele era protegido da imprensa, que o idolatrava (ele sabia, como ninguém, fazer autopromoção. E, provavelmente, era um sujeito sedutor, porque tinha grandes e importantes amigos).

O autor do livro, porém, parece fazer um grande esforço para contar a história e ao mesmo tempo livrar a cara do biografado de algumas coisas que ficam meio nebulosas.

Muita gente, por exemplo, especula que Edison teria inventado a Cadeira Elétrica. Isto não ocorreu, como fato concreto, uma vez que a tecnologia que ele utilizava (corrente contínua) não era apropriada para esse fim. Além disso, ele sempre foi contra a pena de morte.

No entanto, quando a ideia da cadeira elétrica surgiu (iniciativa de políticos de Nova Yorque) ele viu nisso uma grande oportunidade de associar a cadeira elétrica (que ele considerava uma coisa muito ruim) à imagem do seu principal opositor comercial, George Westinghouse cujos produtos funcionavam justamente com a tecnologia concorrente (a corrente alternada).
Ele queria que a população associasse os produtos de Westinghouse ao perigo de morte iminente. Chegou a sugerir que "westinghousear" fosse a palavra usada para definir "executar na cadeira elétrica".
Apesar de ser contra a pena de morte, ele entendia que, se a lei assim o determinava, a execução deveria ser pelo uso da Cadeira Elétrica de Corrente Alternada (para arruinar a imagem dos concorrentes). Como se vê, ele parecia colocar os negócios acima de qualquer valor moral.

Voltando à comparação dos cientistas japoneses à Thomas Edison, posso dizer que, pelo que eu entendi, no livro, Edison não inventou nem a lâmpada elétrica propriamente dita (as primeiras lâmpadas elétricas eram de arco voltaico) e nem a lâmpada incandescente (muitos outros inventores desenvolveram esse tipo de lâmpada antes de Edison).

O que ele conseguiu (e que ninguém conseguia antes) foi produzir uma lâmpada que durasse tempo suficiente para ser comercialmente viável. Além disso, como eu já disse antes, ele foi hábil em integrar um conjunto de tecnologias para que a utilização das suas lâmpadas pudesse ser feita nas cidades.

É nesse sentido que o trabalho dele se assemelha ao trabalho dos cientistas japoneses que ganharam o Prêmio Nobel. Porque eles também não inventaram o LED nem inventaram o LED AZUL. Mas conseguiram fazer o LED AZUL de alto rendimento, que tornou possível sua utilização em larga escala.

E eu espero que as comparações possam parar por aí, para o bem da biografia dos mais novos laureados com o Prêmio Nobel.



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | professor@eniopadilha.com.br




---Artigo2014 ---Leitura

Deixe AQUI seu comentário:

24/09/2014

E PORQUE É PRIMAVERA...

Comentários?

20/09/2014

FARLEY DERZE

Para o deleite do seu fim de semana, apresento
o meu amigo FARLEY DERZE.
Excelente professor, excepcional músico, pensador brilhante. Enfim, o tipo de cara que vale a pena conhecer melhor.

Veja o vídeo (ao lado)
e dê uma olhada no blog dele
farlleyderze.blogspot.com.br

Deixe AQUI seu comentário:


« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 »