A JANELA DE EUCLIDES
(ou Como a Matemática pode ser
Interessante e Divertida)

(Publicado em 05/03/2010)



Quando você pensa em um livro de matemática nunca imagina um livro que você possa ler (no sentido lúdico do termo). Um livro de matemática geralmente é associado a trabalho, pressão, sofrimento.

Existem centenas de livros sobre língua portuguesa, história e outras disciplinas que a gente se acostumou a ver na escola. Compramos esses livros nas livrarias ou tomamos emprestados em bibliotecas com o objetivo de nos distrair com uma leitura agradável e, às vezes, divertida. Mas são raros (raríssimos) os livros de Matemática que conseguem esse objetivo. Leonard Mlodinow é responsável por uma exceção: seu livro, \"A Janela de Euclides - A História da Geometria, das Linhas Paralelas ao Hiperespaço\" é uma obra que você lê como se estivesse saboreando um romance de Dan Brown ou um livro de crônicas do Luiz Vernando Veríssimo (Tá. Não é tão engraçado quanto o Luiz Fernando, mas, com certeza, consegue ser tão interessante quanto o pai dele, Érico).

O livro é destinado aos estudantes de ensino médio (embora os últimos capítulos já tratem de áreas mais elevadas da matemática). Mlodinow consegue a façanha de transformar uma história potencialmente enfadonha numa história cheia de graça e fascínio. Ele não é um cientista convencional. Trata-se de um físico especializado em educação para crianças e adolescentes que é, também, roteirista para filmes de entretenimento, como a série \"Jornada nas Estrelas\".

Talvez essas atividades tenham desenvolvido nele a capacidade de captar o interesse de pessoas potencialmente desinteressadas em matemática e ele acaba fazendo como uma mãe inteligente, que mistura (camufla) as comidas necessárias ao crescimento das crianças, no meio daquelas que os filhos mais gostam. Assim eles acabam comendo o que é preciso, sem fazer cara feia.

Mas quem pensa que o seu livro é superficial ou inconsequente está redondamente enganado.
Quem se dedicar com atenção às 294 páginas do livro poderá aprender, de uma forma muito agradável, como se chegou ao valor de PI; como Pitágoras chegou ao seu Teorema; de onde vem a palavra \"hipotenusa\"...
Vai descobrir que Euclides não descobriu muita coisa na matemática, mas organizou tão bem o conhecimento existente que foi lembrado e respeitado por dois mil anos.
Vai conhecer a história de René Descartes e de como ele sobreviveu à vigilância da Igreja; Vai saber também que ele era muito preguiçoso e que (pasmem) odiava estudar matemática: desenvolveu todo um sistema novo só para não ter todo o trabalho que a matemática pré-cartesiana impunha aos seus estudantes.
Será apresentado a detalhes da vida e do processo criativo de Newton, Gauss, Riemann, Clifford, Maxwel, Einstein, Witten, Alexei, Nicolai e muitos outros (ah, esses dois últimos são duas crianças, filhos do autor, citados o tempo todo no livro de forma muito divertida);

Vai entender, por fim, a relação entre a Mecânica Clássica, a Teoria da Relatividade, a Mecânica Quântica e a Teoria das Cordas.

Muito bacana! É matemática pura. Mas é divertido, acredite!



ÊNIO PADILHA
www.eniopadilha.com.br | ep@eniopadilha.com.br




DIVULGAÇÃO
[IMG1;Divulga_Livro.png;650;C;http://www.oitonovetres.com.br/loja]




MLODINOW, Leonard. A Janela de Euclides: a história da geometria, das linhas paralelas ao hiperespaço. Tradução de Enézio de Almeida. São Paulo: Geração Editorial, 2008

Comentário #1 — 12/11/2019 23:01

José Serrano Agustoni — Engenheiro — Porto Alegre

É um livro que eu sempre recomendo para quem se interessa por matemática e principalmente pelas teorias atuais da física.

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

(todos os campos abaixo são obrigatórios

Nome:
E-mail:
Profissão:
Cidade-UF:
Comentário:

www.eniopadilha.com.br - website do engenheiro e professor Ênio Padilha - versão 7.00 [2020]

powered by OitoNoveTrês Produções

4455273

5